A ARQUIBANCADA NA REDE - WEB ARQUIBANCADA
"Em 40 anos de jornalismo, nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal". (Cláudio Abramo, que dirigiu Folha e Estadão)

Busca

Pesquisa personalizada

31 de jul de 2008

Palmeiras 1 x 0 Flamengo

Vamos ao jogo de ontem, como o prometido pela manhã, tudo em forma de Drops como de costume.

Arquibancada

Assisti ao jogo junto do Maurício, do Raphael Falavigna (o editor do Cruz de Savóia), da Carol e de um amigo Palmeirense (outro Rafael) que descobri em meu prédio. O cara é baiano e torcedor do verde. Vimos tudo atrás do gol da Matarazzo. Aliás, não gosto de jogos onde o Palmeiras começa atacando em direção ao referido gol. Não sou supersticioso, mas as bruxas existem, então acredito que sempre é bom atacar para o gol das piscinas primeiro. Parece que quando isso acontece o Palmeiras sempre ganha; como ganhou ontem fazendo o inverso. Superstição boba mesmo. O Rapha havia prognosticado um sonoro 6 x 2 pro Palestra, irá dizer que é porque não voltaram todos aqueles que ele imaginava (já me disse, inclusive), mas o fato é que seus 'poderes' de 'Pai Rapha de Ogum' é que estão em baixa.


Torcida Verde

Espetáculo. Mais de 26 mil Palestrinos empurrando o time, apesar dos R$ 30,00 e do horário pornográfico que a 'Vênus Platinada" nos impõe. Como sempre a torcida foi um show. Nota triste para a ação de três PM´s, logo atrás de mim, que para deter um torcedor (não sei o porquê) quase me derrubam na arquibancada. Mas, enfim, nada com o que já não estejamos acostumados.

O jogo

Foi um jogo movimentado, com poucas chances de lado a lado, intenso e, para contrariar dez entre dez comentaristas esportivos (para que eles servem, hein?), com muita técnica, vejam só, há jogos técnicos e disputados no futebol tupiniquim, para espanto da mídia ( hora dessas vamos discutir a falta de bom futebol no Brasil decretada pela mídia ‘especializada’).

Laterais: Granja e Leandro foram mais contidos nas descidas, pois tinham que bater com Léo Moura e Juan, apesar do primeiro, invariavelmente, aparecer pelo meio para armar o time do Flamengo, aí cabia a um dos volantes conter isso. Além disso, vi Kleber, A. Mineiro, D. Souza e até Valdívia dando combate na intermediária e até na defesa verde.

A dupla de volantes (Jumar e Sandro Silva) fez bem a deles (proteger a zaga) e ainda encontraram tempo para sair para o jogo. Aliás, o gol do Palmeiras nasceu de um arranque de Sandro Silva, um passe milimétrico do Valdívia, e um chute certeiro do volante (uma hora dessas vamos discutir o termo volante, empregado a todos que atuam no meio e têm que marcar) verde. Apesar disso havia um imenso buraco entre a intermediária do Flamengo e do Palmeiras por onde o time rubro-negro armou suas principais jogadas. Um erro que deverá ser consertado, com um melhor posicionamento da peças, coisa para o 'professor'.

Os armadores (Diego e Valdívia) foram bem. O primeiro começou com o gás todo, arriscou alguns chutes a gol, em um deles exigiu brilhante defesa do goleiro do Flamengo. Depois diminuiu o ritmo (preciso descobrir o porquê isso acontece sempre com o Diego). O segundo - aos poucos - vai retornando às suas melhores jornadas. Aliás, o passe dele para o gol do Palmeiras foi de quem sabe jogar bola. Entretanto, apesar de alguns chutes do Diego, o maior problema desse time é que não chuta, sempre querem entrar tabelando pelo meio, ou através dos ‘chuverinhos’. Ou é a insistência da tabelas curtas, ou passa-se para o lateral e corre-se para a área para esperar que estes cruzem. Muito pouco.

No ataque o de sempre. Kleber não desistiu nunca, foi valente, brigador, incomodou a zaga adversária, arriscou, não 'afinou' para os zagueiros, além de ter dado combate até na defesa. Alex Mineiro, apesar de não ter marcado ontem, fez o que se espera de um nove-nove. Fez parede, teve presença na área, chamou a marcação do adversário, e ainda deu o primeiro combate.

A dupla de zaga passou pelo primeiro jogo sem que o Palmeiras tomasse gol. Não que não nos assustasse em alguns lances, mas parece que com entrosamento, podem ser os substitutos para os titulares quando estes estiverem fora.

O Marcão até quando a jogada está parada pega tudo. Em um lance de puro reflexo defendeu uma bola inacreditável. O velho e bom santo presente nos momentos que clamamos por dele.

Aqueles que entraram sem comentários, pois não atrapalharam nem ajudaram. Apenas a lamentar a expulsão do Léo Lima por revidar uma cotovelada que havia recebido, e que o juiz não havia nem notado. Tenho certeza de que se fosse o Kléber ele (o juiz) e a imprenÇinha estariam 'estrebuchando'.

O Juiz

As pessoas precisam definir como se posicionam perante uma situação. É assim na vida, é assim no futebol. Não dá para servir a Deus e ao Diabo ao mesmo tempo. Gaciba, até ontem um juiz que pára o jogo a qualquer esbarrão, ao ver que está perdendo terreno para os mais novos, principalmente para o juiz gaúcho de Palmeiras e Fluminense, elogiado por todos (todos mesmo) por deixar o jogo correr, resolveu inventar e tentar apitar 'à lá européia’. Um desastre, não é a dele. Não marcava as faltas existentes no Valdívia (lembram-se do cai-cai) e não marcava as também existentes no Kléber. A diferença é que quando o Kleber cai é que a coisa foi - no mínimo - mais forte que o convencional, ele – mais que ninguém – precisa se tocar disso. Não interferiu no resultado, mas se ele já era ruim apitando como aprendeu (à lá brasileira), imagina inventado em um estilo que não é o seu.

Valdívia

Melhorou. Uma de suas melhores partidas no atual campeonato brasileiro. Armou, deu o gol para o Sandro Silva, muita disposição, correu, marcou, deu carrinho. A se lamentar é a atitude de sair ‘fazendo biquinho’. Ele é um jogador muito importante para a caminhada do Palmeiras rumo ao título, por isso mesmo não o perdôo pela atitude de ontem. Desrespeitou o treinador, seus companheiros, a torcida do Palmeiras, e - principalmente - o Palmeiras. Por isso Marcos é ídolo. Valdívia é, ainda, somente um jogador importante para o Palmeiras.

Luxemburgo

Armou bem o time, apesar daquele buraco no meio que ainda precisam ser corrigido. Insiste em colocar o Denílson quando precisamos ganhar, e demora em lançá-lo quando estamos precisando de alguém que segure a bola. No caso da reprimenda ao Valdívia, eu, fosse um treinador com o currículo dele, com a responsabilidade dele, faria o mesmo. Quem já peitou Edmundo não vai deixar o Valdívia passar batido em uma dessas.

Caio Junior

Mais uma sem vencer no Palestra Itália. O verdadeiro fantasma do 'Parque Antárctica' (como diz a mídia).

Valdívia, Luxemburgo e a imprensa 'do bem'

Acabo de dar uma rápida passada por dois Blogs da mídia 'do bem', leitura obrigatória somente por ofício, pois preciso escrever este Blog e ele se alimenta - em grande parte - pelas besteiras e incoerências dessa gente.

Fui ao Kfuro. Pau no Luxemburgo (novidade), porque ele - a troco de nada - abriu as portas da rua para o 'pobre do Valdívia'.

Passei pelo Blog de Paulo (o pequeno polegar). Como não poderia contrariar o padrinho, pau no Luxembrugo (novidade), pois ele sim é quem faltou com respeito com o 'pobre do Valdívia'.

Essa gente não tem o mínimo discernimento entre a realidade e a ficção. Ou melhor, tentam moldar a realidade às suas necessidades, a saber: perseguir quem lhes é desafeto.

O fato: Valdívia não gostou de ser substituído, pois estava sendo observado (essa janela européia deixa maluca a 'cabecinha' de alguns), não respeitou seu companheiros de equipe e foi direto para os vestiários. Aliás - e pior -, foi se consolar nos vestiários do adversário, pois segundo o 'bom moço' (Caio Junior) ele precisa de carinho.

Analisando o fato não dá para negar que ele desrespeitou seus companheiros de equipe. Ai, naquele momento, quebrou-se o que no futebol convencionou-se a chamar de 'unidade do grupo'. O chefe (Luxemburgo) tomou as dores de seus subordinados, pois ele é quem tem que zelar por tal unidade, e deu uma reprimenda no insubordinado. Isso, simples assim.

Valdívia, o cai-cai, segundo esses mesmos. Valdívia aquele que não é craque, seguindo o raciocínio dos mesmos. Valdívia que desfalca o Palmeiras por ter a cabeça quente e RECLAMAR demais com a arbitragem, segundo os próprios. Valdívia, que não está jogando nada, pois está com a cabeça na Europa, segundo (...), passa - neste momento - de vilão a herói, de jogador comum a insubstituível, de reclamão a vítima de uma reclamação...

Por muito menos, quando Luxemburgo não era – como digo? – ‘do mau’, Edmundo foi chamado de bandido pelos mesmos.

