A ARQUIBANCADA NA REDE - WEB ARQUIBANCADA
"Em 40 anos de jornalismo, nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal". (Cláudio Abramo, que dirigiu Folha e Estadão)

Busca

Pesquisa personalizada

30 de mar de 2008

Aprendizado

Eis minha primeira incursão pelos campos do YOUTUBE e da filmagem pelo celular. Sei que vou melhorar e me aperfeiçoar na coisa, mas é apenas uma experiência.

Torcida Palmeirense se concentrando na Rua Turiassu para o jogo contra o S. Caetano.

29 de mar de 2008

Patético

Quer ler algo patético? Quer ver um sujeito que para comprovar aquilo que pensa briga até com as evidências?

Esse sujeito - fosse um animal, daqueles que precisam apenas seguir olhando para frente (tipo um burro), usaria aquele aparato que não o deixa enxergar lateralmente, e que somente o permite ver o destino; o seu destino, a insignificância.

Leiam isso: Blog do mínimo.

Prestem atenção nas respostas bem articuladas e idéias concatenadas do sujeito. É digno de pena.

Torcedoras

A pedidos republico o endereço da página onde aparecem as fotos das torcedoras das equipes argentinas e fica a sugestão de que o Palmeiras implante esta iniciativa, como sugestão de nome: las cerditas.

Serginho, essa é pra você. Se liga nas fotos das las Lechuguitas!

Classificado

Pois é. Acabo de voltar do Palestra e mais que a comemoração pela classificação fica a impressão que este time é um time vencedor. Tem toque de bola, jogadas ensaiadas, aproximação pelas laterais, triangulações, talentos individuais, conjunto, mas principalmente, tem pegada, tem gana, tem 'sangue no zóio'; vontade de vencer.

Um lance ilustra essa gana de vencer do time. Não foi nada brilhante, não foi uma jogada daquelas de levantar a arquibancada, pode até ter passado desapercebida por muitos: início do jogo, zero a zero, ataque do S. Caetano pela esquerda, o avante deles leva a bola até a lateral, finta o David, aparece o Granja, finta o Granja e lá estava de novo o David para roubar-lhe a bola. Tudo isso aconteceu muito rápido, mas os dois defensores do Palmeiras não deram sossego ao avante do azulão enquanto não lhe roubaram a bola. Muito diferente do ano passado. E tem gente (na imprensa, é claro) que ainda diz que com esses jogadores o CJ faria um bom trabalho. Não queremos bom trabalho, queremos um time vencedor, com espírito de vencedor, queremos título. Ele virá.

Outro exemplo claro dos novos tempos é a forma como vem jogando o Leandro. Comentei hoje com os amigos da arquibancada que o Palmeiras fez bem em contratar esse bom lateral esquerdo. Estreou este ano.

O mesmo vem acontecendo com o Pierre, que até gol fez. O Valdívia tem gana de fazer gols, aliás, que golaço. Antes disso havia matado uma bola que é coisa de quem sabe muito: bola espirrada que ganha as alturas, um jogador comum a dominaria, ela fugiria de seu pé e ele conseguiria - com alguma dificuldade - dominá-la. Não foi o que fez o Valdívia, ela parou em seu pé direito, parecia que como o reverenciando havia abraçado o seu pé; o pé do craque.

Estamos classificados. Agora que venha a semifinal, seja quem for o oponente com esse futebol e espírito de entrega não temos adversários. Claro que o futebol não é assim tão fácil, um jogo difícil (como será a semifinal), um lance fortuito e tudo pode ir por água abaixo, mas só o fato de ver a torcida novamente com a estima em alta, vibrando e sendo correspondida por onze guerreiros em campo já vale a pena.

Notas

Marcos - Até em lance parado ele pega tudo. Quase pegou o pênalti cobrado pelo gambazito: 9;
Granja - Marca, ataca, cruza, dá combate, cobre a zaga. Um gigante: 9;
Henrique - O de sempre, muita regularidade e ainda aparece no ataque, quase fez o dele hoje: 9;
David - O renascimento da velha promessa, seguro e combativo, quando precisou dar chutão o fez: 9;
Leandro - Onde o Palmeiras achou esse lateral para contratá-lo?: 9;
Pierre - Falar o quê? Marcou, desarmou, correu, marcou o seu primeiro gol com a camisa do verdão. Apenas precisa melhorar o passe: 10;
Martinez - Uma de suas melhores partidas com a camisa do Verdão: 9;
Valdívia - Craque, golaço, jogadas de efeito e passes precisos. Além disso, sabe jogar o jogo, tomou o cartão que precisava: 10;
D. Souza - Não sei não, acho que o esquema não o favorece, mas pelo espírito de luta e entrega: 9;
Denilson - Correu, tentou armar, driblou, perdeu gol feito. Não faltou espírito de luta. Até pique de 50 metros - mesmo com sua idade - ele deu: 9;
A. Mineiro - Nove-Nove. Fez gol, fez parede e, como todo cara que está lá, se apresenta e não se omite, perde gols incríveis: 10;
Makelele - Correria e cumprindo papel que lhe foi outorgado (marcar e fechar os espaços): 9;
Wendel - Idem ao Makelele. Ainda fez jogada - no último minuto - que quase me fez acertar o resultado dos PARPITES do Blog Parmerista: 9;
Preá - Correria, entrega e presença de área. Não fosse um corte providencial do zagueiro teria deixado - novamente - o seu: 9; e,
Luxemburgo - O time joga ao seu estilo. Toque de bola, inversão de jogadas, triangulações, jogadas de efeito quando possível, muita entrega e transpiração. Sabe o que faz, APESAR de alguns 'jornalistas' ressentidos e que não sabem nada: 10.
Torcida que canta e vibra - Mais um show. Arquibancadas cheias e nem um minuto sem cantar e incentivar o time: 10; - Amanhã tentarei subir um vídeo da concentração da torcida verde, lá na Turiassu. Como disse, tentarei, pois é a primeira vez que faço isso. Não sei nem como fazer.

______________________
Hoje consegui comprar ingresso na bilheteria para sócios sem muita fila, sem impedimentos e constrangimentos. Olha que faltava apenas uma hora para o início do jogo. Mas, do lado de fora como é praxe, cambistas estavam ‘assaltando’ os torcedores e vendendo ingresso (convites, como ouvi um dizer) de arquibancada por R$ 50,00. Como eles conseguem fazer isso nós imaginamos, gostaríamos é de saber quando isso vai acabar.

______________________
Ficha técnica

PALMEIRAS 3 X 1 SÃO CAETANO

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 29 de março de 2008 (sábado)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Robério Pereira Pires (SP)
Assistentes: Carlos Alberto Funari e Luis Alexandre Nilsen (SP)
Cartões amarelos: Denílson, Valdívia e Pierre (P); Aderaldo e Luís (SC)
Público: 23.027 pagantes
Renda: R$ 628.335,00
GOLS: PALMEIRAS: Alex Mineiro, aos 23, e Pierre, aos 37 minutos do primeiro tempo. Valdívia, aos 24 minutos do segundo tempo.
SÃO CAETANO: Douglas, aos 30 minutos do segundo tempo.

PALMEIRAS: Marcos; Élder Granja, Henrique, David e Leandro; Pierre, Martinez, Valdívia (Makelele) e Diego Souza (Wendel); Denílson (Jorge Preá) e Alex Mineiro
Técnico: Wanderley Luxemburgo

SÃO CAETANO: Júlio César; Aderaldo, João Paulo e Tobi; Rogério (Daniel), Galiardo, Hernani (Luan), Douglas e Andrezinho; Tico e Marcelinho (Rafinha)
Técnico: Pintado

_______________________

Que venha quem vier. Esse ano gritaremos É CAMPEÃO!

Xeque-Mate

No 3VV há a reprodução de uma troca de opiniões entre um leitor e o JK.

Reproduzo o post do 3VV sobre isso. Lá eles chamaram de snookado, eu - por aqui - chamo de xeque-mate. Eis:

Ronaldo Perrella me indicou um artigo do Juca Kfouri em seu blog no dia 23 de março. Lá JK dizia que o Corinthians era verdadeiramente um clube transparente (por ter divulgado a relação de jogadores com contrato com o clube e seus empresários).

Criticou a falta de transparência do Palmeiras por seus dirigentes tratarem o tema como uma informação confidencial.

Aí o Ronaldo, extremamente paciente, iniciou o seguinte debate (leiam abaixo a troca de comentários):

[Ronaldo] [Santo Andre/SP]

Por que raios uma empresa deve ser transparente em seus relacionamentos
comerciais? A Grupo Folha e' transparente? A ESPN Brasil e' transparente? O UOL
e' transparente? A CBN e' transparente? CLARO QUE NAO!!! E' dever de quem as
dirige resguardar as informacoes que divulgadas podem trazer prejuizos ou
danos.

26/03/2008 18:43



RESPOSTA: Porque nenhuma dessas empresas é de
interesse público como os clubes de futebol, a CBF, etc, patrimônios culturais
brasileiros, segundo a Constituição Federal.




Depois o Ronaldo incluiu novo comentário:

[Ronaldo] [Santo Andre/SP]

Caro Juca Vc levantou uma questao interessante na sua resposta. Futebol e'
um patrimonio cultural? Ou e' um business do ramo de entretenimento? Um
patrimonio cultural deve ser transformado em (clube)empresa? Qual o modelo de
gestao que os clubes brasileiros devem adotar para se tornar competitivos com os
clubes europeus? Ou ate mesmo competitivos com os clubes mexicanos, que sao
reconhecidamente mais ricos que os clubes brasileiros.

27/03/2008 10:16




Opa! A chamada "snookada": se ele fala que é patrimônio e bla bla bla, não pode ser profissionalizado. Se não pode ser profissionalizado os gestores têm que ser amadores, e o modelo não vai sair disso que temos aí hoje.

Se ele tentar consertar - como fez no caso Valdívia - vai ficar bom porque aí, se for "business", como tal e não sendo empresa de capital aberto, não tem que dar satisfações ao público de maneira geral.

E agora?

Belo lance Ronaldo, Saudações Alviverdes!

Veja o artigo no link:

http://blogdojuca.blog.uol.com.br/arch2008-03-23_2008-03-29.html#2008_03-26_13_41_01-9991446-0.

Isso vai dar merda

Hoje é dia de jogo do Palmeiras no Palestra contra o São Caetano. Dando uma rápida olhada pelos Blogs Palestrinos me deparei com essa notícia, lá no Parmerista: Para bom entendedor...

Nota da Torcida Mancha Alvi-Verde para Promotoria/ 2.Batalhão de Choque/Federação Paulista de Futebol/Imprensa e também para os “Aproveitadores de plantão”.

Como é de conhecimento de todos a torcida Mancha AlviVerde foi punida e está proibida de entrar nos estádios com seus instrumentos, faixas e camisas até o final do Campeonato Paulista.

Mesmo discordando da punição, afinal de contas acreditamos que a punição deve ser aplicada a pessoa que cometeu e não a entidade.

Até mesmo para mostrar que o sistema que “eles” (F.P.F/MP/PM) criaram e da qual foram gastos com dinheiro público (nosso dinheiro) aproximadamente R$ 4 milhões de reais tem alguma finalidade.

Criar o CARTÃO DO TORCEDOR e separar um espaço nos estádios para alocar as organizadas tinha um objetivo: que era diminuir a violência identificando e punindo quem a comete.

Tiveram a chance de usar o sistema criado, até certo ponto inteligente, acabaram não sendo sensatos e usaram a tática “Capez” de ser: “um ou outro aparecendo, a mídia sensacionalista entra em ação, e no final punem toda uma entidade”.

