A ARQUIBANCADA NA REDE - WEB ARQUIBANCADA
"Em 40 anos de jornalismo, nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal". (Cláudio Abramo, que dirigiu Folha e Estadão)

Busca

Pesquisa personalizada

28 de dez de 2007

Indicação de Blog

O cara é irmão de um amigo. Acho que com isso e um certo tempo de convivência posso considerá-lo – no mínimo - amigo. Nada de melhor amigo. Nada de bom amigo. Amigo. Ou, talvez, um amigo, do amigo, do amigo...

O cara é inteligente, gosta de bons livros, bom “Uisque”, joga Texas Holding (é assim que se escreve?), do Palestra... De jogo no Palestra (apesar de eu ser sócio foi ele que me apresentou o 'Bar Inglês'!).

Pois, hoje soube que ele tem um Blog. Escreve bem. Li e gostei.

E aí vem o André e pau no Tostão! Esse último é mais um representante do supra-sumo do jornalismo ético, onde junto com o 'Kfuro', destilam veneno, bom-mocismo, inteligentzia, cultura, mas – acima de tudo – senso comum. Merecido o PAU.

Dizem (os intelectuais) que escrevem sobre futebol. Brincadeira!

Dizem que escrevem sobre esporte. Piada!

Falam aquilo que a 'inteligentzia' quer ouvir. Falam para eles mesmos.

O pior? Pedem permissão. Se justificam.

Não permito. Não tenho mais (nunca tive) paciência e vontade de ouvir e ler. Se ao menos se dessem ao trabalho de ser – como dizem – diferentes, polêmicos, autênticos...

Tostão perdeu o que teria (é assim que jornalista escreve, né? Na condicional) de melhor: a vantagem de ter 'estado lá'. De falar de tática, de esquema de jogo. Mostrar que os anos de 'cancha' o credenciaram à crítica do jogo. Preferiu o caminho fácil. Entrou no jogo do senso comum. Errou e perdeu a mão.

O Kfuro (o do Valdívia no São Paulo) em sua batalha contra 'moinhos de vento' (seus inimigos) não perdeu a mão. Perdeu a mão, o pé, o rumo...

Que saco essa história de quem concorda comigo é DO BEM e quem não concorda é DO MAL.

Belo texto André.

Leiam o texto sobre o Tostão em: OFALAVIGNA – o Blog do irmão, do irmão, do amigo, do primo. Foi indicado – lá eu tomei conhecimento – pelo Observatório Verde (que já está nos indicados). O do André vai para lá também.

22 de dez de 2007

Uma tarde de domingo... Eu amo esse jogo

Essa 'copylefto' do TERCEIRA VIA VERDÃO:

Então é Natal
Caía a tarde feito um viaduto; dessas tardes de sábado, como no ano que se encerra, antevéspera do Natal.

Não há nenhuma atividade esportiva.

As emissoras de rádio, com seus compromissos comerciais, tem que encher o tempo. Resenhas, entrevistas com jogadores em férias, palpites e boatos sobre contratações, enfim naquela tarde de muito calor parecia que o tempo não passava.

De repente o locutor eleva a voz, anunciando:

-- Agora ouviremos Agustin Mario Cejas, ex goleiro do Santos e da seleção argentina.
Cejas responde aquelas perguntas óbvias, diz que tem um loja em Buenos Aires e um pequeno hotel em Mar del Plata, de onde fala naquele instante.

Quando perguntado sobre os grandes jogadores que enfrentou, fala de Pelé que foi seu adversário e companheiro, mas detém-se em comentar sobre Ademir da Guia de quem fala maravilhas.

Lembra de um jogo que estava empatado e minutos antes do fim, O Palmeiras tem uma falta ao lado do bico da grande área, na direita de seu ataque. Ademir bate com o lado externo do pé direito e a bola fazendo uma curva inacreditável entra no ângulo do gol santista, decretando a vitória palmeirense.

À medida que vai relembrando os fatos a voz de Cejas torna-se embargada pela emoção, até que a chega a pergunta final:

-- Agustin Mario Cejas, depois de amanhã é Natal; você já veterano, cuidando dos negócios, longe dos campos; você que jogou na época de Pelé. Ademir da Guia, Gerson, Leivinha, Leão, Pedro Rocha, Rivelino, Dudu e tantos outros se tivesse o direito de um único desejo o que pediria ao bom velhinho.