Essa gente é de uma incoerência de dar pena.

_________________
Acho Valdívia um ‘baita’ jogador, mas neste caso faço coro, se ele quiser ir embora que vá. O que não pode é desperdiçar a chance de um título – que virá, tenho certeza – pelos melindres de um único jogador.

E você Palestrino, o que achou do episódio? Luxembrugo exagerou? Valdívia tem o direito de fazer 'bico' ao ser substituído? Há um meio termo para a situação?

Deixe seu comentário

Palmeiras X Flamengo

Não, não é um comentário sobre o jogo. Sim, o farei, mas mais pela noite.

O que eu quero com esta postagem? É dizer que como a mídia não comentará, e como os 'pimpões' não são investigativos, mas eu sou, fui - ontem à noite no Palestra - buscar o tal do fantasma do Palestra. Aquele que a mídia não cansou de nos dizer que lá estava a todo o jogo, que nos atormentava, que sempre - nas horas decisivas - nos pregava uma peça e nos deixava sempre no quase.

Pois eu o encontrei, achei o tal fantasma. Ontem, mais uma vez, ele aprontou das suas no Palestra.

Abaixo postarei uma imagem dele, para que todos o conheçam. Mas, não criem expectativas, pois ele é conhecido de todos.

O problema é que ele é um 'fantasminha legal'. Um fantasma querido por grande parte da mídia. É um fantasma que sem nunca ter ganhado nada, mas por ser boa praça, recebe a condescendência dos 'pimpões' midiáticos. Afinal, ele não é ‘feio, sujo e malvado’ como outros por aí, ele é um cara - como direi? – bacana, expansivo, culto...

Por isso, a 'gente do bem' não cansa de elogiá-lo, mesmo - repito - sem ter ganhado nada na vida com o futebol, e ter em seu currículo a façanha 'fantasmagórica' de ter 'dado' um título para o glorioso Itumbiara.

Sim, meus caros, é ele mesmo. O fantasma que nos assombrou durante o ano passado todo, afinal esse ano não há fantasma algum rondando o Palestra, é ninguém mais - ninguém menos - que Caio Junior.

Ontem, mais uma vez ele deixou de ganhar no Palestra. Para aqueles que acreditam, e acreditaram no 'trabalho' dele (não é o meu caso) - aqui incluída a mídia ‘do bem’ que encheu a diretoria do Palmeiras de críticas por tê-lo de-mi-ti-do (mesmo sendo ele que pediu para sair) - aí está a resposta. Nosso fantasma tem nome, endereço, atualmente atua em outras paragens, mas tem - acima de tudo - a infinita capacidade de sempre falhar na hora decisiva.

Exorcizamos esse. Mandaremos para o inferno todos os outros que queiram nos atormentar, pois aqui é Palmeiras.

29 de jul de 2008

Drops

Girando pela mídia verde para mostrar o cinismo e/ou a incoerência da 'grande mídia':

Kléber

Via: Parmerista

"Valdivia está em má fase e fora dos holofotes (...) A bola da vez, então, é Kleber. Botaram uma etiqueta na testa dele: VIOLENTO. Assim como tinham colocado CAI-CAI na do Valdivia (...) Enquanto isso, Dagoberto, que já foi apontado em uma pesquisa informal com os árbitros (feita pela revista PLACAR) como o verdadeiro CAI-CAI do futebol, agrediu covardemente a um jogador da Lusa no domingo (...) Alô imprensa esportiva! Por que vocês não repercutiram esse lance?"

Via: Observatório Verde

Versão sobre o mesmo tema, título: Um capeta em forma de guri


Luxemburgo


Via: Terceira Via Verdão

Neste Drops o pessoal do 3VV mostra que Luxemburgo completa amanhã, contra o Flamengo, 300 partidas à frente do glorioso Palestra. A pergunta que não quer calar: "A imprensa badalou o número 300 de Muricy Ramalho no Jardim Leonor. Vamos aguardar o mesmo tratamento para Luxa."(?)


Birner

Via: Blog do Meu Saco

Há algum tempo temos (o temos aqui se refere à mídia verde) como esporte número um mostrar a incoerência dos pseudo-jornalistas, principalmente aqueles que se vestem de imparciais, mas defendem - sei lá a que 'bonus' - determinadas cores. São os jornalistas-torcedores, conforme conceitua o brilhante texto/ensaio/artigo do André, lá no Blog do Meu Saco. Vale a pena! Tem até continuação em um esclarecimento a um leitor.


¿por qué no te callas?

É o que não entende o Barneschi, lá no Blog xará, sobre a declaração de uma figura que já se tornou um arremedo de dirigente de federação.


O dia sagrado

Sem comentários! E que os deuses do futebol te ouçam Rapha.

Em homenagem ao Rapha; para mostrar para estes que tentam nos diminuir (jamais conseguirão), e pensando que amanhã temos que ter (desculpem o termo) colhões; aí vai um vídeo para relembrarmos um momento inesquecível!



______________________
Posso estar sem tempo para postar, mas não deixo de girar pela mídia verde. Esta é minha fonte de informação sobre o glorioso Palmeiras.

Forza Palestra!

Bolão - 16a. Rodada

Compromissos profissionais, acadêmicos e familiares me impediram de postar nos últimos dias. Por isso, até o momento não houve a atualização do bolão, não computei os pontos da rodada 15. Prometo que o farei junto com a 16a. rodada, na sexta-feira. Posso adiantar que temos apostador com pontos extras, pois - se não me engano - há quem tenha acertado resultado, número do gol e artilheiro do Palmeiras na última partida.

Como não podemos deixar de apostar, está aberta a 16a. rodada. Eis os jogos:



Peço a todos a compreensão, que aguardem a atualização e que continuem prestigiando o Blog. Valeu!

26 de jul de 2008

Palmeiras e automobilismo - atualizado

Tenho alguns amigos que não gostam de automobilismo. Aliás, alguns deles sequer perdem tempo, por exemplo, em assistir a uma corrida de fórmula 1. Não é meu caso. Gosto da categoria, apesar de eu nem dirigir um automóvel saber.

O leitor pode estar se perguntando, ao ler o primeiro parágrafo, o que isso tem a ver com o Palmeiras, já que esse é um Blog dedicado a ele?

Tudo, respondo eu. Definitivamente tudo.

Saiu matéria hoje no Estadão dando conta que se comemora hoje (26 de julho) os 100 anos da primeira prova automobilística realizada na América do Sul, e ela foi realizada em São Paulo. Sabem onde foi a largada? Sabem onde foi dada a bandeirada de chegada? Não? Pois então saibam que foi no glorioso Palestra Itália (à época Parque Antarctica).

Hoje, 100 anos depois, haverá uma prova comemorativa, a largada será novamente em nossa casa.

Além disso, temos como um dos nossos diretores um apaixonado pelo Palmeiras e por automobilismo. Trata-se de Paulo Nobre, o Palmeirinha, corredor de provas de rally, que engrandece a nação alviverde correndo sempre com nossa bandeira tremulando.

Então, tem a ver ou não?

Links:

Há 100 anos, a 1.ª corrida da América do Sul

Página do Paulo Nobre – Palmeirinha Rally


atualização: Coluna do Kleine com entrevista com o Paulo Nobre (Palmeirinha).

25 de jul de 2008

Boas e más noticias

A boa notícia são duas. São dois retornos ao desfalcado elenco verde:

Relacionado, Martinez é novidade do Verdão em Porto Alegre; e,

Elder Granja consegue liminar para voltar aos gramados.

A má é mais uma constusão:

Léo Lima sente coxa e fica de fora do jogo contra o Grêmio.

Ou seja, se tínhamos um time todo no estaleiro (contusões e suspensões) saimos ganhando para o domingo. Voltam Elder e Martines, e continua de fora (pena) o Léo. Com a volta do Kléber e do Sandro Silva, talvez do Pierre, já dá um caldo.

Provável time: Marcos, Élder, Gladstone e Jeci (Meu deus!), Leandro; Pierre (Jumar ou Wendell) e Sandro Silva, Martines, D. Souza; Kleber e Alex Mineiro.

Time para vencer em POA, não?!

Com esses jogadores à disposição, você, técnico do Palestra, escalaria como o time? Mande sua mensagem e escale o time. Depois vamos ver como o 'professor' escalará e comparemos.

Bolão - 15a. Rodada

Abertas as apostas para a décima quinta rodada do Bolão do Brasileirão 2008. A sorte está lançada.



Vai lá "Pai Rapha de Ogum". Manda seu Palpite que quero ver.

Drops

Ruim

Assisti ao jogo ontem ao lado de meu amigo Léo, aquele que carinhosamente me chama de ‘corneta’. Avisei a ele que minha paciência com o Capixaba estava por um fio. Não é que o Gladstone me fez esquecer a cornetagem ao Capixaba. O zagueiro verde parece que tem mesmo é que usar aquelas fraldas que o Luxemburgo ofertou a ele quando ainda jogava no Cruzeiro. É uma – desculpem o termo – ‘cagada’ atrás da outra.

Da posição onde eu estava pude perceber como se posiciona mal a nossa zaga. É só duas trocas de passe e uma bola enfiada e pronto. Cadê a cobertura? E olha que iniciamos o jogo com três zagueiro e dois volantes.