Se era para fazer isto quando ocorresse o primeiro problema com organizadas então por que criaram esse CARTÃO DO TORCEDOR ?. É melhor nem pensarmos senão podres e desvios de verbas públicas podem aparecer ai. Vamos ao que interessa:

A entidade MANCHA Alvi-VERDE oficialmente ACATA a punição que nós foi imposta e vai mais além a partir de 27/03/2008 até 04/05/2008 (final do Paulistão) estamos SUSPENDENDO todas nossas atividades.

A entidade MANCHA Alvi-VERDE não se responsabiliza por atos individuais de seus associados e também:

- Não nos responsabilizamos pelas camisas da MANCHA que possam a entrar nos estádios,
- Não nos responsabilizamos por músicas de apologia à violência cantadas nas arquibancadas.
- Não nos responsabilizamos por brigas ou tumultos generalizados.
- Não nos responsabilizamos por sinalizadores, fumaças, piscas, bandeiras que possam entrar nos estádios.
- Não vamos participar de reuniões no 2.Batalhão de Choque em eventuais clássicos.
- Não vamos fazer caravanas para os prováveis clássicos no Morumbi.
- E principalmente não vamos atrapalhar em nada o trabalho do Ministério Publico e do 2.Batalhão de Choque.
- Tentamos de todas as formas ajudar, colaborar e como não foi possível saímos de cena. E desejamos toda sorte e um pouco de competência aos responsáveis.

Estamos proibidos e ACATAMOS a decisão “deles” e novamente NOTIFICAMOS que a Diretoria da Mancha e a entidade MANCHA Alvi-VERDE NÃO SE RESPONSABILIZAM POR ATOS ISOLADOS, POR ATOS PRATICADOS POR INDIVÍDUO SENDO ELE SÓCIO DA MANCHA OU NÃO....A MANCHA ALVI-VERDE ESTÁ PUNIDA E A ENTIDADE NÃO VAI AOS JOGOS....AS PESSOAS CONTINUAM INDO AOS JOGOS....OS PROBLEMAS CONTINUAM... E A VIDA TAMBÉM.

Atenciosamente,

Diretoria Mancha Alvi-Verde


O Conrado, do Parmerista, termina o post e a publicação da nota da Mancha com a seguinte observação: "vai dar merda, coronel!"

Eu também acho, e para ilustrar isso aí vai um vídeo que pode ser profético:

27 de mar de 2008

Mais um capítulo

E a saga do editor deste Blog, sócio do Palmeiras, em conseguir ser bem atendido pela diretoria do Palmeiras continua. Ontem mais um capítulo e o placar é de: Desrespeito 3 x 0 Torcedor Palmeirense.

Dessa vez consegui assistir ao jogo. Fui com dois amigos que não são sócios. Enquanto eles tomavam uma cerveja, assistiam ao jogo da Ponte Preta e saboreavam uns quitutes da Losteria Palestra, eu enfrentava uma fila na bilheteria dos sócios, aquela interna ao clube.

Quando chegou a minha vez, de novo havia acabado o ingresso de arquibancada. Mas, desta vez havia uma solução, me venderam ingressos do setor reservado às torcidas organizadas. Isso mesmo, daquela jaula que foi construída, a pedido do ministério público, para isolar os torcedores organizados daqueles que eles chamam de ‘torcedores comuns’.

Mas, espera aí, se é para isolar (o que eu sou contra, parece coisa da nazista, fascista) como é que vendem ingressos para aquele setor para uma pessoa que não é de organizada?

No fim das contas assisti ao jogo, tive que dar uma tremenda volta, pois a entrada para aquele setor é pela Francisco Matarazzo, não havia isolamento, me ‘acomodei’ no lugar onde sempre fico (na curva da ferradura, lado direito do placar eletrônico). Mas, que a coisa é estranha é.

Enquanto isso, no lado de fora, cambistas ofereciam ingresso para qualquer setor ao mesmo preço das bilheterias (R$ 30,00). O problema é que esses ingressos eram de meia entrada: os reservados para estudantes. Quanto aos verdadeiros estudantes? Sei lá se conseguiram usufruir de um benefício conquistado em lei.

Mas, não é mesmo um Ingresso Fácil!

Drops

1. Vitória de superação. A Lusa optou pela retranca, mesmo provocando alguns sustos devido a jogar no contra-ataque, mesmo sendo o time que mais necessitava do resultado. Coisa de time pequeno. Agora ficam chorando, feito bambis, porque o juiz deu 5 minutos de acréscimo. Mas, acréscimo é só para uma equipe ou as duas continuam jogando?

2. Esse time tem cara, pinta, jeito e alma de campeão. Como se diz no interior, tem 'sangue no zóio'. Veja o que escreve sobre isso o 3VV. E tem 'jornalista' que critica o Luxemburgo, escreve e elogia o time, diz que tem um grupo forte, mas que não tem padrão de jogo. Será que se digna [o referido 'jornalista'] a - pelo menos - assistir os jogos pela TV ou apenas vê os 'melhores momentos'?

Fui alertado em um comentário que o tal 'jornalista disse, na realidade, que o Palmeiras não tem padrão tático. Conferi "in loco" a minha comida de bola e não é que ele disse isso mesmo. Como comentou o leitor que catzo será que ele quer dizer com padrão tático?


3. Para esse mesmo 'jornalista' o 'boa praça' Muricy é gênio. Deixa o Borges no banco - mesmo ele sendo melhor atacante do time leonor - ele entra e resolve. Foi uma substituição de gênio. Luxemburgo coloca o Preá, desconhecido, estreante, ele entra resolve e o Palmeiras venceu 'apesar do Luxemburgo'. Vai entender! Coisa que só psiquiatra pode explicar, ou quem sabe um psicólogo, sugiro um Behaviorista. Assim será tratado como o ratinho que é.

4. Os cadernos de esportes estão cada dia piores. O do Estadão é sofrível. Tem um setorista que cobre o Palmeiras que tenho a impressão que reporta os jogos do Palmeiras de sua sala de estar, vendo TV. Tudo que diz é o que foi dito pelos canais onde o jogo foi transmitido. Na reportagem de hoje sobre o Palmeiras não sei se isso aconteceu, pois fui ao estádio e por isso não acompanhei o jogo pela TV, mas o tal de Daniel Akstein Batista, desta feita coadjuvado por Giuliander Carpes, me saiu com essa: "...A campanha é boa, mas o Palmeiras ainda não mostrou futebol que o credencie ao título. Em várias das últimas 11 partidas de invencibilidade (10 no Estadual e 1 na Copa do Brasil), o time sofreu para conseguir a vitória (já são sete consecutivas). Falta, às vezes, uma boa apresentação, que empolgue a torcida. Sobram vontade e raça." Então ta!

5. Por falar em qualidade da imprensa esportiva, leia no Blog do André Falavigna texto sobre o tema. Está lá em "Deixem-me dar mais este outro exemplo, por caridade".

6. Na linha do conflito de interesses vejam essa interessante reprodução (logo abaixo) de um produto do SPFW. A iniciativa está em um caderno de esportes, é patrocinada (dentre outros) pelo grupo que edita esse caderno de esportes e por um canal de TV a cabo que transmite os jogos do time. Já falamos aqui sobre isso, sobre o fato de o SPFW ter ações de marketing em um importante jornal de esportes. Mas, parece que sobre isso os arautos da moralidade não querem falar. Aliás, até agora o principal deles não disse nada sobre o fato do canal em que ele trabalha ser patrocinado pelo IWL, fato que pode caracterizar em última análise que ele, indiretamente, recebe salário de dinheiro que provém do IWL.

7. A JP também patrocina a iniciativa so SPFW. Isso explica muita coisa, não tudo, mais muito dos motivos de tamanho ódio e perseguição por parte dessa rádio contra o Palmeiras. Eu não ouço mais nada por lá; e você Palmeirense?



É isso.

26 de mar de 2008

Enquête – Resultado

Foram 99 respostas. Lembrando que havia a possibilidade de marcar mais de uma opção. O resultado foi o seguinte:

Palmeiras: 95 leitores acreditam que o Palmeiras será um dos semifinalistas do Paulistão, ou seja, 95%. Mas, isso quer dizer que tem quatro (4) espíritos de bambi ou de gambá que estão secando a pimenteira. São leitores do Blog, mas jogam no outro time;

Guaratinguetá: 92 leitores acreditam no Guará. Confesso que o editor do Blog também;

Corinthians: 62 leitores apostaram no time da marginal sem número. Número alto pelo futebol que eles vêm apresentando. A ver;

Ponte Preta: 51 leitores. Acho que vão quebrar a cara, pois acredito que se tem um time que pode sair do G4 é a Ponte;

SPFW: 42 leitores apostaram no time do Jardim Leonor. Ainda têm chances, mas não estão jogando nada, e choram feito meninas a cada derrota; e,

Barueri: 37 apostam no Barueri. Acho que estes dançaram.

Santos: O editor do Blog não colocou o time da baixada na enquête, não acreditava nele. Continuo não acreditando. Hoje veremos se mudo de idéia.

Então, segundo os leitores, teremos: 1º. Palmeiras, 2º. Guaratinguetá, 3º. Corinthians e 4º. Ponte Preta. Se for isso as semifinais terão: Palmeiras x Ponte Preta e Guaratinguetá x Corinthians.

Aguardem a enquête das semifinais e da final.

Valeu pela participação. Até para ‘os seca’ pimenteira, assim ajudam o Blog a crescer.

Quero ver no bolão do Brasileirão onde apostar contra o Palmeiras e acertar significa perder pontos.

_______________________
Eu jurava que se escrevia enquete sem acento, mas como o corretor de texto insistiu em me corrigir fui dar uma olhada em um dicionário online. Lá está:

enquête: en.quê.te
(anquét') sf (fr) V pesquisa.

Fonte: http://www.uol.com.br/michaelis/.

Quem está certo, eu o Michaelis?

25 de mar de 2008

Kleber 3 jogos de suspensão por ato hostil

Os advogados do Palmeiras trabalharam bem, conseguiram desqualificar a acusação de agressão contra o atacante Kleber, que foi enquadrado em outro artigo do código (ato hostil), e pegou - por este artigo - a pena máxima, ou seja, 3 jogos de suspensão.

Não cabe aqui, neste post, julgar se a pena foi justa ou injusta, o que quero é mostrar que as coisas vêm mudando, e muito, pelos lados do Palestra. Leia aqui, aqui, aqui e aqui o que foi noticiado sobre o julgamento.

Não tenho dúvida que há algum tempo, com uma diretoria omissa que tínhamos, nosso atleta seria suspenso e nos desfalcaria pelos 540 dias previstos como pena máxima por agressão. O fato é que se há a palhaçada do tribunal, com auditores, procuradores e advogados, temos que saber atuar neste campo também. Sou contra essa palhaçada, mas se ela existe temos que saber 'jogar o jogo' por lá também. Essa diretoria está se mostrando atenta e profissional também neste campo e conseguiu livrar nosso atleta de uma pena pesada.

Mas, não podemos nos esquecer do trabalho que vem sendo feito pela mídia Palestrina. Esta - durante toda a semana - noticiou, denunciou, cobrou, pressionou, e mostrou para todos a aberração que é esse tribunal, além de mostrar a existência de conflito de interesses, já que muitos auditores e procuradores do TJD são conselheiros de clubes, ou seja, podem estar 'advogando' em causa própria ou defendendo os interesses da agremiação da qual são dirigentes. Leia aqui e aqui o que já escrevi sobre o tema.