A emoção toma conta da voz de Cejas.

-- Uma tarde de domingo.

Eu amo esse jogo!


EU TAMBÉM!

Valeu pelas visitas.

No próximo ano, ainda neste, estaremos por aqui para fiscalizar, noticiar, criticar e mostrar que a IMPRENSA ALTERNATIVA ALVI-VERDE é o melhor canal de informação para a nação Palestrina.

Feliz natal a todos(as).

Férias, mas ainda de olhos e ouvidos afiados

Ferias com a família. Linha discada. Merecido descanso depois de um ano para ser esquecido profissionalmente.

Mas, mesmo assim, de olhos e ouvidos bem abertos para as barbaridades cometidas por um certo 'baluarte' da modernidade e seus defensores, a imprensa venal (na figura de pseudo-jornalistas), aquela(es) que RECEBE JABÁ para defender o 'baluarte' e tentar minar a resistência de seus INIMIGOS (deveriam ser apenas adversários, mas são sim INIMIGOS. Como diria o filósofo: são as condições que se apresentam que dizem a estratégia a ser seguida).

Pois bem, vejam o post do Blog OBSERVATÓRIO VERDE que reproduzo a seguir:

Caio Filardi (calma, Caio, calma! ) deu a dica nos comentários no post anterior, mas achei a matéria (de Eric Faria, da TV Globo) tão impressionante que vale reproduzí-la aqui, na íntegra:

Rodrigo no Fla: teve até ameaça de morte
Eric Faria Da TV Globo, no Rio de Janeiro
Rodrigo no Flamengo: uma negociação cheia de reviravoltas
Na última quinta-feira, o Flamengo apresentou o zagueiro Rodrigo, contratado por empréstimo junto ao Dínamo de Kiev. O que pouca gente sabe é que a negociação que levou Rodrigo à Gávea começou em Santos… e envolveu idas, vindas e até uma séria ameaça. Rodrigo só foi liberado, oficialmente, para assinar com o Flamengo após uma tensa e emocional ligação que o próprio zagueiro fez para o presidente do Dinamo de Kiev, Igor Surkis. A história começou no fim de novembro. Rodrigo, que se recuperava de uma lesão no joelho no Santos, perguntou a Vanderlei Luxemburgo, então técnico do Peixe se ele ficaria no cargo em 2008. O zagueiro queria jogar a Libertadores da América - e o Santos estava praticamente classificado. O técnico disse que não podia garantir sua permanência. - Então vou procurar outras coisas - disse Rodrigo. O primeiro contato veio do Morumbi. O empresário do jogador, Giussepe Diogardi, se reuniu com o São Paulo - mas ouviu uma proposta que considerou muito baixa. O zagueiro não aceitou. E acabou ouvindo de Milton Cruz, integrante da comissão técnica do campeão brasileiro, que a parte financeira deveria ficar em segundo plano: - Jogar no Morumbi agora é uma grife, Rodrigo - disse Milton. O argumento não soou persuasivo. O zagueiro ficou sabendo, então, do interesse do Flamengo. Contato feito, veio uma rápida reunião e o Rodrigo acertou as bases salariais com o clube carioca. O Dínamo enviou um fax autorizando a transação - um documento que ainda não liberava o jogador. Foi aí que a situação começou a se complicar. O São Paulo soube do acerto e resolveu entrar novamente em campo. Contactou o zagueiro oferecendo um salário melhor. Rodrigo disse que não voltaria atrás. A diretoria do clube paulista não desistiu. Pediu para Rogério Ceni entrar no circuito e telefonar para Rodrigo, apelando para o lado emocional. Não adiantou, Rodrigo disse ao goleiro que já tinha dado sua palavra.

Tricolor chegou a oferecer 80% a mais que o Fla

Ainda assim, o São Paulo não jogou a toalha. Contactou diretamente o Dínamo de Kiev com uma proposta financeira melhor que a do Flamengo. O São Paulo ofereceu 80% a mais e informou ao Dínamo que “Rodrigo preferia jogar no Morumbi”. Quando a proposta tricolor chegou, o empresário do zagueiro estava na Ucrânia para acertar os detalhes finais da transferência para o Rio de Janeiro. O presidente do Dínamo, Igor Surkis, viu a diferença e quis aceitar a proposta paulista. Diante da recusa do empresário, a coisa engrossou. - Ele me disse que eu não sairia vivo da Ucrânia - diz Diogardi. A atmosfera ferveu. Irritadíssimo, Surkis disse que Rodrigo não sairia mais para lugar nenhum - seria obrigado a cumprir seu contrato com o Dínamo. Foi aí que o zagueiro deu seu carrinho emocional. Aproveitando o bom relacionamento com o cartola, ele ligou para a Ucrânia. Falou de sua recuperação, da importância de cumprir a palavra. Acabou conseguindo a liberação e assinou com o Flamengo.