Os volantes, por falar neles, fizeram uma partida pífia. O Wendell nem notei sua presença, o Jumar (juro que esse nome deve ser por um problema de pronuncia quando do registro desse menino) perdidinho em campo. Resultado: a defesa que já é fraca ficou também exposta.

Bom

Outra excelente partida do Leandro, até gol fez – e foram logo dois, e do Diego Souza. Não entendo o que parte da torcida tem contra ele. Atrás de mim um monte de gente pedindo a saída dele e reclamando a cada tentativa de uma jogada. O Luxemburgo fez certo ao tirá-lo de campo, poderia ser expulso e nos desfalcar em Porto Alegre.

Ruim

Por falar em desfalque, mais um. Valdívia recebeu o terceiro amarelo e está fora do jogo contra o Grêmio. Não entendi o cartão dado a ele pelo juiz do jogo. A barreira andou e ele, nitidamente, procurou o Valdívia para dar o cartão.

Péssimo


Por falar em arbitragem esse é dos péssimos árbitros. Apita de longe, para não se comprometer, então – a qualquer esbarrão – falta. Não deixa o jogo correr. Típico de mau árbitro, pois se o jogo corre crescem as possibilidades dele cometer erros. Mas, nem assim escapou de cometer seus erros crassos. Anulou um gol legítimo do Palmeiras quando estava zero a zero (com a ajuda do auxiliar) e ainda não viu que Kleber Pereira saiu de impedimento para apanhar a bola de Fabão no primeiro gol do Santos. O nome da fera para ficarmos de olho: José Henrique de Carvalho.

Domingo

Domingo vamos a Porto Alegre enfrentar o agora líder do campeonato Grêmio, que ontem aplicou uma acachapante goleada no Figueirense (aquela equipe que suamos para empatar na semana passada em casa). Com essa zaga louca para ‘entregar’ é bom o Luxemburgo armar um esquema de cobertura eficiente. Espero que o Pierre esteja de volta.

Celso Roth


Fico imaginando o vestiário do Grêmio ontem. Os jogadores devem ter tomado uma bronca terrível do Celso Roth. Onde já se viu se expor dessa maneira!

Rumo à liderança e ao título

Estamos de volta ao G4 e a apenas quatro (4) pontos do líder. Domingo é partir para cima e arrancar essa vitória a todo custo. A liderança está próxima, quando lá chegarmos não sairemos mais e vamos para mais um título brasileiro.

Forza Palestra!

Bolão - resultado da décima quarta rodada

Avisando desde já que iniciei uma reação. Fui, já nesta rodada, quem mais pontuou. Então, botem as 'barbas de molho'. A briga no topo da tabela está muito boa, mas o Guto continua com a camisa na mão. Na parte de baixo o novo apostador Dinho Maniasi vem subindo e desconfio, em breve, aperta o Lucas Tassi. Nota dos palpites despeciais (jogos do Palmeiras): O Raphael (Coruja) apostou em um improvável 4x3, quase deu. Fico pensando na cena de ontem, Raphael - radinho em punho e próximo ao 'escutador de rock' -, torcendo por mais uma 'pixotada' da zaga verde. Foi assim Rapha? Eis a classificação do Bolão:



Em breve abro os palpites para a próxima rodada, bem como faço alguns comentários sobre o jogo de ontem e o do próximo domingo (em forma de drops). Até mais, aguardem!

24 de jul de 2008

Mídia Palestrina

Atualizando os leitores do Blog sobre veículos da mídia Palestrina, eis mais alguns links que estarão colocados aí do lado direito em DEFESA QUE NINGUÉM PASSA.

Prestigiem, pois são espaços de Palmeirenses para Palmeirenses.


Sobre Porcos e Ratos, do amigo Felipe Giocondo;

300 de Esparta
, do Palestrino Xerxes;

Blog do Rô
, do Rodollfo Bernini;

Carcamanos, que não entendo o porque ainda não estava por aqui;

Clorofila, da Palestrina Tânia "Clorofila";

Eterno Palestra, do apaixonado pelo Palmeiras Didi;

Galluzzi (Verde é vida. Futebol é arte.), Blog do torcedor do Palmeiras no GloboEsporte.com;

La Nostra Casa
, Sobre a Arena Palmeiras;

Maglia Verde, o Blog da camisa do Palmeiras;

Mundo Palestra, de diversos Palestrinos;

Avanti Palestra (O Palestra e o Mundo na Visão de uma Louca), da Bruna Balbinot;

À luz da Catedral, onde habitam os membros da 'Nobre Ordem Dos Cavaleiros Alviverdes'; e,

Opinião Verde, do Mário.

Em breve tem mais. Aguardem!

_____________________
Hoje à noite basta fazermos nossa parte. Os adversários estão colaborando, o Caio Junior está colaborando, o SPFW não é nada disso que dizem. Somente o Internacional tem um time (elenco) que pode dar trabalho. Rumo ao topo, a começar por hoje. Estarei lá. Palpite: Palmeiras 3 x 0 Santos.

Marcos Kleine

O Blog foi citado pelo Marcos Kleine, autor da versão para guitarra do Hino do Palestra e colunista do PTD, em sua coluna. Quem quiser ler a coluna clique aqui.

Quero agradecer ao Kleine, bom amigo, pela citação. Todas as vezes que ele cita o Blog as visitas aumentam. Sinal que ele é muito prestigiado em sua coluna. Vale mesmo a pena ler.

Aliás, haverá um link permanente (aí do lado direito) para as colunas dele.

22 de jul de 2008

Sobre cornetas, amendoins, críticas, críticas aos críticos...

Confesso que me reconheci em um texto. Eu mesmo, aquele que invariavelmente está nas arquibancadas do Palestra para incentivar o time, mas que - ao final dos 90 minutos - caso as coisas não saiam minimamente como eu esperava não me furto a criticar seja quem for, ídolo ou não, desde que o cara (ou os caras) não cumpra com aquilo que considero o mínimo para um jogador de futebol e, principalmente, para um jogador de futebol que atue pelo meu time do coração: dedicação.

Sim, meus caros, gosto de futebol 'bem jogado', pois sou torcedor do Palmeiras, não de um outro time por aí. Meu time teve algumas academias, gosto de ganhar, mas - acima de tudo - jogando bonito. Raça, somente nos momentos em que ela é exigida e daqueles em que a técnica não é o forte, afinal, times são feitos de craques e alguns 'carregadores de piano'. Dos craques espero que decidam jogos. Já dos 'carregadores de piano' espero transpiração. Isso não quer dizer que craques não precisem suar a camisa, perseguir um adversário e roubar uma bola, de vez em quando dar um carrinho...

Mas, porque escrevo isso? Como eu disse me identifiquei com um texto. Ele está lá no Blog xará (Forza Palestra, do Barneschi) e está dando 'pano pra manga', ou seja, está dando uma boa discussão.

Pedi autorização para o Barneschi e vou reproduzi-lo aqui, na íntegra, para que possamos, quem sabe, abrir um bom debate sobre aquilo (ou aqueles) que se convenciou a chamar (entre os torcedores do Palmeiras) de corneta.

Como eu disse, se o cara não se entrega (que é o mínimo exigido), se o técnico não consegue dar um padrão de jogo (mínimo que seja) o time, se um lateral não consegue acertar um cruzamento sequer, se um ídolo não decide um único jogo em uma temporada, se um volante não sua uma gota para fazer com que o time vença uma partida, eu não me furto em criticá-lo. Então, neste caso, farei o quê? Voltarei para casa como se nada tivesse de errado? Pago o ingresso (caro por sinal) e deixo tudo como está?

Se ser corneta é criticar o time (neste caso jogadores, comissão técnica, diretoria...) quando ele(s) merece(m) podem me rotular disso. Apenas não poderei ser tachado de omisso.

Ano passado ganhei esse apelido de alguns amigos de arquibancada (de forma carinhosa tenho que acrescentar). Não dei trégua ao trabalho do Caio Junior. Se eu tinha razão o tempo demonstrou e vem demonstrando, o que importa é que com a saída dele melhoramos, mas parece que a coisa anda regredindo. Então, meus caros, podem ter certeza que ao primeiro sinal de acomodação, ‘trairagem’ com o Palmeiras e sua torcida e/ou falta de entrega, lá estarei eu, ao final dos noventa para cobrar a ‘boleirada’.

Fooooooom!

Eis o texto do Barneschi:

CORNETAS: RELATIVIZAÇÃO NECESSÁRIA

Convencionou-se chamar de corneteiro aquele sujeito que fica na numerada e passa o jogo a xingar o técnico e os jogadores. É um tipo de torcedor (?) que só atrapalha, e Luiz Felipe Scolari foi sábio ao inventar o apelido Turma do Amendoim, lá pelos idos de 1999/2000. Dizia Felipão que o povo da numerada coberta passava o jogo comendo amendoim e xingando. O nome ganhou força, mas com conotação pejorativa: 'amendoim' passou a ser uma designação comum a todos aqueles que criticam o time na hora errada. Desde então, a situação até que melhorou, em parte porque esse tipo de torcedor (?) passou a ser visto com desconfiança e até de maneira pouco amigável pelo resto da torcida.

Feito o intróito, sinto-me na obrigação de relativizar o uso que se faz hoje da palavra corneteiro. Fato é que me incomoda bastante a postura de uma parte da torcida (isso inclui amigos meus) que parece querer blindar os atletas, um em especial, como se eles estivessem imunes a críticas. E aí basta um comentário menos elogioso para que você logo seja chamado de corneteiro.