A imprensinha não vem cumprindo seu papel. Já mostrei aqui, o OV mostrou por lá, e o mesmo fizeram vários outros amigos da mídia Palestrina, que eles - no máximo - falaram sobre o assunto, quando não tiveram posição dúbia sobre o caso.

Por isso, o OV lança uma campanha, a qual aderimos e colaboraremos. O OV (e todos nós) quer saber se há mais pessoas que possam ter algum tipo de conflito de interesses no 'egrégio' tribunal.

Leia abaixo a sobre campanha e como colaborar, e se puder ajudar o faça. Assim, colaboraremos por um futebol mais justo (em todas as suas instâncias, até nesta aberração que é o tribunal) e cumprimos nosso papel de Palmeirenses e torcedores.

OV: jornalismo participativo contra o conflito de interesses

Julgamento realizado, Kléber pega um gancho de três jogos. Justa ou não a punição (você achou o quê? comente!) a boa notícia é que o número 30 poderá jogar nas semi-finais.

Mas nosso problema continua. Não é porque Kléber não pegou os tão falados 120 a 540 dias que os problemas institucionais do TJD se acabaram. Novos casos certamente surgirão e a questão do conflito de interesses em breve virá novamente à tona.

E aí temos um problema de informação, para o qual a imprensinha poderia contribuir mas duvido que o faça. Já sabemos que Zago é presidente do Conselho Fiscal do time do Jardim Leonor. Sabemos também que Alberto Bugarib é conselheiro leonor. Embora não pertença ao TJD, sabemos também que Marco Polo Del Nero, presidente da FPF, é conselheiro do Palmeiras (segundo declaração de Zago, é Del Nero que convida os participantes do tribunal. Então: vaza!). Mas e os outros membros do TJD?

Então queremos propor um exercício aos amigos palmeirenses: que tal reunirmos informações para fazermos um mapa do conflito de interesses no TJD paulista? Aqui no OV, informalmente, já realizamos alguns exercícios de jornalismo participativo/colaborativo/cidadão, como os comentários sobre as transmissões dos jogos e a observação coletiva da imprensinha. Mas não seria bacana termos um desenho completo de quem é quem nesse tribunal? Nada pessoal, Bugarib, Del Nero, Zago e outros podem ser caras muito gente boa. O fato é que a instituição está construída de modo torto e desnudar isso pode ajudar em sua melhora.

Nosso trabalho terá duas fases. Na primeira temos que reunir informações sobre os membros do tribunal. Se já detectarmos algum conflito de interesses, ótimo, mas o objetivo principal é conseguir um telefone ou email de contato. Pelamordedeus não publiquem isso comentários. Indícios de conflito de interesses (um link, uma reportagem) tudo bem, mas informações de contato devem ser enviadas ao email obverde@gmail.com (já explico o porquê).

Não será uma tarefa fácil. O tribunal tem muitos membros, que se dividem em auditores, procuradores e as comissões disciplinares. Abaixo a lista extraída do site da FPF:

Auditores-Tribunal de Justiça Desportiva
Dr. Edmo João Gela - Presidente
Dr. Ivaney Cayres de Souza - Vice-presidente
Dr. Ronaldo Botelho Piacente
Dr. Dauro Löhnhoff Dórea
Dr. Ricardo Bandle Filizzola
Dr. Nicolao Constantino Filho
Dr. Osvaldo Nico Gonçalves
Dr. Fernão Dias da Silva Leme
Dr. João Eduardo Cerdeira de Santana

Procuradores
Dr. Antônio Carlos Meccia
Dr. Edison Richelmo Zago

Auditores da 1ª Comissão Disciplinar
Dr. Acyr José de Almeida - Presidente
Dr. Alberto Bugarib
Dr. Emilio Françolin Júnior
Dr. Luís Antônio Martinez Vidal
Dr. Marco Antônio Zito Alvarenga

Auditores da 2° Comissão Disciplinar
Dr. Antônio de Moura Abud Júnior - Presidente
Dr. Luiz Carlos Telles
Dr. Norberto Domato da Silva
Dr. Mauricio Neves da Fonseca
Dra. Beatriz Sorrente Dal Pra

Auditores da 3ª Comissão Disciplinar
Dr. Carlos Alberto Ferraz e Silva - Presidente
Dr. Carlos João Eduardo Senger
Dr. Jurandir Correia de Sant´Anna
Dr. Norberto Domato da Silva
Dr. Youssef Abu Chahin

Secretário
Dr. Carlos Roberto Fernandes Silva

Ajudaria muito se a assessoria da FPF nos passasse o contato desses doutores. Já tentei isso e não deu resultado, nunca me responderam. Quem sabe com o pedido de outras pessoas isso mude. De qualquer forma, há outras maneiras de se conseguir essas informações.

Aí entra a segunda parte, fazer para cada um dos membros do tribunal as seguintes questões:

1- Para que clube o Dr./Dra. torce? É sócio, conselheiro ou membro de alguma instância dirigente de algum clube que dispute a série A do campeonato paulista de futebol?

2- Não acha que o fato de membros do tribunal serem conselheiros de clubes da série A1, configurando claro conflito de interesses, coloca uma suspeição desnecessária sobre o TJD?

Antes de fazer qualquer pergunta, peço que enviem os contatos para o obverde@gmail.com A idéia não é perturbar os doutores com uma enxurrada de emails e telefonemas. Queremos é conseguir as informações de cada um deles e ouvir suas opiniões sobre o polêmico conflito de interesses. Sabendo como contatar cada membro do tribunal, dividiremos a incumbência de falar com cada um deles, de modo que ninguém seja contatado duas vezes.

Aí, com esse material nas mãos, checamos, compilamos e publicamos tudo no OV, com os devidos créditos a todos que ajudarem.

Recapitulando. O trabalho se divide em duas fases: conseguir os contatos e fazer as entrevistas. Precisamos de braços para as duas empreitadas. Quem conseguir os contatos manda a informação para obverde@gmail.com . Quem estiver a fim de ajudar nas entrevistas escreve para o mesmo endereço. Com os contatos em mãos dividimos o trabalho e publicamos a compilação final aqui no OV.

Se der certo, e boto fé que vai dar, vai ser algo bacana demais e iniciativa pioneira no futebol. Natural, já que vinda de palmeirenses.

PS: Agradeço aos sites da Mídia Palestrina que divulgarem a iniciativa.


É isso aí pessoal. Mãos-à-obra!

24 de mar de 2008

Leonor x Palmeiras

Hoje no início da noite teremos mais uma batalha contra nosso maior inimigo: o Jardim Leonor Futebol Clube (Vejam bem que não escrevi adversário, mas escrevi INIMIGO. É isso que eles são, adversários são Corinthians, Santos, Cruzeiro...). Sim, amigo leitor, não se trata de um adversário, é um inimigo histórico.

Esse time de gente sem caráter é useiro e vezeiro na arte de fazer biquinho (chororô), na arte de - quando derrotado nos gramados - apelar ao extra-campo. Já fez isso no caso Edmundo (ano passado), já tentou mandar pender um jogador argentino por suposta atitude racista e agora, como que na prorrogação, não aceita uma derrota na bola e tenta nos derrotar nos tribunais. Mais uma vez. O que há de coincidente em todos esses momentos? O resultado do jogo: derrota delas.

Sabem quem serão os julgadores hoje?

Quem acusa é um são-paulino. Mas, podem me dizer: O que tem isso? Já que seria quase impossível um procurador do TJD não ter time do coração. É - por exemplo – a posição de parte da mídia, como Juca Kfouri: "... é inevitável que os julgadores tenham times do coração, como é são paulino o que denunciou o palmeirense Kleber etc e tal, assim como é palmeirense o presidente da FPF e por aí afora. Ou alguém vive no mundo do futebol sem ter um time de coração, mesmo que o viva mais pelo bolso do que pelo sentimento?"

Pausa para um comentário sobre a posição do 'jornalista'. Incoerente - no mínimo - a posição para quem todo dia, como nós por aqui, fica denunciando conflitos de interesse. Lembram-se do caso do juiz de futebol que foi afastado do quadro de arbitragem da federação paulista por ser professor no IWL? Pois é, neste caso o sr. Aidar (sobrenome famoso lá pelos lados do Jardim Leonor e que - por coincidência - é um dos do Sr. Kfouri) foi implacável, havia conflito de interesse e ponto. No caso do(s) julgador(es) de Kleber ser(em) membro(s) do Conselho são-paulino parece que o 'isento jornalista' não mantém o que pensa e arruma uma 'boa desculpa' para justificar essa mudança. Estranho. Aliás, nada de estranho, tudo muito compreensível e previsível. Fim da pausa, voltemos ao motivo do post.

Mas, o problema é que ele [o promotor] não é apenas um são-paulino. Ele é CONSELHEIRO do SPFW. Isto mesmo, ele está metido na vida política do clube do Morumbi, e se assim está é porque tem 'interesse' de - quem sabe - alçar vôos mais altos na política interna, ou seja, tem todo interesse em agradar seus pares.

Há um outro julgador. Um que no caso envolvendo Vanderlei Luxemburgo, por suposto desrespeito contra a arbitragem paulista e sua comissão, pediu a pena máxima ao técnico Palmeirense. Foi voto vencido. Este, por coincidência, também é CONSELHEIRO lá pelos lados do Jardim Leonor.

O OV escreve sobre o assunto com mais propriedade e informações, pois há tempo vem denunciando os CONFLITOS DE INTERESSE que estão campeando o futebol paulista. Dê uma passadinha por lá e veja os dois posts sobre o tema clicando aqui e aqui.

Pelo exposto acima e pelo bilhante texto do OV não vou me alongar muito neste assunto sobre conflitos de interesse. Só escrevi este post para dizer que estamos atentos a tudo que está acontecendo. Inclusive, ao fato de tais atitudes só aumentarem o ódio entre as torcidas. Se eu, que sou avesso a violência e nunca usei dela para nada, considero o SPFW INIMIGO imaginem aqueles que tem propensão e gosto por ela.

Depois chamam todo mundo de bandidos. E eles, o que são?

22 de mar de 2008

Administrando

Você - torcedor do Palmeiras - deve se lembrar dos últimos anos, nosso time sempre jogando no limite e não podendo administrar. Ganhava uma, empatava outra, perdia quando não podia... Então, sempre estávamos precisando ganhar, nunca jogávamos tranqüilos. Isso mudou. Agora nos damos ao luxo (ou ao Luxa) de administrar as vitórias, jogar pro gasto, ‘levar o jogo com a barriga’.

Foi isso o que aconteceu hoje em Jundiaí. Com o jogo já resolvido com 20 minutos do primeiro tempo, foram toques de lado e alguns sustos, mas nada que ameaçasse nossa vitória. Resultado: Palmeiras 2 x 0, vice-liderança, e agora, é só confirmar em casa.

Esse título parece que não vai nos escapar.

Notas:

Marcos - Como sempre - quando exigido – Firme, seguro e operando os seus milagres: 10;
Granja - Bom no ataque, firme na defesa: 7;
Gustavo - Pouco exigido, quando foi mostrou estabilidade: 7;
Henrique - Falhou no primeiro ataque do Paulista, depois a categoria de sempre. Pela convocação um ponto extra: 8;
Leandro - Boa contratação da diretoria neste ano, não?: 7;
Pierre - É isso aí Dunga, convoca o Bambirchalysson: 7;
Léo Lima - Quero ver a cara daqueles que disseram que era uma armação do Luxemburgo: 7;
D. Souza - Jogou?: 5;
Valdívia - O de sempre e agora marcando gols: 9;
A. Mineiro - Matador: 9;
Kleber - Pareceu preocupado com o julgamento: 6,5;
Denilson - Entrou para segurar a bola, o fez e perdeu gol feito: 6;
Martinez - Entrou para tocar a bola, o fez: 6,5;
Makelele - Entrou para segurar o resultado, o fez: 6,5;
Luxemburgo - O time está com cara de campeão, como ainda não foi: 8.