Então ficam algumas questões. Será que a imprensinha paulista, que eleva à nuvens a modernidade e o arrojo de certo time, vai comentar algo? Ou a mentira agora vai ser vendida como “esperteza para negociar”? Interessante como é frequente vermos as mesmas pessoas que condenam o “jeitinho” aceitarem certas malandragens como prova de força nas negociações capitalistas. Quer dizer então que todo o prestígio que a louvação sem controle da imprensinha rende vira moeda de troca em negociação com os jogadores?

***

Chamo a atenção também para o comentário de Andre Erre, no mesmo post anterior. Prova de que um pouco de investigação inteligente é suficiente para derrubar o sensacionalismo de acusações que beiram a indigência mental.

Vale ler também o comentário de Marcos Ribeiro sobre as generalizações e a marota falta de critério da imprensinha quando noticia ilícitos e crimes.

Além de muitos outros comentário, igualmente excelentes. O pessoal está afiado.



E aí JUCA? Vai deixar passar batido como fez com o lançamento da Arena, para depois criticar a iniciativa?

Seu modelo de gestão e transparência aceita tais 'recursos'?

E aí Paulinho (do Blog do Birner)? Vais comentar? Não?

Como dizem os torcedores ao final de uma batalha vencida: EU JÁ SABIA!!!

Essa imprensa RECEBE JABÁ do SPFW. Estou esperando me acionarem, aí - quem sabe - uma CPI aparece e desvenda o submundo do 'jornalismo esportivo' brasileiro.

De férias, com linha discada, mas - como já disse - DE OLHOS E OUVIDOS BEM ABERTOS!

21 de dez de 2007

Valeu Edmundo!

EDMUNDO SE DESLIGA OFICIALMENTE DO PALMEIRAS

Por Fábio Finelli – Assessoria de Imprensa SEP

A diretoria do Palmeiras comunicou oficialmente o desligamento do atacante Edmundo, em encontro realizado na tarde desta quinta-feira (20), na Academia de Futebol.

"Foi uma conversa amigável. Deixamos bem claro todo o respeito pelo Edmundo, que sempre foi um profissional comprometido com o clube. É uma situação triste, pois trata-se de um símbolo do Palmeiras. E a não continuidade dele em nada tem a ver com a pessoa dele ou as mudanças técnicas, mas sim com a filosofia de trabalho do clube", explicou o vice-presidente de futebol, Gilberto Cipullo. [leia mais clicando aqui]

Juca Kfouri

Sim, ele de novo!

Publica uma entrevista da folha de São Paulo para atacar a Traffic e, claro, o Palmeiras.

Vou só escrever uma coisa para esse cara, que a partir de hoje, perdeu TODA a credibilidade que tinha comigo:

JUCA, SUA MULA, a Traffic não é PARCEIRA do Palmeiras. É uma empresa de Marketing Esportivo, que agencia jogadores de futebol. Assim sendo, sendo gerente da carreira de vários atletas e com contatos com vários clubes de futebol, colocará os seus atletas no clube que melhor lhe parecer como 'vitrine', isso mesmo, 'vitrine' para poder auferir LUCRO com a venda desse atleta. O fato de ter contato e atletas em vários clubes funciona igual a empresários de jogadores que também atuam assim. Entendeu? Não? Então vai:

A Traffic é uma empresa que é 'empresária' (será que com a redundância a MULA entende?) de vários atletas. Tem contato com vários clubes. É uma empresa (capitalista), então que auferir LUCRO. Entendeu? Não? Então:

Vai catar coquinho!

Blog do Birner

Um tal de Paulinho, ghost writer do Birner, escreve hoje uma montanha de 'ASNEIRAS' sobre a parceria com a Traffic, sobre o projeto da Arena e sobre nosso novo patrocínio. Segundo ele nada serve. Vejam:

Começa dizendo que nosso patrocínio não chega nem perto dos R$ 21 mi, e que SEGUNDO SOUBE, não passa dos R$ 12 mi anuais.