Eu vejo de outra forma: uma das funções do torcedor é apoiar o time, e isso deve acontecer durante os 90 minutos. Depois disso, no entanto, a cobrança pode - e deve - existir. E é natural que seja feito pelo torcedor, que tem o direito de fiscalizar e exigir que os jogadores façam o melhor pelo time. Há casos e casos, e é sempre preciso ter um pouco de precaução, mas não se pode execrar um torcedor apenas porque ele tem um perfil, digamos, mais questionador.

A situação é bem simples: jogador de futebol não adora dizer que é profissional? Ok, tudo certo. Já que é assim, deve ser tratado como profissional. Sim, tem direito a ouvir propostas de outros clubes e até de buscar novas oportunidades quando julgar conveniente. Nada a contestar. Mas a recíproca também é verdadeira. Se você, na condição de profissional, é cobrado pelo seu chefe quando seu rendimento cai, é justo que o mesmo aconteça com o jogador de futebol. Aos direitos adquiridos correspondem também os deveres pertinentes.

Estou cansado de patrulha. Estou cansado de ver nego passar a mão na cabeça de jogador. Estou cansado de jogador pedir para ser tratado como profissional, mas só na hora de buscar um contrato melhor. E estou cansado de qualquer um ser chamado de corneteiro apenas e tão somente por fazer críticas que me parecem necessárias.

O Palmeiras está acima de qualquer um!

Exército da Salvação VIII

Essa veio do Amigo, e leitor do Blog, Marco Néspoli, a quem agradeço pela contribuição e pelo carinho com o Blog. Em breve abro para a votação do novo banner, mas posso adiantar que a briga promete ser boa, pois o pessoal está caprichando. Valeu Marco.

21 de jul de 2008

Bolão - 14a. Rodada

Está no ar a 14a Rodada do Bolão do Brasileirão 2008. Espero que melhoremos; todos, inclusive o Palmeiras.

20 de jul de 2008

Bolão - resultado da décima terceira rodada

Com performances quase parecidas com a do Palmeiras, os apostadores do Bolão do Brasileirão 2008 seguem cumprindo tabela. Informando que computei 5 pontos para o Leonessa, da 11a. rodada, onde ele solicitou que os resultados fossem considerados os mesmos do Bolão do Blog do Meu saco, eis os pífios resultados.



Na expectativa de dias melhores, terça-feira tem mais. Aguardem.

Socorro!

Não sei nem bem o que dizer. Zaga, de novo, falhando. Time apático, sem força para reagir na hora que mais precisava (quando o Goiás fez o terceiro gol). As mudanças, aqueles vindos do banco, não resolvendo nada. Enfim, estou atordoado, melhor parar, pensar, e depois escrever. Agora, 21h00, sei que estamos fora do G4, ultrapassados pela madame e pelo Vitória, além de não aproveitarmos mais uma chance nos dada por Caio Junior.

Pergunta: O que é Gladstone?

Socorro!

18 de jul de 2008

Exército da salvação IV, V, VI e VII

O amigo Tibé, lá do Coisa Verde (que aliás está de cara nova), mandou logo quatro contribuições de banner para nossa campanha. Agradeço ao Tibé e peço desculpas pela demora em publicá-los. Aproveitem e dêem uma passada por lá, vale à pena prestigiar mais esse Blog da Mídia Palestrina.

Eis as contibuições, façam seus comentários e em breve abro para a votação.

Banner 1



Banner 2



Banner 3



Banner 4

Bolão - 13a. rodada

No ar a 13a. rodada do Bolão do Brasileirão 2008.

A sorte está lançada.

O jogo de quarta de madrugada

Por motivo de trabalho não escrevi nada sobre o jogo de quarta-feira de madrugada no Palestra. O faço agora, pois o jogo foi muito interessante e vários fatos merecem destaque. Vamos lá.

Assisti ao jogo do lado de meu amigo Marcos Kleine. Para aqueles que não sabem o Marcos é o autor do arranjo do Hino do Palmeiras para guitarra, batizado pelo Milton Neves de SUHINO [está nos links do lado direito, mas clique aqui e ouça a versão do Marcos], e escreve – toda semana – uma coluna do PTD [clique aqui e confira].

Além disso, o Marcos, que foi uma das pessoas que sofreram com a perseguição dos ‘apadrinhados’ do nefasto durante a sua gestão, está fazendo um trabalho interessante de ‘arregimentar’ novos sócios para o clube, me disse que está – pessoalmente – apresentando o clube a aqueles que se associam, numa bela iniciativa. Torcedor, só há uma maneira de limparmos o clube dessa escória que nos deixou anos a fio no ostracismo do futebol, se associando ao clube e participando da vida política e social do Palmeiras. [sobre isso há hoje uma interessante informação no Parmerista, clique aqui e leia].

Bem, no último jogo em que havíamos assistido juntos no estádio o Palmeiras não foi bem. Foi durante o campeonato Paulista de 2007, no Pacaembu, ainda sob o comando do Caio Junior, e o Palmeiras suou sangue para empatar com o ‘poderoso’ Bragantino. Desta vez, apesar do susto inicial, as coisas foram diferentes.

Vamos ao jogo em forma de drops

a) Partida irretocável do Kleber, que apesar da pouca estatura fez dois gols de cabeça e mostra a cada dia que não afina para zagueiro nenhum. Nem mesmo nas entrevistas [assista aqui o que ele disse para os zagueiros leonores na entrevista após o jogo contra o Fluminense];

b) Bela partida do estreante Sandro Silva. Desarmou, esteve sempre atento e preciso nas coberturas à zaga e ainda encontrou disposição e qualidade para ir algumas vezes ao ataque. Aos poucos e com calma deve ir entrando no time. Acho que encontramos um excelente volante para fazer dupla, ou mesmo substituir, o Pierre;

c) O Leandro foi o nome do jogo. Correu, marcou, driblou, foi ao fundo, deu duas assistências para gol. Para mim o melhor homem em campo;

d) Léo Lima parece que vai, aos poucos, retomando o futebol que foi extremamente importante para o time no Paulistão. Desarma, arma, lança, vira o jogo, chuta a gol e não tem medo de errar. Utilíssimo ao time;

e) O Valdívia também volta aos poucos a apresentar o bom futebol que nos acostumamos a ver. Armou, driblou, se apresentou para o jogo e ainda carimbou as traves do goleiro falastrão.

f) O Diego Souza parece que encontrou o seu espaço. Partiu para cima da zaga adversária em diversas oportunidades e não fosse o excesso de preciosismo em um lance, a fome de gol no outro (o Valdívia estava livre), poderia ter ampliado o placar e sair do Palestra consagrado.
No mais o de sempre, Marcos seguro quando exigido, Boa partida do Granja. Denílson foi útil e está jogando para o time (foi dele o passe para o primeiro gol).

g) Destaque negativo para a dupla de zaga. Desentrosada. Além disso, tenho a nítida impressão que o Jéci está sofrendo com o atabalhoado Gladstone. O primeiro me parece um bom zagueiro, mas o segundo está sempre mal posicionado, chega atrasado nos lances e comete erros grosseiros.

h) Destaque positivo para os14 mil Palestrinos presentes ao estádio. É impressionante a paixão dessa torcida para com o time, pois apesar do horário indecente (21h50) do jogo, por causa da novela, e do preço (couvert) dos ingressos (acorda diretoria) insiste em apoiar e comparecer ao estádio.

i) Elogio: é raro acontecer isso, mas eu gostei demais da arbitragem do Sr. Leandro Pedro Vuaden, que em um ‘estilo europeu’ de arbitrar deixou o jogo fluir e não apitava qualquer esbarrão. Com isso tivemos um jogo dinâmico e a bola correu, como deve ser sempre.

Com a derrota do Flamengo ontem a noite estamos na briga pelo título novamente, basta manter a regularidade, não perder pontos bobos como os dois perdidos contra o Figueirense e esperar o confronto direto com o time da Gávea, pois estamos a apenas 5 pontos deles, dois confrontos diretos e podemos tirar a diferença. Mas, acredito que nem vamos precisar disso, pois o Caio Junior está por lá e nos fará o favor. Ele sempre faz.

Enfim, gostei do que vi.

Forza Palestra!

___________________________
Em tempo: Bela recepção da torcida ao falastrão Thiago Neves. A torcida o recepcionou, mas ele nem em campo entrou. Partida pífia, típico de quem fala demais e depois se borra de medo. Além disso, gostaria de saber o que pensou o outro falastrão do time, o goleiro Fernando Henrique (também com esse nome é só falar que ele sabe mesmo), pois viu seu time sair derrotado, levar um grande 'olé' ao final do jogo e não houve nenhuma 'artimanha' do Palmeiras para isso. Ah! houve sim, a artimanha do Palmeiras foi jogar bola. [1] [2]

Bolão - resultado da décima segunda rodada

Com três acertadores do placar cheio do jogo do Palmeiras (Barneschi, Dimar e Leonessa), eis a classificação do Bolão do Brasileirão 2008.



Comentários

Com os quatro (4,00) pontos extras o Barneschi encostou no líder. O Leonessa, pelo mesmo motivo (e por ter ganho - além dos extras - 7,50 pontos), se aproxima perigosamente deste que vos escreve e, por conseguinte, da zona da libertadores, o mesmo ocorrendo com o Dimar.