_______________________
Bem que o departamento de marketing poderia investir nisso. Me candidato a entrevistar as pretendentes a 'las cerditas'.

20 de mar de 2008

Parabéns

Parece que foi há muito tempo, mas há apenas seis anos também goleávamos o time do Jardim Leonor. Naquele jogo Alex fazia um dos gols mais bonitos que já vi.

Leia aqui sobre o gol.

Veja também o gol e ouça a narração de José Silvério.

Chororô

Só para que não achem que com toda a palhaçada do tribunal nós nos esquecemos que botamos ELAS de quatro, aí vai uma charge que demonstra o atual estágio do humor leonordinense.



Fonte: Mondo Palmeiras.

Pelé, Gerson, Nilton Santos e a crônica esportiva

As pessoas, em geral, têm por hábito exaltar e idealizar o passado. O futuro representa o desconhecido, este – por seu turno – faz o ser humano refletir sobre mudança, talvez descontinuidade. Seria, no limite, o apagar das luzes para uma criança, e para o ser humano adulto é a incerteza, talvez o limiar do fim. Por isso, nos assusta a todos.

O presente, onde o trabalho, o tempo, o espaço, a vida, o cotidiano, e muitas outras batalhas do dia-a-dia são travadas, é o contraponto ao passado. Como todas estas batalhas nos consomem, idealizamos que havia um tempo onde isso não era assim. O passado era o Éden, o presente o purgatório, o futuro - talvez - o inferno.

Meu pai, apesar da ditadura militar, analisando apenas os aspectos de crescimento do país, deixando todos os outros aspectos de lado, jura de pé junto que foi a melhor época de sua vida. O passado, por ter o presente como contraponto, é o momento onde se foi feliz e não se sabia. Não é assim o ditado?

Não é diferente – creio eu – com nenhuma pessoa. Isso inclui os jornalistas e cronistas esportivos.

Há algum tempo assisto e leio cronistas e jornalistas esportivos exaltando o futebol que era pratica em um passado (remoto ou não) para criticar com veemência aquele que é praticado nos dias atuais. Em última análise, aquele era o verdadeiro futebol, a arte, onde a técnica se sobressaia, onde o craque (do jeito que falam e escrevem só havia este tipo naquele tempo) ‘jogava e deixava jogar’, onde os ‘brucutus’, os ‘botinudos’ e os volantes cães-de-guarda não existiam. Sem falar, é claro, que também não existiam a deslealdade, o jogo sujo (antítese do tal do fair play), nem pontapés, tampouco lances de malícia entre os praticantes do ‘esporte bretão’.

Há algum tempo isso me incomoda, tanto que inicialmente minha idéia de monografia para o mestrado era centrada neste tema. Queria saber, através da análise do discurso da imprensa esportiva, que raios seria esse tal de futebol espetáculo de que tanto falam. Mudei a linha, escreverei sobre modernização do futebol e tal. Mas, continuo incomodado com isso. Por isso, resolvi escrever sobre o tema aqui no Blog, já que a propósito da tal cotovelada do Kleber o tema voltou à tona.

Dia desses li no 3VV um comentário do Marcelo Solarino sobre como se portava, ou se portou enquanto foi atleta profissional, o rei Pelé, considerado por todos o maior jogador de futebol de todos os tempos, disse o Marcelo: “...Quem não se lembra da famosa cotovelada do Pelé em Matozas contra o Uruguai na semi final da Copa de 70? Talvez nossos jornalistas de hoje exigiriam uma punição exemplar para ele, inclusive suspendo-o da final contra a Itália...”.

Eu me lembro de uma perna quebrada pelo Gerson, só não me recordo quando e de quem, e ele para se justificar dizendo que era a do adversário ou a dele.

O mesmo Marcelo se lembra de um lance Anti-Fair-Play do grande Nilton Santos, aquele em que ele, ao perceber que havia cometido uma falta dentro da área brasileira, dá um passo à frente, ludibria a arbitragem e livra o Brasil – quem sabe – de uma derrota.

Zico teve a carreira abreviada por problemas de joelho devido a botinadas, o mesmo ocorreu com Reinaldo, e há tantos outros que é até difícil nomear.

O que sei é que os três exemplos acima (Pelé, Nilton Santos e Gérson) não são exatamente de botinudos, muito pelo contrário. Estes exemplos me são suficientes para ter a absoluta certeza que no passado, como no presente, os praticantes do futebol queriam é ganhar, a todo custo, nem que para isso (para se defender e defender o seu ganha pão) fosse preciso dar umas botinadas quando necessário.

O que continuo a não entender é o porquê dos jornalistas e cronistas esportivos criticarem tanto o futebol que se é praticado atualmente já que não é verdade (pelos exemplos levantados) que – como diz o samba-enredo – ‘lá nos tempos mais remotos’ o futebol praticado por aqui era diferente

A crítica ao futebol praticado no Brasil talvez tenha como motivo o fato de seus patrões – na maioria – transmitirem (e cobrirem) jogos de futebol de outras praças (Espanha, Itália, Inglaterra etc.). Estranho, pois lá como aqui, não é diferente. Sempre existiu e sempre existirá a vontade de ganhar, o uso da força (futebol é esporte de contato e violento por natureza – não fosse assim não precisaria de regras), várias botinadas, algumas pernas quebradas...

Fora o fato de estarem defendendo também o seu ganha pão e criticando a mercadoria daqui para exaltar a de lá, a outra explicação só pode ser a idealização do outro, a idealização da grandeza do vizinho. Mas, esta é uma outra história.

Carta aberta ao TJD - FPF

A semana que passou se encerrou com uma goleada do Verdão sobre as meninas do Jardim Leonor. Já no domingo a noite se prenunciava o que seria a semana. Choradeira, muita choradeira (chororô como passaram a ser chamadas as reclamações de perdedores após a comemoração do Souza - centroavante do Flamengo - e depois a do Valdívia no clássico contra o Corinthians).

Os jornais – até o dia de hoje, quinta-feira – estão recheados do choro leonordinense e de fotos do ‘pobre coitado’ do André Dias, aquele que disse não ter havido nada de anormal no lance, mas que depois – ao retorno do intervalo - voltou atrás e disse que foi agredido.

O time do Jardim Leonor (aquele que sabe ganhar, que tem um médico/diretor que a-do-ra aparecer nos momentos da vitória para tripudiar o vencido. O time que se julga o último biscoito do pacotinho, a última gota d´água no deserto, aquele que em dez anos terá a maior torcida do Brasil, amado por grande parte da imprensa esportiva, cantado em verso e prosa como exemplo de gestão, modernidade e planejamento) sentiu o baque. Percebeu que o marketing não ganha jogos nem campeonatos, acreditava que com meia dúzia de prepostos na imprensa seria grande, inflaria rivalidades e seguiria, ‘impávido feito Muhammad Ali’, rumo ao panteão dos Deuses do futebol. Mas, no futebol e na vida, não é assim que funciona.

Já no domingo, ao final do jogo, o médico/diretor destilava toda sua raiva pela goleada sofrida e nos mostrava como seria a reação leonordinense durante a semana. Levou uma invertida – no ar – do Milton Neves, tentou desqualificar o Mauro Beting, no que também foi repreendido, não viu nenhum dos pênaltis marcados, para – finalmente – nos mostrar qual seria o caminho a ser trilhado: a cotovelada de Kleber havia interferido no resultado do jogo. Quatro a um, e uma cotovelada mudou o destino da partida.

O médico/monstro estava transtornado. Bradava que há um complô contra o time do Jardim Leonor, gritava que até agora nenhum pênalti havia sido marcado a favor do SPFW, isso seria sinal de que o seu time (ou aquele que o paga, já que ele é santista, todos sabem) estava sendo roubado. Lembremos que ano passado, no campeonato brasileiro, o Palmeiras teve seu primeiro pênalti a favor na penúltima rodada. Disse ainda, o diretorzinho, que como o SPFW ganhou tudo (prestem atenção na empáfia) estava na hora de darem o título para outros.

Mas, o melhor de tudo foi ele dizer que não estava nem aí por ter perdido para o Palmeiras, eles se importam sim é com a libertadores; o paulista (em fase classificatória) não é importante. Não era e não é o que está parecendo. Elas perderam o rumo, caíram de quatro e estão esperneando até agora.

No Blog de um dos prepostos leonordinense na mídia há, como que com estupefação, um texto sobre o fato de corintianos terem torcido contra elas no domingo. Eu digo, a recíproca é verdadeira, pois muitos palmeirenses ultimamente vibram com a derrota delas para o time da marginal. Seria uma aberração? Não, não é! Como diz o ditado popular: quem planta colhe.

Quem planta inimizades, quem trata os outros com desdém, quem usa da empáfia, quem usa do expediente dos meios justificando os fins, só pode colher inimizades, só pode colher o ódio dos adversários, neste caso transformados - por elas mesmas - em inimigos.

Na próxima semana teremos o julgamento do Kleber. Na próxima semana teremos mais uma batalha entre os Deuses do Olimpo e os pobres mortais. O procurador denunciou Kleber por agressão, ele pode pegar até 540 dias de suspensão. Não duvido que possa acontecer isso, pois o caráter não é o forte dos são-paulinos e um conselheiro do SPFW é o procurador do TJD que denuncia o atleta do Palmeiras. Fosse uma pessoa de caráter (o procurador) se diria impedido de processar o Kleber, pois é parte interessada no assunto, mas - como já disse - isso não faz parte do caráter dessa gente.

O ódio e a violência entre as torcidas - que tanto é tratado como caso de polícia pela mídia - ganha mais alguns pontos na escala. Esse tipo de atitude, a do SPFW que nunca perde, a de seu médico/diretor que não sabe perder, mas a-do-ra tripudiar o vencido, a do procurador que mesmo interessado no caso punirá o atleta do Palmeiras, são ingredientes para o aumento desse ódio entre torcedores de todas as outras equipes contra o SPFW. Os imbecis não enxergam isso. Depois dizem que todo torcedor (organizados de preferência) é bandido. Eles então são o quê?

Escrevi isso tudo para dizer que concordo com a carta aberta enviada ao TJD pelos Blogs da mídia Palestrina. Não só concordo com ela como a subscrevo e a reproduzo aqui:

Carta aberta ao TJD - FPF

Prezados auditores, relatores e procuradores do TJD, presidente e diretores da Federação Paulista de Futebol, e membros da comissão de arbitragem de SP.

Nos últimos anos o Palmeiras foi um dos times com maior número de jogadores/técnicos envolvidos em casos de julgamento na justiça esportiva. Foram casos “denunciados” por imagens de transmissões de TV, pela mídia esportiva e por rivais.

Para citar apenas o caso mais recente, nosso treinador, Vanderlei Luxemburgo, teve de dar explicações por supostamente desrespeitar a chefia da arbitragem paulista. Tais declarações custaram ao técnico uma salgada multa de R$ 50 mil.

Respeitando a punição aplicada a Luxemburgo, pedimos agora ao tribunal e à F.P.F. que se utilizem dos mesmos critérios, e que seja levado a julgamento o superintendente de futebol do São Paulo Futebol Clube, Marco Aurélio Cunha. Afinal, este, ao ver seu time goleado pelo Palmeiras no último domingo, deu declarações tão ou mais polêmicas que as de Luxemburgo.