Tenho certeza que o que ele SOUBE foi por 'fontes' da oposição 'mustafanianas'. Sou capaz de apostar um dedo.

Em segundo lugar ele diz que a fumaça foi grande. Mas, que fumaça? Matérias de ontem – de vários veículos – sobre o lançamento da camisa do patrocinador davam conta do MISTÉRIO sobre os valores. Ninguém, repito, NINGUÉM da diretoria ou da parceria revelaram os números. Tudo não passou de especulações.

Inclusive, as matérias mostram que parte do dinheiro será investido nas categorias de base. Ou será que só o SPFW pode investir na sua base?

Fumaça sr. Paulinho, é inaugurar mastro de bandeira e a imprensa dar meia página para isso. Cortina de fumaça é o SPFW receber verba do governo federal para ampliar o seu CT no valor de metade de toda a verba que receberá a equipe brasileira que irá a Pequim e vocês – da imprensa – nem bola darem. Isso sim são casos de fumaça e de cortina de fumaça.

Segue o BEM INFORMADO jornalista falando sobre o projeto da Arena. Dentre outras 'besteiras' diz que o parceiro do projeto, W torres, não é o ideal. Mas, o que – ou qual parceiro - seria o ideal? O governo de São Paulo? O governo Federal? Será que o dinheiro público é o ideal? Ou será que o colunista tem algum parceiro, ou empreiteira, para indicar? O parceiro ideal talvez seja a MSI, ou a Medial Saúde, ou aqueles que reformarão o Morumbi? Neste último caso, aposto outro dedo, DINHEIRO PÚBLICO.

Segue o autor destilando seu conhecimento, que vai das seguras fontes jornalísticas à política interna – inclusive a econômica – do Palmeiras. Diz para encerrar que estamos entrando em uma fria com a Traffic, que o J. Hávilla dá aulas de como se fazer um bom negócio (nossa! Será isso bom para a gente?) e de que temos uma dívida que, entrando o dinheiro da Traffic, mais o do patrocínio, descontadas as dívidas, nosso saldo será R$ 0,00. Médio de matemática, ruim de negócios, péssimo como jornalista, excelente como assessor de imprensa da oposição do Palmeiras e de um clube que paga por matérias desfavoráveis dos adversários.

Encerro por aqui. Não vale à pena gastar mais uma linha com ele(s). O bom mesmo é o que o SPFW faz, afinal ELAS DÃO JABÁ.

Ouviu sr. Paulinho? Estou te acusando de péssimo jornalista e de receber propina para atacar o Palmeiras.

20 de dez de 2007

Fiat

A FIAT é a nova patrocinadora do Verdão.

Tratada pelo jornal O Estado de São Paulo como a maior do Brasil, foi anunciada hoje, na sala de troféus do Palmeiras, a empresa que estampará no 'manto sagrado' sua marca.

Leiam tudo sobre isso no Terceira Via Verdão.

Mais um presentão de natal em 2007. O ano novo, 2008, parece que será cheio de conquistas.

Será que é por isso que tem jornalista por aí se rasgando? Hipoglós neles! Para os cotovelos e para as partes que estão sendo rasgadas.

Juca Kfouri

Sim, ele de novo. Do alto de sua 'magnanimidade', naquele post de seu Blog que eu já comentei, aquele em que ele critica Luxemburgo e exalta o 'craque' Acosta, vem uma acusação que a diretoria do Palmeiras tem que tomar conhecimento e providências.

Como sei que ele não publicará minha resposta, já não o fez diversas vezes, reproduzo aqui as minhas perguntas. Eis o comentário de um leitor e a resposta do Juca:

[Leitor - não publiquei o nome para preservá-lo, mas está lá] [São Paulo]

Juca, admiro você como jornalista e como pessoa. É com imenso prazer que há anos leio o que você escreve. Inclusive, no meio de sítios/blogs com boatarias, o seu é um que eu confio, pra ver notícias confiáveis. Mas, não estou mais conseguindo ler nada seu que refere-se ao Palmeiras. Não sei se você tem algo contra as pessoas que dirigem, contra Luxemburgo e J Hawilla, e esse é o motivo. Mas não há nada de positivo NUNCA em relação ao Palmeiras vindo de você ultimamente. Por favor, encare de uma maneira positiva essa crítica desse humilde (ainda) leitor diário. Abraço


19/12/2007 13:26

RESPOSTA: [do Juca, pois ele é o editor do Blog]

Amigo, a exemplo do que escrevi quando o Corinthians se juntou aos mafiosos da MSI, fico sim muito preocupado com a atual parceria do Palmeiras, que deverá render bons resultado em campo imediatamente e a quebradeira depois, porque tirante alguns cartolas alviverdes apaixonados e ingênuos, o resto está ali para se arrumar. E só.