Cabe nota para o aproveitamento do André na rodada. Mesmo sem acertar o placar cheio do jogo do Palmeiras ele cravou oito (8,00) pontos, o que lhe proporciona um respiro quanto à zona da degola. O mesmo não se pode dizer do Lucas que somente teve três (3,00) pontos somados, foi muito mal e correria sérios riscos caso os apostadores que não vêm dando palpites o estivessem fazendo, mas - como temos novo apostador (Dinho) - é bom ir botando as barbas de molho.

Bom, a décima segunda rodada se foi. Dentro de instantes abro as apostas para a décima terceira rodada e lanço a sorte para todos os apostadores. Aguardem.

A Camisa ainda está em posse do Guto, mas - pelo andar da carruagem - por pouco tempo. Então, caprichem nos palpites para a próxima rodada.

15 de jul de 2008

Exército da Salvação III

Mais uma contribuição de banner do exército verde. Ela vem lá da cidade de Botucatu/SP, do amigo Carlinhos, a qual publico para a apreciação dos leitores.



Valeu Carlinhos.

14 de jul de 2008

Bolão - 12a. rodada

Está no ar a décima segunda rodada do Bolão do Brasileirão 2008.

Sem comentários, ainda fruto da falta de vontade e da prudência em comentar as coisas do Palmeiras depois dessa semana para ser esquecida.

Bolão - resultado da décima primeira rodada

Os participantes foram, igual ao time que torcem, péssimos nesta rodada. De novo só a minha saída da zona da libertadores e a entrada do Pinho por lá.

Quanto ao jogo de ontem somente farei comentários quando a cabeça esfriar, pois estou com vontade de uma cornetada geral, começando pelo técnico (que segundo informações anda exagerando na cana), passando por aqueles que nunca jogam nada (sempre ficam no quase) e terminando com aqueles que estão com a cabeça na Europa. Mas, isso farei amanhã ou quarta. Ao resultado do bolão:

13 de jul de 2008

SPFW X Palmeiras: Pré jogo

Nada de estatísticas. Nada de análises. Nada de nada, apenas a certeza de que venceremos, de que cada guerreiro Palestrino suará sangue nessa guerra.

De minha parte só o silêncio. Esse que significa concentração, vontade de vencer, espírito de guerra.

Menos de duas horas para o jogo. Estarei em casa, sozinho, esperando o momento de gritar os três gols do verdão, pois tenho certeza que Alex Mineiro, Valdívia e Denilson me farão feliz. Feliz pelos gols, mas os outros oito guerreiros não deixarão por menos, pois serão a linha de frente da armada Palestrina. Avante!

Forza Palestra!

12 de jul de 2008

Palmeiras x SPFW: preparando a tropa

Não, não vou - hoje - escrever nada sobre o jogo de amanhã. Isso faço no dia do jogo. Mas, como não poderia deixar de ser, deixo dois links por aqui, para os Palestrinos irem se preparando para guerra de amanhã:

1. Forza Palestra do Barneschi, por lá há um temor (justificado) com a arbitragem de amanhã. Confiram;

2. Cruz de Savóia do Rapha, que dá uma esquentada nos fuzileiros mostrando, mais uma vez, como age a imprensa venal, comandada pelo diário O Leonor. Vale a pena.

Há outros Blogs Palestrinos falando sobre o clássico, mas os dois são os que mais conseguem, desde sempre, captar o clima de guerra que envolve os jogos contra a Madame.

Vale a pena conferir e ficar atento.

________________________
Amanhã, ou ainda hoje - em edições extraordinárias - volto com mais informações e fatos que cercam essa partida que desde 1942 se transformou na guerra do bem contra o mal.

Em tempo: Licença ao Rapha, do Cruz de Savóia, para ilustrar esse post com uma imagem que capturei por lá. Ele entenderá o motivo.

Amanhã é vencer ou vencer.

Forza Palestra!

11 de jul de 2008

Bolão - 11a. Rodada

Também sem comentários está no ar a décima primeira rodada do Bolão. Sem comentários porque é semana de guerra, vou me ater aos fotos e notícias sobre o jogo de domingo. Eles aparecerão, podem esperar.

Bolão - resultado da décima rodada

Somente farei comentários amanhã, pois pode ser que alguém reclame algum pontinho que eu - por ventura - tenha errado. Seco, eis o resultado:

Palmeiras x SPFW

Não vou cornetar os dois laterais reservas que não estão conseguindo suprir a ausência dos titulares;

Não vou cornetar o miolo de zaga que assiste ao gol adversário;

Não vou cornetar a entrada do Wendell no lugar do Pierre e depois a saída do Wendell, quando o certo seria deslocá-lo para a lateral e a entrada de outro meia;

Não vou cornetar o Lenny, que foi a nossa moeda de compensação pela não vinda do Thiago Neves;

Não vou cornetar o Diego Souza por mais uma partida pífia;

Não vou cornetar o Valdívia que parece com a cabeça, o corpo e o futebol na Europa;

Não vou cornetar nada, apesar de uma vontade monstruosa de fazê-lo;

É semana de Palmeiras e SPFW. É vencer ou vencer. É derrotá-las ou derrotá-las. O resto não importa.

Domingo é suar sangue. É isso o que esperamos de cada um que envergue o manto verde (que aliás está lindo na cor tradicional).

Forza Palestra!

______________________
Daqui a pouco o resultado do bolão e os palpites para a próxima rodada.

10 de jul de 2008

Ingressos: Esperança

Não vale a pena linkar aqui quantas vezes denunciei e sofri para assistir aos jogos no Palestra por conta da vergonha e da quadrilha que se apossou da venda dos ingressos no Palmeiras. Cabe ressaltar também que várias vezes critiquei a diretoria por manter a BWA (ingresso difícil) à frente da comercialização dos ingressos para os jogos do Verdão.

Pois bem, quando é para criticar criticamos, quando é para elogiar, mesmo sendo só na esperança que a medida dê resultado, também o fazemos.

O Parmerista (além da imensa maioria dos Blogs Palestrinos) também denunciou e cobrou a diretoria. Todos fizemos campanha para que o presidente Della Monica 'batesse na mesa' e resolvesse essa vergonha.

Hoje, lá no Parmerista (clique aqui e veja a informação na íntegra) há um post dando conta que um conselheiro de apelido Pica-Pau (ligado a que ex-presidente não precisa nem dizer) foi preso, há época de nossas denúncias (final do campeonato paulista), com vários ingressos. Pois bem, foi aberta uma sindicância interna e esperamos que o 'bandidão' seja punido (perca o cargo de conselheiro e seja expulso do quadro associativo do Palmeiras).

Além disso, o Parmerista informa que a diretoria NÃO RENOVARÁ o contrato com a ingresso difícil.

É isso, esperamos que as coisas tomem outro rumo, no caso dos ingressos também, pois foi para isso que essa diretoria foi eleita. Foi a diretoria que encarnou a ESPERANÇA de todos os Palmeirenses, pelo menos daqueles que o são verdadeiramente. O que não perece ser o caso do nefasto e de sua turma, pois o dito Pica-Pau (ligado ao nefasto) foi um dos conselheiros que se omitiu da obrigação de votar no caso da Arena (fosse seu voto favorável ou contrário). Pelo jeito está lá somente para benefício próprio e de seu padrinho.

Valeu diretoria!

___________________
Esse é um post de esperança que as coisas melhorem no caso dos ingressos, mas é também uma homenagem a todos aqueles Palmeirenses que sofrem para poderem conseguir um mísero ingresso para acompanhar seu time do coração. É também um post de homenagem - mais uma - à Mídia Palestrina, que apesar de ser formada por 'torcedores' Palmeirenses não deixou de denunciar os absurdos cometidos e cobrar uma posição da diretoria quanto ao caso. Não citarei aqui aqueles que escreveram sobre o assunto, pois foram muitos - e eu cometeria o erro de deixar alguém de fora; então é uma homenagem a toda a Mídia Palestrina.

Valeu pessoal.

Exército da Salvação II

Mais uma colaboração, agora vem lá do amici Raphael (Coruja, carcamano) do Cruz de Savóia. Afora o mau gosto de ter colocado a minha foto na proposta do banner tá valendo pela contribuição. Valeu Rapha.



Hoje, jogo no Palestra. Camisa nova e rumo à liderança. Rapha, tá confirmada sua presença? Eu vou, saio daqui por volta dàs 18h30.

8 de jul de 2008

Exército da Salvação I

Os guerreiros do exército da salvação já começam a se mobilizar. Acabo de receber uma colaboração de banner que vem lá de Tietê/SP, do amigo - e suponho leitor, Carlos Bergamim, a quem quero agradecer de público.

Já expliquei a ele, por e-mail, que todas as contribuições que chegarem serão postadas e receberão a avaliação dos leitores. Depois do prazo estipulado, 08 de agosto, abrirei uma votação e o banner vencedor será o que aparecerá na parte superior do Blog.

Eis a contribuição do Carlos:



E você leitor, o que achou do Banner? Deixe nos comentários sua opinião, e aguarde para breve a votação.

Valeu Carlos!

Exército da salvação

Não sou bom em artes gráficas. Aliás, vocês já perceberam. Sou péssimo nisso e em muitas outras coisas.