Dentre outras coisas, Cunha declarou que seu time é alvo de um “complô” da arbitragem para prejudicar o São Paulo Futebol Clube. O dirigente são-paulino ainda desmereceu o campeonato paulista, afirmando que o seu clube tem objetivos maiores na temporada.

Sendo assim, nós, Palmeirenses que compomos a Mídia Palestrina, pedimos que o tribunal seja imparcial e julgue também o sr. Marco Aurélio Cunha.

Se o nosso treinador foi multado por ter dado declarações contextualmente semelhantes, é de se esperar que, no mínimo, as declarações de Cunha sejam examinadas pelo pessoal competente do tribunal, e que ele seja chamado a apresentar provas do suposto “complô”. Tal acusação, gravíssima, coloca sob suspeita o campeonato paulista de 2008, a integridade da Federação Paulista de Futebol e a atuação da comissão de arbitragem do Estado de São Paulo.

Esperamos sua resposta frente à opinião pública e perante todas as torcidas, palmeirenses inclusos, o mais rápido possível.

Atenciosamente,

Palmeiras Todo Dia - www.palmeirastododia.com
Mondo Palmeiras - www.mondopalmeiras.net
Observatório Verde - www.observatorioverde.net
Só Palmeiras - www.sopalmeiras.com
Parmerista - www.parmerista.com.br
Terceira Via Verdao - http://terceiraviaverdao.blogspot.com
Planeta Palmeiras - http://planetapalmeiras.blogspot.com
Agora também:
Forza-Palestra - www.forza-palestra.blogspot.com

Em tempo: Essa choradeira toda, esse chororô lá pelos lados do Jardim Leonor, fez com que a vitória acachapante, com que o coelhinho da páscoa antecipado que chegou trazendo um caminhão de chocolate lá no SPFW, ficasse em segundo plano. Elas são muito boas nisso, pois quando perdem desviam o foco do principal. O principal não foi dito: o planejamento - cantado em verso e prosa como modelo - foi por água abaixo.

Mas, eu não me esqueço não: CHUPA BAMBI!

17 de mar de 2008

Exemplo de gestão

Elas estão em uma péssima fase, pois ultimamente não ganham nem par ou ímpar. Até nos tribunais, onde ganhavam todas, as meninas estão tomando 'trolha', mas disso elas gostam. Cliquem aqui e vejam a nova derrota do time da moda, do exemplo de gestão... Vergonha, justiça trabalhista!

Ídolo em Destaque

O ídolo desta semana é para reparar uma injustiça histórica. Em 1971 ele teve um gol anulado em uma final contra os Bambis. Gol legítimo, anulado por Armando Marques. Gol de cabeça, que o 'árbitro' preferiu ver como feito com a mão.

Como nesta semana botamos elas de quatro, do jeito que elas mais gostam, a homenagem vai para o ídolo Leivinha, assim mostramos para elas que não nos esquecemos do que nos fazem. A vingança é um prato que se come frio, como diz o ditado.

LEIVINHA

Nome Completo: João Leiva Campos Filho (* 11/09/1949)

Local de Nascimento: Novo Horizonte-SP

Estréia no Palmeiras: 14/03/1971 – Guarani 0 x 4 Palmeiras (Paulistão)

Despedida do Clube: 31/08/1975 – Real Madrid 1 x 3 Palmeiras (Ramón de Carranza)

Jogos: 263

Gols: 105

Desempenho: 156 vitórias – 78 empates – 29 derrotas

Títulos pelo Palmeiras: Campeonato Paulista de 1972 e 1974, Campeonato Brasileiro de 1972 e 1973, Torneio Laudo Natel de 1972 e Torneio de Mar Del Plata em 1972.

Histórico: Após uma boa passagem pela Portuguesa de Desportos, Leivinha foi contratado pelo Palmeiras em 1971.

Leivinha foi ídolo de todo o palmeirense que viveu a década de 70. Pode-se dizer que ele era uma espécie de Edmundo que não se metia em confusão.

Habilidoso e excelente cabeceador, Leivinha armavas as jogadas de ataque, puxava contra-ataques e marcava muitos gols.

Entrou para a história do futebol, não apenas pelo seu jogo bonito e eficiente, mas também por ter marcado o milésimo gol da história da Seleção Brasileira.

Leivinha disputou a Copa do Mundo de 1974 na Alemanha.

Foi dele o passe de cabeça para que Ronaldo marcasse o antológico gol contra o Corinthians na final do Paulistão de 1974.

Outros Clubes: Linense-SP, Portuguesa, Atlético de Madrid e São Paulo.

16 de mar de 2008

4 x 1

Algumas cervejas a mais. 4 x 1 é demais. Juiz que marca o que deve ser marcado. É demais. Vamos as notas, senão escreverei algo que não devo:

Marcos: não fez gol - 9,99;
Élder Granja: O gramado não ajudou - 7,00;
Gustavo: Raça, algumas botinadas no momento certo - 7,00;
Henrique: Bom zagueiro. Falha no gol da I. - 6,00;
Leandro: O gramado dificultou - 6,50;
Wendell: Guerreiro - 6,50;
Léo Lima: Chupa Paulinho, Chupa Kfuro, Chupa M. Leite - 8,00;
Valdívia: Apesar do gramado muita luta e disposição, gol de pênalti - 8,50;
Diego Souza: Luta, corre, briga e tem futebol. Gol de pênalti - 9,00;
A. Mineiro: Está sendo sacrificado pelo esquema, mas fazendo sua parte - 7,50;
Kléber: Falar o quê? - 9,00;
Martinez: Cumpriu seu papel - 7,00;
Makelele: Idem - 7,00;
Denilson: Cobrou um pênalti, esperava-se dele que marcasse, marcou, 10,00; e,
Luxemburgo: Ganhou o jogo. Não! goleou, então fez mais que o esperado - 10,00.

Elas perderam do jeito que mais gostam: DE QUATRO!

C H U P A !!!

15 de mar de 2008

Os Campizzi Busico

Francisco Busico é o nome do Diretor-Tesoureiro do Palmeiras (membro do Conselho deliberativo, eleito pela chapa Palestra) que majorou o preço dos ingressos e, além disso, é o responsável pela lambança da venda dos ingressos, que não aconteceu, no Ibirapuera, para o jogo contra os Bambis.

Leia sobre os dois episódios clicando aqui e aqui.

Soube que ele foi eleito conselheiro pela chapa Palestra através de uma pesquisa que fiz hoje na net. Aliás, a pesquisa mostrou uma coincidência interessante, que não significa nada, mas que merece destaque.

Veja aqui a lista dos conselheiros do Palmeiras, através do link da própria página do clube. Vá até a letra “F” e repare no nome completo do senhor Busico. Agora, tape o nariz, vá até esse endereço, dê uma procurada em José Campizzi Busico.

Como eu disse, não significa nada, mas é uma 'baita' coincidência, não?!

Bambiadas

PETRAGLIA SE REFERE A SÃO PAULO COMO "BAMBI" - Lancenet - Publicada em 14/3/2008 às 19:59

PRESIDENTE DELIBERATIVO DO ATLÉTICO-PR ACUSA CLUBE PAULISTA DE ALICIAMENTO
Dirigente do Atlético-PR disparou contra São Paulo

LANCEPRESS!

Em entrevista coletiva realizada nessa sexta-feira, na Kyocera Arena, o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, acusou o São Paulo de tentar aliciar jogadores. Segundo o dirigente, jogadores, o técnico Muricy Ramalho, além do dirigente Marco Aurélio Cunha, ligaram para o zagueiro Danilo tentando convencê-lo a ir para o Tricolor.

- O Dagoberto, o Aloísio, o Jancarlos, o Muricy Ramalho e o Marco Aurélio Cunha ligaram para o Danilo para que ele criasse problemas com o Atlético-PR e fosse para o São Paulo. Foram os mesmos que ligaram para o próprio Jancarlos e o convenceram de ir para lá - afirmou Petraglia, que em muitas vezes se referiu ao clube paulista como "Bambi".

- O São Paulo hoje é o Bam Bam Bam do futebol brasileiro: Bambi Bambi Bambi - disse ele, em uma de suas declarações.

___________________
Em tempo: Agora o tal do Imperador já tem o seu trono.

ADRIANO PREOCUPA MURICY PARA O CLÁSSICO - Publicada em 14/3/2008 às 11:35

Com DIARRÉIA, Imperador não treina nesta sexta-feira; Aloísio está à disposição do técnico Muricy Ramalho

Bomba de Adriano está fora do clássico?


LANCEPRESS!

A grande ausência no treinamento do São Paulo nesta sexta-feira manhã, no CT da Barra Funda, foi o atacante Adriano. O motivo? O camisa 10 do Tricolor paulista está com diarréia. Por conta disso, ele já preocupa o técnico Muricy para encarar o Palmeiras, no domingo.

- Na reapresentação da equipe (quinta-feira) ninguém se queixou de nada. Só o Adriano apareceu com diarréia. Preocupa, pois são dois dias com isso. O jogador fica debilitado - explicou o comandante.

Se o Imperador não jogar, Muricy Ramalho tem à disposição apenas Aloísio para a posição, já que Dagol está suspenso. No entanto, o Tricolor ainda fará um treino neste sábado à tarde e a escalação do time segue indefinida.

- Não vou dar a escalação não. Amanhã (sábado) à tarde vamos fazer um treinamento - concluiu Muricy.

13 de mar de 2008

Drops

Elogios

- Ao Luxemburgo. Percebeu que a sua escolha havia sido equivocada, que o time não criava nada e mudou ainda no primeiro tempo. Sacou Wendell, colocou Lenny, e virou o jogo.

- Ao Pierre. Como desarma e como marca. E dá-lhe Richy na seleção. Melhor, assim Pierre fica por aqui.

- Ao Léo Lima. Vem jogando muito bem, ontem deu o passe para os dois gols. Isso é para calar a boca de muitos críticos. É aí Milton Leite, como é que fica agora?

- Ao Kléber. Grande partida, golaço. Contratação certa.

- Ao Alex Mineiro. Decisivo, gol de nove-nove. Em relação ao custo benefício, muito mais eficaz que o I. Leonordinense.

Críticas

- À drenagem do gramado do Palestra. Fiquei privado de ver meu time jogar em nosso estádio para que tudo fosse reformado. Na primeira garoa inunda tudo. Atenção diretoria, tem que pedir para consertar já.

- Ao Henrique. Segundo jogo em que o gol adversário sai de uma falha individual dele. Será que a máscara está muito pesada? Sandália da humildade para ele.

- Ao descaso da diretoria com o torcedor. Mas, para isso já tem post específico.

_______________
Domingo é dia de Choque-Rei. Dia de mostrar para aquela gente quem é que é o grande por aqui.

Crítica à diretoria

Esta se tornando rotina. Não sei qual o motivo, mas a vida do torcedor do Palmeiras que quer assistir aos jogos de seu time, em seu estádio, seja este torcedor sócio ou não do clube, está sendo dia-a-dia, dificultada.

Ontem, mais uma vez, foi um "Deus nos acuda". Filas imensas, desorganização, jogo já em andamento, e gente ainda tentando comprar ingressos.

Tentei comprar os meus lá nas bilheterias da Turiassú. Não consegui.

Como sou sócio resolvi usar da prerrogativa da bilheteria interna do clube, aliás, um dos únicos benefícios para aqueles que são apaixonados pelo time, são sócios, que não se utilizam das piscinas, das quadras, mas se associaram pelo amor ao Palmeiras.

A fila também era enorme, apenas uma funcionária atendendo AOS SÓCIOS que ali estavam para adquirir seu ingresso e assistir ao se time do coração, ninguém para orientar ou informar o porquê da demora. Nada, apenas fila, reclamações, desrespeito.