Pois bem, as minhas dúvidas:

1. Ele está acusando a 'parceria' entre Palmeiras e Traffic de ser igual a do time que ele torce com a MSI, ou seja, uma lavanderia com ligações com a máfia russa e com o tráfico internacional de armas?

2. Ele está dizendo que no Palmeiras há dirigentes que pela ingenuidade não poderiam estar dirigindo um clube de Futebol?

3. Ele está acusando o 'resto' (seja lá o que isso queira dizer, deve ser para diferenciar os ingênuos dos 'picaretas') de quererem se arrumar. O que quer dizer se arrumar? (Seria para não se comprometer caso haja um processo e poder se safar?).

4. Quem são os ingênuos?

5. Quem são os que querem se arrumar?

São perguntas que o Editor do Blog, sr. Juca Kfouri, no afã de criticar tudo vindo do Palmeiras, tem que responder.

Começo a achar que aquele jornalista que eu tinha em alta conta acabou. Seria ele mais um daqueles, como ele mesmo acusa, que tem uma relação estreita com o poder? No caso dele o poder de algum clube que adora pagar alguns 'jabás' para aqueles que o elogiam e criticam os adversários?

Com a palavra Juca Kfouri.

Alô diretoria, essa não pode passar batida. Aliás, nada mais pode passar batido em relação a essa imprensa nojenta.

19 de dez de 2007

Imprensinha - 10H30

São 10h30 da quarta-feira, quase 40 horas após o lançamento da Arena Palmeiras. Nenhuma nota na imprensa. Nada.

O Juca preferiu destilar seu veneno contra o Luxemburgo (mais uma vez) e enaltecer o 'craque' Acosta (nova aquisição do 'timão-segunda divisão).

O Birner - típico torcedor do SPFW - preferiu o muro (comentando a contratação do Luxa), mas não sem antes dizer que é um técnico caro (e com 'staff' caro também, mesmo com o já veiculado que ele trará apenas o preparador físico).

Nada na Gazeta Esportiva, nada no Estadão (neste uma boa reportagem sobre a volta do Luxembrugo), nada no Lance, nada em lugar algum.

Mas, se quiser conhecer um pouco sobre a Arena clique:

Aqui

Aqui

Aqui

Aqui

Bem, como se vê, não precismos deles (jornalistas e jornalões).

Se quiser ler sobre ética no mundo do futebol, inclusive aquela dos jornalistas e dos jornalões, clique aqui.

18 de dez de 2007

Imprensinha

Há alguns meses, me recordo, o SPFW inaugurou em seu centro de treinamento um mastro de bandeira. Isso, mesmo - segundo eles, o maior mastro de bandeira de um centro de treinamento do Brasil.

Àquela época um jornal de São Paulo deu 1/4 de página para o evento.

Ontem, o Palmeiras apresentou oficialmente - à imprensa e ao público em geral - o projeto de sua (nossa) Arena Multiuso, já em estágio bastante adiantado. Pois bem, são 11h35 e NENHUM órgão de imprensa deu uma linha sequer. Nem o Birner, nem o Juca, nem Lance, nem Gazeta esportiva, nem ninguém.

Nehuma linha para num projeto que é o único que se apresenta com condições de contruir um espaço para abrigar a Copa de 2014 e com recursos apenas da INICIATIVA PRIVADA.

Opa, me enganei! Um órgão deu sim. Mas, um órgão da imprensa alternativa Alvi-Verde, o TERCEIRA VIA VERDÃO. Mais um ponto pra gente. Deixem eles com suas BARRIGAS.

17 de dez de 2007

Vergonha

Enquanto o Juca Kfouri procura pelo em ovo na nossa parceria com a Traffic. Enquanto os jornalões 'fazem pouco' da construção de nossa arena. (clique aqui e veja a resposta do 3VV) Uma notícia passa batida, sem comentário de nenhum defensor da moral e dos bons constumes.

Eis a notícia do portal UOL, esportes, 16/12, às 17h38: São Paulo recebe verba equivalente à metade da do COB.