Mas, aqui quero falar do banner do Forza-Palestra. Esse que está aqui fui eu mesmo quem fiz e – como vocês podem ver – não está legal. Gostaria de ter um banner bem elaborado, feito – quem sabe – por alguém que tenha bom gosto para a coisa. Banner combinando com o título do Blog, banner combinando com o estilo do Blog; quem sabe com o estilo – se é que há algum – do autor do Blog.

Então, aí (essa merda de expressão teima em aparecer em dez de dez de meus textos, acho que o romance que eu pretendo escrever terá que esperar uma melhora em meu vocabulário) vai não uma promoção, mas uma campanha: Ajudem o Forza-Palestra a ter um banner legal.

Vale todo tipo de contribuição, todas serão publicadas, os leitores é quem decidirão a melhor, e essa será a escolhida. O vencedor, ou aquele que trabalhar gratuitamente em prol de um blog Palestrino, terá seu nome eternizado nas páginas desse diário (poderá assinar a arte) e ainda ganhará uma camisa retrô (igual a que será presenteada ao segundo colocado do bolão, pois o primeiro serei eu mesmo, mas como sou café-com-leite não levo).

Não é bom nisso também, mas tem um amigo que tem a 'manha', mesmo que ele não leia Blog mal escrito? Então, peça a ele para contribuir, prometa 'mundos e fundos', pois o 'brinde/pagamento valer a pena. Espero que apareçam contribuições. A família Palestrina e o editor do Forza-Palestra, enternecidos, agradecem.

Perceberam como é? Os outros Blogs presenteiam aqueles que freqüentam os espaços. Nós, por nosso turno, exploramos os leitores. Blog ‘subdesenvolvido’ é assim mesmo. Mas, seja um exército, o exército de um homem (ou mulher) só. O exército da salvação do Forza-Palestra, pois caso não apareçam contribuições, por falta de um banner, o blog encerrará suas atividades (não podemos sobreviver sem isso). Então contribuam, senão vocês serão privados desses textos e pensamentos singulares (agora apelei). O problema é se o blog não estiver agradando (tiro no pé). O que algumas cervejas não fazem!

Aguardo ansioso.

(Enviar em/ou formato jpg, cdr, gif para o e-mail: adcastellari@gmail.com - last time: 08/agosto/2008 – 23h59m).

7 de jul de 2008

Bolão - 10a. rodada

Sim! Teremos rodada no meio da semana. Isso agora será praxe, se preparem para a oversose de futebol, palpites, bolões, etc. Por isso, já está no ar a postagem para os palpites da décima rodada do Bolão do Forza Palestra.

Aqueles que se esqueceram de apostar na(s) última(s) rodada(s) que não persistam no erro, pois os nomes constarão do jogo até o final e sim, serão rebaixados (mesmo que figurativamente) para a segundona. Lá farão companhia ao time da marginal sem número.

Aos que ainda perseveram no jogo lembro que o prêmio é uma camisa da linha retrô do Palestra. Por enquanto ela está nas mãos do Guto Cavazza, mas os outros competidores diminuiram muito a diferença na última rodada. O jogo está aberto.

Só lembrando: já fiz minhas substituições no Cartola, já dei meus palpites no bolão da ESPN/Brasil, Já palpitei no Cruz de Savóia, falta palpitar no Blog do Meu Saco - que ainda não abriu postagem para tal. Então, não se esqueçam de jogar em nenhum dos Blogs ou sites, pois depois não adiantam desculpas esfarrapadas do tipo: "perdi porque me esqueci de apostar".

Eis os meus palpites (café-com-leite, mas seria humilhante receber o prêmio sendo o segundo colocado, não? Então, melhorem, pois estou me aproximando do líder):

Ganhamos um ponto

Sim, ganhamos um ponto. Se em campeonato de pontos corridos um empate é considerado ruim, pois se deixa de ganhar dois pontos, no jogo de ontem podemos comemorar, pois com o futebol bisonho apresentado no início do jogo onde deixamos de tomar mais um três gols, graças ao Santo milagreiro.

Luxemburgo, por conta dos diversos desfalques, e para preservar - segundo o papo dos 'boleiros' - os jovens, escalou uma defesa inteira nova. Aliás, o Jeci (se diz JÉCI, não JECÍ) nem direito foi apresentado e foi para o jogo.

Dois laterais novos (e inexperientes), miolo de zaga onde o que mais vestiu a camisa do Verdão é Gladstone (2 jogos). No meio, Pierre se desdobrando para cobrir um buraco causado pela partida pífia da dupla Martinez e Léo Lima, e Diego Souza que só acordou nos minutos finais. No ataque Lenny inexpressivo e Alex Mineiro tendo que vir até a intermediária adversária para buscar a bola, pois essa teimava em não chegar. Aliás, o vi armando o jogo ontem. Tudo errado.

Por tudo isso, não poderia ser diferente. Sufoco no início, milagres de São Marcos e, em uma das falhas mais recorrentes desse time de Luxembrugo, em um escanteio inexistente, falha do miolo de zaga, Jeci subiu(?) com o avante do Galo e perdeu. Essa não deu para o Santo.

Quando as coisas pareciam que iriam melhorar, pois o 'discípulo' de Luxembrugo, o técnico Gallo do Galo, deixa sua equipe recuar e o Palmeiras começa a equilibrar o jogo, o homem do apito arruma um pênalti para o Atlético. Bola na área verde, o lateral do verde Jefferson tenta tirar a bola e levante o pé, o péssimo árbitro Evandro Rogério Roman aponta a cal. Parêntese: Não foi pênalti, no máximo jogo perigoso e falta em dois lances, mas que o lance de nosso lateral foi bisonho, isso foi. Fecha parêntese. Na cobrança uma paradinha de quem nunca deve ter treinado isso e lá estava o Santo novamente. O Palmeiras leva só um a zero contra para o vestiário.

Broncas de Luxemburgo, algumas alterações durante o segundo tempo e o Palmeiras foi tomando conta do meio e encurrala o Galo, entretanto nada de chutes a gol. Do jeito que estava somente em uma bola parada poderíamos empatar o jogo. Na primeira chance desse tipo Gladstone quase empata (detalhe: Luxa desautorizou a cobrança de Diego Souza). Na segunda oportunidade Diego não cumpriu as ordens do chefe e mandou a bola no ângulo esquerdo do goleiro e empatou o jogo. No mesmo lance o violento César Prates foi expulso por chutar a bola, já com o lance parado, para longe. O Palmeiras encorpou e poderia ter virado o jogo, não fosse a já sabida dificuldade do Denilson em finalizar. Fim de jogo. Ganhamos um ponto e estamos no bolo. Dezessete pontos e fora do G4 pelo saldo de gols.

Destaques


Somente Marcos pelos milagres operados e Diego Souza por quinze minutos de, digamos, Diego Souza, e por ter desobedecido ao chefe e feito o gol de empate. O resto...

Na próxima quinta-feira, com uma ‘friaca’ danada (às 20:30), enfrentaremos em casa o fraquíssimo Figueirense. Valdívia volta, perdemos o Martinez, o Elder não joga por estar machucado, a dupla de zaga deve ser a mesma, Leandro pode ser que jogue. Mas, mesmo com um número ainda grande de desfalques tem que ser três pontos, e sem sustos.

No domingo jogo contra a Madame (mais três pontos). Por falar em Madame, o que será que fará o tribuinal? Fossem jogadores do Palmeiras seriam citados em artigo que suspende por 560 dias. Mas, se trata do time do Jardim Leonor, o time do procurador e o time do Promotor Público (aquele que acredita que a Mancha recebe treinamento do Hamas). Aliás, o que dirá a imprensa sobre a 'briga'? Fosse no Palmeiras dois jogadores se estapeando em campo a imprensa estaria explorando uma certa 'desunião' do elenco, estaríamos em crise. Mas, como lá é o Jardim Leonor, o time que dá chá com biscoitinhos para a imprensa, foi somente coisa de jogo.

Forza Palestra!

Bolão - resultado da nona rodada - atualizado

Eis o resultado da nona rodada do Bolão, já com a correção feita. Havia comido uma barriga ao estilo kfuriano, e não computado os pontos da rodada passada. O Renato foi quem me chamou a atenção para o fato. Valeu Renato. Desculpa a todos.

Obs: A situação de um membro da família Falavigna fica ainda pior (à porta da segundona):



Comentários

Em uma rodada onde vários apostadores deixaram de marcar seus palpites os líderes vão se estabelecendo e temos o Let´s Gol, pela primeira vez fora de zona de rebaixamento. Aliás, ele foi o maior pontuador da rodada. Os irmãos Falavigna; um por esquecer de anotar os seus palpites e o outro por ter sido o pior pontuador da rodada; caminham a passos largos para dar palpites - no próximo ano - na segundona. Sorte deles que os quatro piores na classificação não anotaram os resultados nessa rodada.

Assim, o jogo - com os esquecidos de plantão e com a falta de 'pontaria' de alguns - está ficando cada vez mais emocionante, pois na parte de cima a briga está ficando acirrada, e a diferença anda diminuindo. Por enquanto, a camisa segue sendo do Cavazza.

Ainda hoje a postagem para a próxima rodada, pois agora teremos jogos no meio da semana.

5 de jul de 2008

Piada: Resposta do enigma

Via: Bobagento

4 de jul de 2008

Piada

Essa eu não posso deixar passar batido. A criatividade é gigantesca:

O QUE É QUE COMEÇA COM FLA E TERMINA COM FLU?