Jogo já em andamento, eu e aproximadamente 20 pessoas ali tentando o nosso ingresso; Ponte Preta um a zero, agonia com o jogo, e nós ali, tentando nosso ingresso. A fila anda lentamente, mas anda, então chega a minha vez, descubro o porque da demora e do porque de várias torcedores/sócios terem tomado o caminho dos portões de saída do clube e não o da entrada dos sócios: NÃO HAVIA MAIS INGRESSOS DE ARQUIBANCADA. Nenhuma informação nos foi passada, apenas se sabia do foto ao se chegar à bilheteria.

O único fato a não se lamentar é que desta vez a funcionária não tratou ninguém com desprezo, como no fato acontecido - também comigo - no jogo contra o Rio Preto e que já relatei por aqui, muito pelo contrário, ela foi - dentro das possibilidades e da situação - muito simpática e cordata.

Não sei o que leva uma diretoria a tratar assim seu torcedor. Se querem que não freqüentemos mais o estádio basta criarem mais uns três setores com os preços do setor VISA (o local é legal, mas o preço é proibitivo) que o serviços já estará feito.

Não sei o que leva uma diretoria a tratar assim seus associados. Se quiserem que não sejamos mais associados do clube basta elevar o preço das mensalidades ou quem sabe cobrar taxas extras muito caras. Assim, gente feito eu, de poder aquisitivo médio, não terá mais condições de ser associada e deixaremos de freqüentar o clube.

O que não precisa é nos tratar tão mal assim. Não deixarei de ir ao estádio, não deixarei de ser sócio do clube. Muito pelo contrário, assim que puder serei candidato ao conselho do clube. Minha luta será para limpar e debelar gente de mentalidade atrasada e que trata as pessoas, os torcedores e os sócios dessa maneira desrespeitosa.

A sorte da atual diretoria é que a oposição no clube é quem é. Gente que consegue ser pior que aqueles que estão na direção atual. É muita sorte mesmo. Mas, outros dias virão e muita gente que ainda precisa tomar o rumo de casa e deixar aqueles que têm mente arejada tomarem conta do clube e do futebol tomará o rumo dos pijamas.

Por favor, nos deixem em paz.

Que mancada diretoria!


Foto da fila, momentos antes de eu chegar ao guichê e saber que não havia mais ingressos de arquibancadas.

________________________
Jabá: Se algo assim acontecer e não te sobrar outra alternativa senão aquela de ver o jogo pela TV vá até o Bar do IZIDORO (L'OSTERIA PALESTRA), na antiga sede da Savóia. Ontem, por R$ 20,00 tomei Bavária Premium, comi pimentão recheado e assisti ao jogo em telas de LCD, junto a muitos outros Palmeirenses. Muito mais barato que o proibitivo setor Visa, muito mais barato que as numeradas (cobertas e descobertas) que eram os únicos ingressos que me ofereciam na bilheteria exclusiva de associado. Eu sei, no estádio é mais gostoso e era para isso que fui até lá, mas a diretoria do Palmeiras, pelo que parece, não me quer mais no Palestra. Além de pagar R$ 30,00 para ser desrespeitado, até isso estão me negando agora.

Elogio à diretoria

A diretoria do Palmeiras, ao contrário do que fazia a anterior, agiu rápido e deu resposta ao ataque gratuito do 'jornalista' José Trajano ao goleiro, e ídolo da torcida verde, Marcos.

Se fosse a diretoria anterior que não tinha visão de marketing, de futuro e desprezava nossos ídolos (os atuais inclusive), o caso cairia no esquecimento. Essa diretoria, nisso não deixa barato, é a política do 'bateu levou'. Então, toma Trajano:


SITE OFICIAL DO PALMEIRAS - 2/03/08 - 23h26

EDITORIAL

Na última segunda-feira, dia 11, no programa "Linha de Passe", da ESPN, os jornalistas que compunham a mesa (Juca Kfouri, PVC, Marcio Guedes e José Trajano), entre outros assuntos, comentavam a expulsão do goleiro Marcos, ocorrida no jogo contra o Bragantino.

Nesta referida partida, Marcos fez menção de agredir com um pontapé o atacante Malaquias, do Bragantino, após sofrer uma agressão deste jogador.

Discutiam os jornalistas esse lance que culminou com um pênalti para o adversário e a expulsão do goleiro palmeirense.

O programa seguia seu ritmo normal, com os jornalistas avaliando o polêmico lance. Juca saía em defesa de Marcos, PVC achava justa a expulsão, mas defendia que o jogador do Bragantino deveria igualmente ser expulso, e José Trajano argumentava que os críticos eram condescendentes com Marcos, pois o jogador ficara anos sofrendo com seguidas contusões.

Até este momento tudo corria de modo normal, com o bom senso que cada um entende como normal em uma discussão de futebol, levada por um canal de televisão, visto por milhares de telespectadores.

Já no fim da discussão do polêmico lance, o jornalista José Trajano, de maneira grosseira e aos berros diz, cortando a fala do jornalista Juca Kfouri: "Ele é podre. Ele é podre (repete)", se referindo ao nosso goleiro.

A falta de educação do jornalista é suficiente para que o telespectador tire as suas próprias conclusões. Nós, do Palmeiras, nos sentimos atingidos e repudiamos o comentário absolutamente desnecessário e desmedido de quem, além de não aceitar ser contrariado, agride de forma grotesca um jogador de futebol conhecido pela sua boa índole. No caso, o jogador Marcos, um ídolo dos mais de 15 milhões de torcedores palmeirenses e, com certeza, de tantos outros milhões de brasileiros de outros clubes.

É profundamente lamentável que um profissional perca a razão e a compostura durante um programa de televisão que vai ao ar ao vivo, onde até crianças fazem parte desse público.

É mais lamentável ainda que este profissional se vanglorie do alto nível das discussões de seu programa e comporte-se dessa maneira, ofendendo a dignidade de quem apenas joga futebol de forma ética e sempre respeitou o adversário.

A nós, que ainda não dispomos de um canal de televisão para rebater destemperos de tão baixo nível, usamos o nosso site para, de forma veemente, defender um ídolo que foi atingido de forma grosseira por este senhor.

Se a intenção é ganhar audiência, com certeza não será esse o caminho.

Vamos continuar a assistir à programação da ESPN e ouvir e ver os demais jornalistas do canal, que são competentes e sérios, que fazem de fato comentários inteligentes, que ajudam a formar a opinião dos telespectadores e que não têm culpa alguma de serem dirigidos no trabalho por um profissional que, por vezes, age de forma desequilibrada, como José Trajano.

Diretoria de Futebol do Palmeiras

Parabéns diretoria!

12 de mar de 2008

Enquete

Queremos saber a sua opinião: Quem serão os quatro semi-finalistas do Paulistão 2008. A enquete já está no ar.

11 de mar de 2008

Reações

Achincalhar e ofender um ídolo, uma torcida e uma instituição, com certeza, não sairia barato.

Como o autor das ofensas mesmo disse, o passado não isenta ninguém de responder por suas ações no presente. Então, pague pelo presente, pois as reações estão aí. Elas vão desde as mais ponderadas até as mais radicalizadas, segundo cada cabeça e cada sentença. Quem é - ou se considera - superior a isso tudo deveria ter pesado as conseqüências daquilo que iria dizer, principalmente quando tem o espaço que tem para dizê-las. Como eu disse, as reações estão aí, e são muitas, eis uma delas.

São Marcos

A reação da torcida e da mídia palestrina continua contra o ataque covarde sofrido pelo nosso ídolo Marcos. Não foi apenas um ataque à pessoa e ao profissional Marcos, foi um ataque e um desrespeito com a gente Palmeirense.

No Blog do SOP há um texto sobre o ocorrido [Com São Marcos..... Não!!!].

Há uma referência também no Planeta Palmeiras [Trajano chama Marcão de "PODRE".].

Além dos já citados: Blog do Falavigna e Observatório Verde.

Se alguém souber de outro espaço Palestrino que faz menção ao desrespeito sofrido pelo Marcos e pela gente Palmeirense, entre em contato que postaremos o link.

É isso!

Trajano

Estava disposto a escrever um texto sobre o desrespeito do Trajano com o Marcos ontem no Linha de Passe. Acontece que o pessoal do OV já o fez, e de maneira brilhante. Além disso, nos comentários da postagem há diversas manifestações de indignação da comunidade palestrina. Por isso, sugiro que entrem lá e também comentem [Trajano chuta o santo].

Eu já fiz o meu comentário por lá e sugeri a criação de um selo, aos moldes do feito para o boicote à Jovem Pan. Além disso, perderam a audiência de um espectador que toda segunda-feira estava por lá. Pode não ser nada, mas se todos fizerem isso mostraremos com quem estão tratando.

Não assista besteira, não veja a ESPN-Brasil.

É isso.

PS. Somente agora vi que o Blog do Falavigna também escreveu sobre o ocorrido. Dêem uma olhada por lá também [Sobre o episódio de Trajano].

10 de mar de 2008

Análise de técnicos - by Paulinho - 2a. parte

Eis, conforme o prometido, a segunda parte da análise dos técnicos dos grandes de São Paulo feita por Paulo, o nanico. As partes em negrito são meus comentários:

Muricy Ramalho


Muricy Ramalho realiza trabalho de formiguinha.

O homem é trabalhador está implícito aqui neste parágrafo. Ranzinza, rabugento, mau-humorado, mas um sujeito que até no seu mau-humor é bacana. Eu não acho, mas a imprensa acha, então é verdade.

Tenta dar padrão a equipe.

Ora, mas não é o mesmo que estão procurando Mano Meneses, Vanderlei Luxemburgo e Leão? Então, o que há de diferente no trabalho do Muricy?

Tem um elenco médio em mãos.

Ah! o elenco médio é o que há de novo entre Muricy e aos outros. Primeiro que não é diferente de Santos, nem de Corinthians, quiçá do Palmeiras, mas o Muricy é trabalhador, então se não está dando certo a culpa é do elenco, não dele. Em segundo lugar, demorou em a imprensa enxergar o óbvio, há muito o elenco do SPFW é médio. Não! Dirá o autor do texto, é que saíram Breno, Souza e Leandro... Outro mito criado pela imprensa que cai por terra, aquele que diz que o SPFW mantém a base, o mito do planejamento. Não são diferentes de nenhum outro, precisam de grana, vendem.

Encontra dificuldades em manter o ambiente saudável.
Todos sabem o motivo.

Mas, um técnico diferenciado como Muricy não foi consultado quando da vinda daquele(s) que conturbariam o ambiente?

Acredito estar errando ao manter Richarlyson como lateral.
Nem tanto pelo rendimento, mas pela notória insatisfação do atleta que não se sente a vontade na posição.

Duas coisas: 1) O cara não é o supra-sumo dos técnicos, o melhor do Brasil? Aquele que trabalha, sabe montar times, tira dos atletas o melhor deles? 2) Mais um insatisfeito? Então o problema é maior que o imaginado, não só da indisciplina que devemos saber o motivo.

Com muito trabalho, ele costuma acertar as equipes durante os torneios.
Embora dessa vez a dificuldade seja bem maior.

Um outro exercício de futurologia, claro que neste caso calcado na experiência dos anos anteriores, mas como neste caso o futuro pode desmentir o futurólogo ele toma a precaução de deixar uma boa saída, pois as dificuldades podem impedir que o destino manifesto se concretize. Ele está ficando bom, está aprendendo com os seus professores/padrinhos.


Jogadores contratados de maneira equivocada e conselheiros do clube insatisfeitos conspiram contra seu trabalho.

Eis, mais alguns mitos sendo desmontados por aqui. Planejamento não comporta, ou não deveria comportar contratações equivocadas. Em clube moderno e diferenciado não pode existir conselheiros que atrapalhem o ambiente.

O desafio é grande, mas ele já demonstrou ser capaz.

Ele quem? O Muricy? O clube? Sei lá o que o autor quis dizer.



Emerson Leão

Nunca me empolguei com seu trabalho.

Nem eu.

Leão é um treinador de nível médio.

Eu também acho.

Como sempre chegou ao Santos causando estragos.

Igual fez com o Palmeiras.


Mas sua política de choque dessa vez não vem rendendo bons resultados.

Igual a todos os outros lugares por onde passou. mas, desta vez está mais preocupado em acusar o antecessor que fazer o seu trabalho.

De bom apenas a denuncia do “Tsunami” que o treinador “Madureira” deixou na Vila.

Cheguei onde queria. De BOM (veja só, isso parece doença) só a denúncia. Isso só pode ser algum tipo de doença, algo genético. Um gene que causa algum distúrbio, quem sabe DENUNCITE AGUDA. Os médicos devem pesquisar, pois gostar de denúncias deve ser algo sério. Torcer pelo quanto pior melhor, para que algo manche a vida de outrem só pode ser patologia.

É o preço que se paga por conceder poder excessivo a quem não faz por merecê-lo.

Leão, que até pouco tempo atrás era o inimigo número um da imprensa, agora serve de parâmetro para criticar aquele que o ultrapassou na preferência.

Marcelo Teixeira é mais um empecilho.

Essa é boa. Que tipo de empecilho? Leão só está no Santos porque é amigo do presidente, foi ‘bancado’ por ele. Agora, se o empecilho é porque o presidente não contrata, ou o clube não tem dinheiro em caixa, ou coisa parecida, o autor não nos explica.

Acho difícil Leão reverter o quadro.

Com esse time nem o autor conseguiria. Ele, do alto de sua visão tática, técnica, de padrão de equipe (que demonstrou nas análises aqui expostas) não conseguiria, nem ele!

Talvez nem chegue no cargo para a disputa do Brasileiro.

Essa é fácil, apesar da frase mal construída. Outro exercício de futurologia, com um TALVEZ para deixar no condicional, mas com possibilidade de acerto, pois o Santos não está bem no paulista, e ainda disputa a libertadores; a torcida não gosta do treinador, há pressão lá pelos lados da baixada por sua demissão, qualquer resultado que não seja o título da libertadores fará com que o técnico saia. Então...

______________________
Ele agora se mete a analisar os técnicos dos grandes do Rio de Janeiro. Mais chavões, frases feitas e senso comum rasteiro. Para se ter uma idéia, sua brilhante análise sobre Joel Santana começa com: paizão. Não vou torturá-los com mais disto. No caso do Paulo, o ínfimo, quanto menos o lermos melhor para nossa saúde. Vai que a doença genética, aquela das denúncias, seja contagiosa.

9 de mar de 2008

Bragantino 2 x 5 Palmeiras

Dizer o quê? Somente que apóio o Marcos. A entrada do avante do Bragantino foi criminosa e nem falta foi marcada. Se foi falta o juiz errou, pois o lance estaria parado, deveria dar o cartão para o Marcos - seja qual for - e reiniciar o jogo com tiro livre direto para o Palmeiras. Nem falta ele havia marcado, então, já que vale tudo: chuta a cabeça dele Marcão, assim ninguém te machuca!

No mais, jogo de time campeão. Com cara de time do VL. Chupa Paulinho, Chupa JK...

Notas:

Marcos: Errou o chute na cabeça do assassino, se acertasse 10, como errou: 5;
Élder Granja: Prejudicado, ficou preso na defesa depois da expulsão do Marcos: 6;
Henrique: Errou um tempo de bola, gol dos caras, então: 5;
Gustavo: Firme, algumas jogadas atabalhoadas, ganhou cartão: 5;
Leandro: Um gol, boas tabelas pela esquerda, ainda tem gente que acha que o Cj é técnico: 7;
Pierre: Leão, rouba, marca, dá combate, chuta: 8;
Léo Lima: Não fosse o penalti bisonhamente perdido seria 8, como perdeu: 6;
D. Souza: Corre, marca, sofre falta, briga, faz gol: 9;
Valdívia: Corre, marca, sofre falta, briga, faz gol, dribla, irrita: 10;
Kléber: Estréia. Brilhante. Correu, marcou, sofreu falta, armou, lançou: 10;
A. Mineiro: Foi sacrificado com a expulsão do Marcos. Por ter saído sem reclamar: 10;
Lenny: Muita vontade e passe para o gol do Denilson: 7;
Denilson: Dois gols: 10.

VL: 10, 10, 10. Time com cara de ganhador. Aqueles que acham que ele não está FO-CA-DO vão ter que engoli-lo.

Contra a Ponte, sem D. Souza e Valdívia (amarelados) vai ser jogo para sofrer na quarta no Palestra. No domingo, contra as meninas do Jardim Leonor, time completo, obrigação de vencer.

Análise de técnicos - by Paulinho

Paulo, o mínimo, agora ataca de comentarista de técnico em um texto escrito sobre os treinadores dos quatro grandes de São Paulo. O pequeno Paulo talvez pretenda com isso mostrar que entende também de futebol, não só de denúncias. O texto é escrito “à moda” já conhecida, com parágrafos curtos, sem nexo entre um e outro, e cheio de erros.

É lógico que o senso comum está sempre presente nas análises. Além disso, como não poderia deixar de ser, Luxemburgo é disparado o pior devido aos seus próprios erros ou pecados. Leão é ruim, mas tem o benefício de ter o seu trabalho atrapalhado justamente por aquele que o mantém no cargo: Marcelo Teixeira, e – é claro – pelo “tsunami” deixado por seu antecessor, que é nada mais nada menos que Vanderlei Luxemburgo. Ou seja, VL é duplamente culpado: é culpado pelo Palmeiras não estar bem e pelo Santos estar ruim. Mano Meneses vem fazendo omeletes sem ovos e Murici é um trabalhador.

O bom é que em textos assim alguns mitos estabelecidos vão sendo botados abaixo. No afã de criticar alguns e elogiar outros o autor joga por terra muitas verdades defendidas por ele e pela imprensa. Atentem para a parte sobre Muricy. O técnico é bom, trabalhador, mas o clube contratou errado, conselheiros interferem... Mas, não era justamente isso que diferenciava o SPFW?

Então, vamos sem maiores delongas, fazer uma análise mais detalhada, tentando parágrafo por parágrafo ver aonde chegou o infante, em negrito meus comentários:

Mano Meneses

O trabalho do treinador corinthiano é sem duvida muito difícil.

Existiria algum trabalho de treinador que seja fácil? Fácil mesmo é sentar na frente de um computador, destilar veneno por todos os dedos, falar besteira, disparar senso comum, obviedades e achar que isso é jornalismo.


Ele vem realizando com muita competência.

Ele quem cara pálida? Se você se refere a Mano Meneses, o treinador do parágrafo anterior, deveria ter construído este parágrafo na continuidade daquele, assim eles teriam nexo. Como não o fez deveria se referir ao treinador novamente e citá-lo.


Acertou o setor defensivo do time, hoje um dos melhores do país, e faz o que pode com as contratações de nível médio realizadas pelo clube.

Olha as generalizações baseadas em números. PVC os solta, feito metralhadora, e os outros vão o seguindo, como se o que ele somou fosse verdade absoluta. Como pode o setor defensivo do Corinthians ser um dos melhores do Brasil se não há como compará-lo tecnicamente com os outros times do Brasil? Ouvi tamanha besteira ano passado quando se repetia ‘aos cântaros’ que a defesa do São Paulo era uma das melhores do mundo, somente baseado em números, não em confrontos ou em campeonatos com nível técnico igual.


Mano sabia que o sistema a ser implantado era baseado primeiro em evitar gols para depois tentar fazê-los.

Mais um senso comum. Em time em formação o sistema defensivo tem que ser montado primeiro que os outros setores. Se isso fosse verdade bastava pôr lá atrás os 11 jogadores e tudo estaria resolvido. Depois essa gente vem falar em futebol espetáculo, futebol bonito.


Por isso a enormidade de volantes contratados.

Por isso o quê? Mais um erro de construção. Deve ser assim: Mano sabia que para evitar tomar gols deveria implantar um sistema que primeiro privilegiasse a defesa, por isso a enormidade de volantes contratados. Ainda fica ruim, mas melhora a construção e o entendimento. O problema é a pobreza do vocabulário utilizado.


A pegada que exige da equipe faz com que eles invariavelmente fiquem suspensos, por isso a necessidade de reforçar o elenco nessa posição.

Outro problema. Eles quem? Deve estar se referindo aos volantes. Quanto ao conteúdo aquilo que era um elogio ao Mano Meneses virou uma crítica, pois ele é um técnico que privilegia ‘brucutus’, usando um termo da moda entre os defensores do futebol vistoso, um técnico que no limite deve mandar baixar o sarrafo, pois mandou contratar uma ‘enormidade’ de volantes, pois estes estariam sempre suspensos por cumprirem seu papel de ‘botinudos’.


Tem apenas que tomar cuidado com o garoto Lulinha.
Há a necessidade evidente de preservá-lo.

Preserva-lo do quê? De quem? Por quê? Para quê?


Mano Meneses vem fazendo omelete com ovos ruins, e no geral vem se virando bem.

Meu Deus! Frases feitas sempre servem para encerrar aquilo que não deveria nem ter começado. Senso comum do mais rasteiro.



Vanderlei Luxemburgo

O pior custo benefício do Brasil.

Aqui o início do ataque. O moço deve se morder por não ter alguém disposto a pagar-lhe a vultosa quantia que recebe VL. Sempre bate (ele os seus) nesta tecla, a dos vencimentos do treinador Palmeirense, isso deve incomodá-lo deveras.

Luxemburgo é atualmente um empresário que tem por hobbie ser treinador de futebol.

Não vejo problema algum em alguém exercer duas – ou mais - atividades ao mesmo tempo. O que não enxergam os beócios é que uma atividade está intrinsecamente ligada à outra. Me explico: O IWL e a atividade de empresário são dependentes do sucesso de VL como treinador, afinal, você iria – caso fosse presidente de um clube – deixar seu time ser administrado por uma pessoa que não tivesse sucesso na sua profissão e nas atividades correlatas a ela?

O Palmeiras não tem padrão tático definido e vive de individualidades.

Não vou comentar a segunda parte, pois sou Palmeirense e sempre fui acostumado que em meu time jogassem craques, então individualidades são bem-vindas, chega de ‘bom e barato’. Mas, dizer que o Palmeiras não tem padrão tático é de uma imbecilidade atroz. O time joga com padrão tático definido sim. São dois alas/lateriais que tem a função de chegar ao fundo, dois volantes para dar proteção a essas decidas, sendo que eles – alternadamente – chegam ao ataque. Existe um meia de ligação que joga mais próximo ao gol para finalizar e tentar jogadas individuais (Valdívia) e outro que chega, e tem também a função de finalizar, mas que é um jogador que busca mais o jogo coletivo. Por não termos um homem de área (isso mesmo, o Alex Mineiro, apesar de ser centroavante cai pelas laterais) as jogadas de aproximação são freqüentes, entre laterais, meias e centroavante. Hoje, provavelmente, jogará Kleber para fixar mais o A. Mineiro na área e recuar um dos dois meias para a função de armação mais no meio campo, menos avançado. Deve sair o Wendel, que é um volante que deixava para o Pierre, a vezes, a função de terceiro zagueiro. A zaga, aquela que deve ser treinada para primeiro não tomar gols, já chegou a contar com um zagueiro a mais, justamente para dar a tranqüilidade que o time precisava no começo do campeonato. Pode-se dizer que o Palmeiras não vem jogando bem, que o padrão tático não é bom, mas dizer que ele não existe, é miopia. Coisa de quem não entende nada de futebol.