Arrisquem um palpite. Deixem seus comentários. Amanhã posto a resposta.


______________________
* Pode até ser que eu esteja atrasado na piada, mas que é boa...

** Os créditos serão dados amanhã, senão perde a graça.

Bolão - 9a. rodada

A nona rodada do Bolão do Brasileirão está no ar, eis os jogos e meus palpites:

Mais do mesmo: Incoerência

Na última segunda-feira, assistindo o Linha de Passe, programa do canal ESPN-Brasil, quando os comentaristas estavam falando sobre o Palmeiras, o jornalista/colunista Juca Kfouri estranhou o fato de mesmo o time do Palmeiras estando bem, em ascensão – como costumam dizer, a torcida não estava comparecendo aos jogos. Que no Paulistão enchia-se o Palestra e no Brasileirão a torcida tem uma média de comparecimento muito baixa. Enfim, que a torcida parecia ter ‘abandonado’ (não foi esse o termo exato, mas o que pode ser inferir do comentário) o time.

No caso de Kfouri não estranhei. Por ser um jornalista ultrapassado, que não acompanha – nem de perto – as mudanças do mundo atual, o fato desse ‘abandono’ estar mais que explicado aqui e acolá (na Mídia Palestrina) não pôde ser percebido pelo ‘jornalista’, pois ele se gaba de não ler site de torcedores (para o azar dele, pois não está exercendo a profissão em sua plenitude. Uma das regras do jornalismo diz: ouvir todas as partes). Comeu mais uma barriga por isso.

Agora, me estranhou que o PVC, afeito que é a números, tenha apenas manifestado sua concordância com o fato e não tenha sacado de sua computador de mão e relatado os reais motivos desse abandono. Disse inclusive que a diretoria havia baixado o preço dos ingressos para que a torcida voltasse a freqüentar o Palestra. Não PVC, a diretoria não baixou o preço dos ingressos, aliás, majorou os mesmos.

Então, para ajudá-los, quem sabe alguém leia sites de torcedores, vamos aos fatos:

Primeiro ato: Na primeira partida do Brasileirão o Sr. Ebem Gualtieri, quinto vice-presidente do Palmeiras, em atitude nazi/fascista, majora o preço dos ingressos com o argumento que havia a necessidade de ‘qualificar’ o público que freqüentava o Palestra (qualquer semelhança com o post anterior não é mera coincidência. Aliás, como disse o velho e bom Marx, nos 18 Brumários, a história se repete primeiro como tragédia, depois como farsa). Então, os ingressos que no campeonato Paulista eram de R$ 20,00 passaram a R$ 40,00.

Segundo ato: A torcida através de sites de torcedores (Mídia Palestrina) propôs um boicote. Não deveríamos assistir ao jogo contra o Internacional, pois assim mostraríamos o nosso descontentamento. Cabe o registro que as organizadas também boicotaram. O resultado todos viram, público pífio.

Terceiro ato: A diretoria sentiu o golpe. Inclusive o ex-diretor de futebol Salvador Hugo Palaia desautorizou o Sr. Gualtieri naquilo que ele havia feito, e em um gesto ‘magnânimo’ ‘baixou’ o preço dos ingressos aos níveis que foram praticados no Paulista. Não voltaram aos R$ 20,00, mas votaram aos preços que foram praticados na final do Paulistão (R$ 30,00). A mídia palestrina continuou a sua campanha. Alguns ainda propondo a continuidade do boicote, outros denunciando esse absurdo.

Quarto ato: A diretoria parece que achando que o time se acertaria (como de fato está acontecendo) crê na volta da torcida ao estádio mesmo com esse preço irreal sendo cobrado. Pois bem, acreditamos, por aqui, que voltará mesmo, mas demorará um pouco mais que o esperado pelos gênios que dirigem o Palmeiras.

Para facilitar o entendimento dos descuidados jornalistas do Linha de Passe, abaixo publicarei uma pequena tabela com os preços médios de ingressos praticados pelos clubes que disputam a primeira divisão (a fonte é o site da CBF). É um cálculo simples: valor arrecadado em renda nos jogos como mandante, dividido pelo número de público médio presente nos mesmos jogos. Constatem: o Palmeiras pratica o MAIOR preço médio entre todos os clubes da primeira divisão do futebol nacional.

Está explicado: A TORCIDA NÃO ABANDONOU O TIME, FOI A DIRETORIA DO PALMEIRAS QUE ABANDONOU SUA TORCIDA.

Simples assim, sem muitas explicações sociológicas e sem teorias mais elaboradas. Basta uma olhadela mais atenta nos números da CBF ou mesmo uma passadinha nos sites de torcedores (aqueles que podem explicar os reais motivos de não estarem comparecendo ao estádio).

Aliás, tem um fato novo que pode baixar ainda mais o público no Palestra. Nos próximos jogos o Palmeiras jogará em sua casa somente no meio da semana, isso mesmo – algum gênio das tabelas – deixará que nosso time jogue fora aos finais de semana e somente atue perante sua torcida nas quartas e quintas-feiras, em horários do tipo 20:30 e 21:45 h, durante o inverno de São Paulo. Isso, com certeza também derrubará o público dos jogos. Mas, o preço dos ingressos, em um país onde o salário ainda é muito baixo, é o fator principal.

Eis a tabela:


Gran Finale: em breve, quem sabe, Juca Kfouri constatará a falta de negros, netos de italianos, putas e pobres nas arquibancadas do Palestra. Será, segundo sua observação, fruto da elitização de nosso futebol. Coisa que deixará o Palestra Itália, “...o bonito que é feio”. Pena que ele não lê site de torcedores para constatar que isso já está em curso, há muito, e seguindo receita de jornalistas que esquece aquilo que escreveu.

3 de jul de 2008

Incoerência

Acabo de ler no Blog do Kfouri um texto onde se constata (talvez se lamente) a falta de negros no estádio do Maracanã na final de ontem. Talvez isso se deva ao fato de nossos dirigentes estarem seguindo a receita de um colunista esportivo, que há alguns anos ditou a seguinte regra:

“Profundamente antipático o que eu vou dizer, sei que não vou ter a simpatia de ninguém, sei que é politicamente e absolutamente incorreto o que eu vou dizer, mas uma das soluções que eu vejo imediata é proibir, terminantemente, o futebol com portões abertos; futebol de massa nem pensar, porque é a senha para bandidos tomarem conta do estádio. Cobrar o ingresso e cobrar caro, cada vez mais caro, com cadeiras em todos os setores do estádio. Tornar o futebol um esporte para a elite, vão lá 40 mil abençoados por Deus, da alta classe média desse País(...) Evidentemente que não são os pobres os culpados pela violência. Os culpados pela violência a gente conhece desde a distribuição de renda neste país, mas infelizmente, 90% desses vândalos são do “lumpesinato”, são; são explorados, são; são um bando de desocupados, são... ou são explorados dessa gente, em regra os presidentes de ‘Torcidas Organizadas’; em regra cartola de clube de futebol, que subvenciona essa gente, por questões da política interna do Clube (...).

Drops

Ser assinante Speedy, da espanhola telefonica é - como já me disseram - padecer no paraíso. Hoje, o dia todo, fiquei sem conexão. Parece que o Estado de São Paulo todo - não o jornal, mas a 'locomotiva da nação', também ficou. Então, com um atraso de quase 24 horas, vamos a algumas impressões - em sua imensa maioria amargas - sobre o que assisti ontem à noite. Tudo em forma de drops.

Rede Globo - i

Quando é que nossos dirigentes (os dos clubes, os de federações, confederações e outros bichos) vão entender que não dá mais para aceitar os ditames da 'Vênus Platinada'? Um jogo terminando por volta da 1:30 h da manhã é um tremendo desrespeito. Desrespeito não só com aqueles que freqüentam estádio, mas desrespeito - inclusive - com aqueles que assistem aos jogos pela TV.

Rede Globo - ii

Não sei se foi a Globo que inventou o comentarista de arbitragem, mas é ela quem mais dá 'status' a esses 'especialistas'. No caso da 'Vênus' o gênio do apito eletrônico é o maravilhoso, estupendo e magnífico Arnaldo César Coelho. Gostaria poder ter o poder mágico de transferir o comentarista para o campo de jogo sem o recurso do VT, e ver como ele se sairia. Condenar o árbitro por aquele pênalti no Washington, sendo que o árbitro estava correndo por detrás do lance, e depois o ‘malhar’ por todo o jogo, é fácil. Queria ver ele lá, no momento exato do lance, agindo, tendo que apitar. Ops! Ele marcaria o pênalti, pois sempre foi um árbitro covarde, caseiro, sempre fez média, como faz até hoje em seus comentários. Abaixo essa covardia! Abaixo os comentaristas de arbitragem, pois com replay até eu.

Rede Globo - iii

Essa é para a Rede Globo e todos os outros canais, que por mais que tentem se diferenciar não conseguem. Todos caem no senso comum, todos se nivelam - e por baixo. Seja na aberta, seja na paga. Seja Sportv, seja ESPN. Digo isso, porque percebo que há uma semana eles já acertavam o resultado (vitória do Flu) e os comentários sobre o jogo de ontem destacavam, em sua imensa maioria: "A LDU não é adversário para o Fluminense", por isso, a certeza de que o título já estava no Brasil-il-il... O resultado no jogo de ida foi apenas um desastre, um erro divino, pois o nosso time (afinal, Fluminense é o Brasil na Libertadores) além de ser melhor, não teve sorte na primeira partida. O fato de o time brasileiro não ter em seu elenco ninguém, repito, ninguém, que jogue ao menos parecido ou no mesmo nível que o LATERAL Guerrón nem foi mencionado. Aliás, nem foi mencionado o fato do time da LDU ter jogado - nas duas partidas - um futebol melhor que a maioria dos times que atuam por aqui. Só desprezo e empáfia, afinal - como disse hoje um comentarista da Sportv - o futebol brasileiro deve estar em baixa, pois perdemos para o futebol equatoriano. Ai, meu Deus!