O ponto positivo do trabalho de Luxa é o evidente crescimento de Valdívia.

Só isso já valeria o salário pago a ele, mas não vou entrar por esse caminho não. O que me chama a atenção é o como na imprensa uma idéia jogada, aqui e acolá, por alguém que é respeitado no meio vira verdade absoluta. Bastou o Valdívia fazer um gol, o PVC mostrar sei lá o que em sua prancheta, o Armando Nogueira escrever um texto (estilo bilhete) todo rebuscado, barroco, rococó, para o Valdívia passar de demônio a santo, de cai-cai a craque, de quem não sabia finalizar para um matador, e seu técnico tem todos os méritos por isso. Não caio nessa. Valdívia – para mim – continua sendo o que sempre foi: um excelente jogador de futebol, que sabe driblar, abrir uma defesa com sua habilidade e deixar algum companheiro na cara do gol, além de quando em vez fazer um gol. O resto é senso comum e vontade de repetir idéias pré-estabelecidas.

O próprio atleta atribui ao treinador sua evolução.

Repórter para o Valdívia: Você melhorou muito seu poder de finalização do ano passado para esse, isso se deve ao trabalho do Vanderlei Luxemburgo?

Resposta do Valdívia: Sim.

Queria o autor do texto o quê? Que ele dissesse não? Imaginem o Valdívia dizendo: Não, eu é que sou craque mesmo, aprendo tudo sozinho; ou, não, foi o professor Caio Junior, aquele gênio do futebol, que em uma conversa de pé-de-ouvido, no dia de sua despedida, me ensinou – como que em um passe de mágica – finalizar desse jeito.

Tenha paciência!


A função de Luxa é fazer a equipe jogar bem, de forma coletiva.

Elementar, meu caro Watson. O grande problema é que a função do treinador é fazer a equipe jogar. Se de forma coletiva, privilegiando as individualidades ou ambas, isso são variáveis a serem escolhidas de acordo com os elementos humanos disponíveis para isso. Entretanto, para o treinador basta fazer a equipe jogar, ganhar um ou dois títulos e, neste caso, VL receberá elogios e ganhará prêmios por ser “o gênio que fez a máquina alviverde triturar” seus adversários. Não, eu não direi isso, quem dirá é a imprensa, dirão os jornalistas.

É exatamente o que ele não vem conseguindo fazer.

Isso tem a ver com o parágrafo sobre padrão tático. Não vou me estender com isso. Apenas divagação e texto para complementar o parágrafo anterior.

Acredito que Caio Junior, se tivesse esse elenco nas mãos, poderia se sair melhor.

Aqui um exercício de futurologia. Lá no interior, em casos como esse, usa-se um dito popular (para desespero do Falavigna): “Se a vaca soubesse cuspir ela não babava”. Mas, posso afirmar de minha parte que com o Caio Junior esse time não se acertaria nunca, o Leandro estaria realizando as partidas medíocres que realizou no ano passado, sairia para a entrada do Valmir e este, sairia para a entrada do Leandro. Algum Edmundo da vida estaria mandando no time, o Dininho ainda seria titular, o Valdívia não saberia finalizar (aqui uma pequena sacanagem, mas não tenho como não usar o argumento dele próprio), o Edmilson estaria no elenco, o Luis Maluco também.

Afinal, é apenas treinador, estaria mais focado no time.

Eis mais um termo repetido a exaustão pela imprensa esportiva: focado. Algum treinador, há época que não era desafeto de ninguém, disse isso por uma, duas ou três vezes, vira mantra e é repetido como se fosse a verdade das verdades. O problema do Caio Junior, ao contrário do Luxemburgo que têm várias funções (segundo alguns), é que ele não tem função alguma. Ele não é empresário, não é Manager, não é dono de instituto, mas também não é técnico de futebol.


Vem ai, Muricy e Leão, by Paulo, o ínfimo. Aguardem.

Recordando - Bolão Brasileirão 2008

Como já anunciei por aqui entraremos na onda dos bolões.

Não será um bolão comum. Nos outros as apostas podem ser, pasmem, até contra o Palmeiras. Aqui também, mas se o 'seca pimenteira' fizer isso corre o risco de perder pontos. Além disso, as regras permitem que o apostador entre a qualquer momento no jogo, e dependendo de suas habilidades de mãe Dinath e algumas habilidades matemáticas, não será prejudicado por entrar no jogo atrasado.

Mas, como isso aqui é um espaço democrático (pelo menos para àqueles que são Palestrinos 'desde criancinha') vou submeter as regras para apreciação dos leitores, para que ela seja melhorada.

Segue abaixo as regras que eu pensei. Estou aceitando sugestões, adendos (desde que não tornem a tarefa de administrar a pontuação uma tarefa inglória) e críticas.

Teremos - pelo menos - um mês para azeitar essas regras e publicá-las definitivamente. Peço aos amigos que freqüentam este espaço para que me ajudem a tornar o jogo mais divertido.

Não se esqueçam que o editor está a procura de patrocinadores, assim poderemos premiar o(s) vencedor(es).

Eis as regras do Bolão BRASILEIRÃO 2008, sujeitas a mudanças:

BOLÃO BRASILEIRÃO 2008

REGRAS

Todos os leitores de Blog poderão publicar seus palpites até 1 hora antes do início da primeira partida da rodada;

Os palpites somente poderão ser dados no espaço específico que será publicado pelo editor do Blog;

Os palpites deverão ser dados no vencedor dos jogos, ou seja, vitória de A, de B ou empate;

Para cada acerto o autor do palpite receberá 1 ponto;

OS JOGOS DO PALMEIRAS terão palpites e peso especial. No jogo do Palmeiras o apostador deverá apostar também NO PLACAR e NOS ARTILHEIROS. Neste caso poderá receber 1 ponto pelo acerto no jogo, mais 4 pontos pelo acerto do placar. Caso acerte também os marcadores receberá 5 pontos extras (mas, tem que acertar todos os marcadores. Caso um jogador marque mais de um gol isso deverá constar do placar). Observação: Não precisa acertar o marcador do time adversário. Por exemplo: Palmeiras 2 x 1 Flamengo – Gols: Alex Mineiro (2). Pontuação total : 10 pontos; 1 pelo resultado (vitória do Palmeiras); 4 pelo placar; e, 5 (extras) pelo(s) artilheiro(s).

Caso especial: Se alguém apostar CONTRA O PALMEIRAS e acertar: PERDE 1 ponto por acertar o palpite, PERDE mais 4 pontos se acertar o placar e PERDE mais 5 pontos se acertar os marcadores. Pontuação: - (MENOS) 10 pontos...

...Vai ser seca pimenteira em Blog de Bambi!

Então, atenção: Nos palpites dos jogos do Palmeiras DEVERÁ, OBRIGATORIAMENTE, constar o placar e os marcadores. Nos demais somente o vencedor.

Palpite especial: O apostador poderá – a seu critério – em cada rodada eleger um jogo onde se utilizará de um duplo, ou seja, se estiver em dúvida, acreditar que o jogo é de risco poderá apostar em dois resultados possíveis, mas EM APENAS UM JOGO POR RODADA. Neste jogo ganhará apenas ½ (meio) ponto. Mas, lembre-se da regra para os jogos do Palmeiras: se apostar um duplo (e ele for aberto – vitória do Palmeiras e vitória do adversário [ou mesmo empate]) e acertar, neste caso, aplica-se a regra do Caso especial.

Nos palpites deverão constar nome e e-mail, pois se o editor do Blog conseguir algum brinde para premiar o(s) vencedor(es) precisará de um contato para poder efetuar a premiação.


E aí amigos, o que acharam? Complicado? Divertido? Sugerem alguma mundança?

Escrevam, pois temos algum tempo para aprimorar as regras.

Prazo para aprimorarmos as regras: 10 de abril. Um mês antes do início do Campeonato Brasileiro de 2008.

Não, não vai ter bolão da segunda divisão... Talvez possamos incluir - a critério dos amigos - um palpite 'seca pimenteira', do tipo: acertou que o timinho da marginal sem número vai perder ganha-se 1, 2 ou 3 pontinhos extras. Se quiserem a gente acrescenta.

Recordar é viver

Vocês se lembram do drops que eu publiquei por aqui? Não, então dêem uma olhada clicando aqui. Atentem para a parte grifada, a última da postagem. Querem relembrar, vou publicar de novo então:

O Juquinha em seu Blog, devidamente copiado por Paulo (o pequeno) no seu, volta à carga contra Luxemburgo. O Alvo agora é o IWL (Instituto Wanderley Luxemburgo).

Escreve sobre a falta de alguns ‘çabios’ (escrito assim mesmo, para ironizar) no Instituto, sugere nome de alguns e diz que há um árbitro que ainda apita e ao mesmo tempo presta serviço a VL, pois é o encarregado pelo curso de arbitragem no IWL. Segundo ele isso não pode. Deve ser, para o Juquinha, mais uma tremenda demonstração de falta de?... Ética!

Mas, já que o assunto aqui é o que pode e o que não pode, o que é ético ou não, quero saber como fica agora a situação dele, do Juquinha? Me explico: o Instituto Wanderley Luxemburgo (IWL) agora é anunciante da ESPN-Brasil, canal onde ele destila toda segunda-feira (Linha de passe) sua abjeção, e restrições éticas e morais contra o dono do Instituto. Será que em nome da ÉTICA ele pedirá demissão, tomará alguma atitude, se pronunciará em seu Blog? Ou neste caso a ética não se aplica?

Em episódio recente, sobre uma possível censura ao Blog de seu afilhado (Paulo, o diminuto), que gerou até a saída do referido Blog do Portal UOL, devido à interferência do site Futebol no interior, o nosso arauto tomou uma posição, digamos assim de maneira leve, dúbia; deu razão às ambas as partes.

E, Paulo (o mínimo), falará sobre isso? Dará uma reprimenda em seu padrinho, cobrará uma posição, ou se calará?

Respostas, atitudes, coerência entre discurso e prática, isto, quem sabe, teremos em alguns dias. Esperemos.

Mas, o leitor perguntará: O que o editor do Blog quer com isso de novo? Estará ele aprendendo com a imprensinha e requentando uma postagem? Perdeu o juízo? Se rendeu ao apelo fácil das denúncias que vão e vem ao gosto do acusador, feito alguns 'jornalistas/blogueiros' que têm por aí?

Calma, não é nada disso. É que esta madrugada, assistindo a ESPN-Brasil, vi o comercial do IWL de novo por lá. Durante a semana não havia visto mais, pensei que o Juca e seus seguidores (por lá são muitos) haviam tomado uma atitude, ‘batido na mesa’ (se é que me entendem) e botado os ‘pingos nos is’, do tipo: ou o IWL ou eu! Nada disso, o WL está lá, de novo, pimpão, fazendo propaganda de seu instituto no local de trabalho do Juquinha. Ou seja, em última análise uma das fontes de renda do dito cujo é o WL, aquele que não presta, o que não sabe falar, o inominável...

E nada de manifestações sobre isso por parte de Juquinha e sua turma. Como já havia escrito - e vocês podem ler novamente acima: "Respostas, atitudes, coerência entre discurso e prática, isto, quem sabe, teremos em alguns dias. Esperemos".

O problema é que acho que o 'em alguns dias' terá que ser substituído por quem sabe algum dia.