Efeito...

Rede Globo - iv


Parece que muitos otários ainda entram no oba-oba. Acredito (juro que sim) que o Renato Gaúcho usou aquelas frases feitas (coisa de auto-ajuda, coisa de quem acha que animará um grupo com frases, digamos, vencedoras) as usou apenas no intuito - como direi? - de animar o seu grupo. Não era certeza de jogo ganho. Mas, que aconteceram coisas estranhas, aconteceram! O que eram aquelas serpentinas tricolores (bordô, verde e branco) que foram atiradas na comemoração da LDU? Será que o oba-oba, a empáfia, o já ganhou - típicos do ufanismo global que nos assola - não contaminaram o espírito tricolor? Que foi estranho foi. Tão estranho como a atitude dos jogadores do Fluminense que ao retornarem ao gramado para receberem suas medalhas de VICE estavam visivelmente contrariados - para dizer o mínimo - em receber as medalhas de prata.

Menos, menos...

______________________
Leiam aqui o que escreveu o Blog xará sobre a derrota tricolor.

Em tempo: Durante o imbróglio Thiago Neves, lendo uma mensagem de um torcedor do Fluminense no Orkut, onde este - para justificar o porquê TN deveria permanecer nas laranjeiras - destilava todo tipo de impropérios contra a história do Palmeiras. Já naquela época, esse MENINO demonstrava não conhecer a história de seu time, pois só o fato do Palmeiras ter vencido a Copa Rio em 51 e ter sido sucedido pelo Fluminense em 52, mostrava a grandeza de ambos, mas ele quis ignorar - ou ignora - ambos os fatos. Lembrei-me - mesmo não recordando o seu nome - dele ontem durante todo o jogo. O Fluminense continua grande - aliás, maior do que já era. Pena que alguns tricolores - tal qual os daqui - não sabem o que signifique história.

A propósito
: Torci contra o Fluminense. Como torceria contra o Corinthians, o Flamengo, o Ipatinga, o São Bento de Sorocaba...

1 de jul de 2008

Paradinha: A falsa polêmica

A penalidade máxima, o velho e bom pênalti, somente deve ser cobrada quando, de alguma forma, alguém do time que está prestes a sofrer um gol impede de forma a ferir a regra do jogo, o gol adversário. Por isso, entendo que o tal espírito da lei, aquilo que o legislador entende como certo ao punir o infrator e beneficiar - ou melhor explicando, ressarcir o penalizado em seu direito, como sendo em beneficiar (ressarcir, como já disse) o que estava prestes a conseguir – no caso do futebol – o gol e de maneira ilegal lhe foi subtraído esse direito.

Por isso, a lei beneficia o cobrador, na teoria, representante daquele que estava prestes a conseguir o feito maior do futebol (o gol) e foi impedido, e penalizar – dificultando ao máximo – que o infrator consiga o intento de maneira ilegal. Por isso, se dificulta a defesa do goleiro e se tenta, de todas as formas, que aquilo que estava prestes a acontecer (o gol) aconteça.

Desta forma, não coaduno a opinião daqueles que querem acabar com a paradinha – ou paradona, como se optou em chamar os lances de panalidade máxima cobrados nos últimos dias. Acredito, que para que o espírito da lei seja cumprido, para que os infratores não levem vantagem, para que não se parem lances claros de gol com a infração, com a falta, com o anti-jogo, deve-se sim beneficiar o cobrador, o infrator – deve sim – ser penalizado. Não quero com isso dizer que o anti-jogo, a infração, a falta, deve ser banida do jogo, não, ela é parte do jogo, por isso existe um árbitro, existem as regras. Mas, a regra deve sempre beneficiar aquele que sofreu a penalidade.

Pobre goleiro?! Sim, mas problema dele. Que ele invente também maneiras de se ‘beneficiar’ da regra. Que se movimente na linha (o que é permitido), que atrase a escolha do canto ou que não o escolha; com isso – quem sabe – atrapalhe o cobrador e impeça o gol. Também é do jogo.

No mais, isso é choro de quem até o ano passado não viu problema algum em o Palmeiras não ter marcado a seu favor nenhuma penalidade até a última rodada do Brasileirão (extensamente denunciado por nós da mídia Palestrina). Esse ano a história se inverteu, e como não somos o ‘mais querido’ – pela mídia, a falsa polêmica se instalou.

Vida longa a paradinha. Ela faz justiça ao penalizado.

Dos que, ou de quem, ouvi defesa e ataque à paradinha somente o PVC pensa como eu. O restante se atém apenas à regra ou, em alguns casos, pedem que ela seja mudada, em defesa do goleiro. Só não entendem que isso beneficiaria o anti-jogo, o infrator.... O problema é que esses são os mesmos que defendem o futebol arte, o gol, a lisura. Coisa mais esquizofrênica. Vai entender!

É isso.

Patriotada

Essa postagem nada tem a ver com o Palmeiras. Coisa que não costumo fazer aqui neste espaço. Trata-se de alguns comentários sobre manchetes e pronunciamentos de parte de integrantes da mídia esportiva. Coisa do tipo: 'O primeiro brasileiro a vencer a Eurocopa'.

Me estranha muito essas afirmações, pois se a Eurocopa é uma competição disputada por seleções nacionais, compostas - por força do regulamento - por cidadãos de um determinado país, se o Brasil na faz parte da Europa, é então - IMPOSSÍVEL - existir um brasileiro campeão de tal torneio. Ah! Dirá o dileto leitor, mas Marcos Sena, que se sagrou campeão pela Espanha é brasileiro, nasceu no Brasil. Eu, de meu turno, respondo: E daí onde ele nasceu? O cara não optou por ter cidadania, passaporte, benefícios e, acima de tudo, defender uma seleção de outro país? Então, meu caro, como diria o outro: 'A Inês é morta!'. ELE NÃO É BRASILEIRO COISA NENHUMA. Ele é, independente de onde nasceu, independente do (digamos) sangue que lhe corre nas veias, um cidadão ESPANHOL.

Essa coisa de 'primeiro brasileiro a vencer a Eurocopa' é, no mínimo, uma falta de senso. Coisa de quem não enxerga um palmo adiante do nariz. Coisa de quem acha ser o Brasil o umbigo do mundo.

Hoje, em um programa da SPORTV (não me lembro o nome do programa) houve uma discussão sobre o tema, onde alguns diziam que essa coisa de naturalizações 'por causa do esporte' irá acabar com o, vejam só, esporte. Que os organismos esportivos deveriam fiscalizar, impedir, estabelecer regras, pois o Catar, por exemplo, ao contratar algum atleta está o obrigando - por contrato, mesmo que não escrito – a se naturalizar e defender as cores do país em competições internacionais.

Outros no mesmo programa disseram que há casos e casos. Como que estabelecendo que existam naturalizações válidas e outras não válidas. Se pude entender as válidas são aquelas por 'amor ao país' (altruísmo). As não válidas são aquelas de motivações de foro egoísta. Quem decide qual deve ser válida é o que não sei.

A vontade e o desejo do sujeito e mesmo o dinheiro (porque não?) pago a ele, não deve ser levado em conta. Por exemplo: Um rapaz do alto de seus 15 anos de idade vai para, digamos, a Espanha. Lá estuda, lá sua família se estabelece e se naturalizam espanhóis. Lá ele começa - no colégio - a praticar futebol, um grande clube de lá o vê em ação e o contrata para praticar o esporte em suas categorias de base. Ele se profissionaliza e é reconhecido como bom jogador; a seleção da Espanha o chama para atuar na Eurocopa, na Copa do Mundo. Ele faz o quê? Diz não? Diz que é brasileiro, mesmo o sendo só de nascimento.

Depois vêm alguns e dizem que o último refúgio dos canalhas é o patriotismo. Não, não é. O refúgio dos canalhas é a patriotada. Dentre elas está essa de dizer que Marcos Sena, Deco, Curani, dentre outros, são brasileiros. Eles são por opção - seja altruísta ou egoísta - cidadãos de outras nacionalidades. O resto é papo de quem quer estabelecer regras para tudo e enxerga seu país como o umbigo do mundo. Estes querem regras até para estabelecer se uma pessoa tem o direito ou não de decidir de que país quer ser cidadão.

Sei que o tema merece uma reflexão mais profunda. Não é aqui o foro. Mas, não pude deixar de escrever algo, pois isso vem me incomodando há tempo.

Parabéns à seleção da Espanha pela conquista da Eurocopa. Parabéns ao ESPANHOL Marcos Sena pelo título.

__________________
Em tempo: Sobre o fato de JK ter dado uma estocada em seu desafeto, Vanderlei Luxemburgo, até no post sobre a conquista espanhola, não vou nem comentar. É uma coisa que está se tornando doentia. Não merece nem comentários.