Isso mesmo, elas - mais uma vez - se socorrerão do dinheiro público para um investimento privado. Mas, como é o São Paulo, time onde os dirigentes 'tem um olho em terra de cego', ninguém fala nada. Aí pode.

Será que a reforma do panetone (para a copa de 2014) também usará dinheiro público? (MORUMBI NÃO!)

Será que é ético utilizar dinheiro público para um investimento privado?

Será que os defensores da moral e dos bons costumes deixarão para lá?

Quero ver a reação.

Mas, como sei que nada falarão, me antecipo: Bando de hipócritas. Venais.

15 de dez de 2007

Arena


Na segunda teremos maiores detalhes. Mas, nossa arena está encaminhada: Vejam!!!

366 dias - é o maior!

Estava eu aqui tomando minhas cervejas. Escrevi - mais uma vez - para o Juca Kfouri. Naveguei pela net. Respondi meus e-mails.

Me surgiu a seguinte idéia: 365 dias de segunda divisão pras "imundicies". 365 piadas. Legal, vou colaborar com a alegria do mundo.

Opa! Ano Bissexto.

TREZENTOSESESSENTAESEISDIAS.

Isso mesmo, 366 dias.

Um dia a mais de segunda divisão.

Sendo assim, ajudem esse Blog. Preciso de 366 piadas ou charges para sacanear o CUrintias. Uma nova piada ou charge por dia do ano.

COLABOREM.

Há um espaço no ORKUT para isso também: 366 dias na segunda!

14 de dez de 2007

AINDA JUCA KFOURI

Há algum tempo o jornalista Juca Kfouri caminha sobre a tênue linha entre o jornalismo esportivo e o jornalismo político/esportivo (não é crítica, é constatação).

Todos sabemos (e acompanhamos) sua luta pela ética no futebol! Alguns o entendem e aplaudem (como eu), outros acham que apenas empreende esse tipo de luta por não ter capacidade de exercer a profissão que escolheu (tenho um amigo que pensa assim. NÃO CONCORDO).

É praxe no meio político desqualificar o oponente para poder dar fé à sua tese.

Pois bem, o Juca se utilizou dessa tática para justifica a BARRIGA que cometeu no caso da negociação do meia Valdívia com o São Paulo. Não usou nenhum argumento mostrando que o ‘furo’ era verdadeiro, até porque trouxe tantos devaneios acerca da credibilidade alheia que desfocou o leitor. Não trouxe nenhum fato novo mostrando que a notícia ‘supostamente’ poderia ter fundamento. Somente a DESQUALIFICAÇÃO daqueles que o DESMENTIRAM (Figer, Palmeiras, São Paulo). Somente sua FONTE e ELE mesmo (agora, novamente, na qualidade de baluarte da moral) estariam certos.

Pasmem, segundo o autor da notícia (Juca) o seu “furo” impediu a continuidade de um negócio milionário! (R$ 51 mi). A notícia (furo) fez com que Figer perdesse “alguns minutos” checando de onde havia saído o vazamento da informação. Pasmem, novamente! É como se a imprensa tivesse o poder – a ela atribuído - de determinar os destinos do mundo (agora do futebol). “Baita poder!!!”

Esqueçamos o fato de o próprio Juca ter dado pistas da BARRIGA ou suavizado (‘desmentido’) a informação alguns minutos depois: “Só espero que não seja a minha desinteressada fonte.”, pensemos e acompanhemos o raciocínio de outro jornalista (Birne – “pupilo” do Juca): “...cerquei tudo. A única chance de eu errar é o Juvenal estar negociando sozinho, escondido de todos. sem NINGUÉM saber. Não consegui falar com ele.”

Mas...

Pronto, depois do estrago feito a tentativa do desmentido. Em vão!

Entretanto, meus caros, na época da blogosfera isso não passa batido. Os leitores são mais atentos, os canais são dispersos, o monopólio da informação não existe mais (somos ao mesmo tempo consumidores e produtores de informação), a blogosfera é anárquica, fluída... O mundo não é mais o mesmo. O fluxo da informação não é igual há época da invenção da imprensa... A informação é uma via de mão dupla...

Alguns ainda não perceberam isto. Entraram no jogo sem saber (ou seria sem entender?) as regras. Perderam!

Quanto ao Juca, continuo botando fé (sou um crente) em sua boa vontade e em sua honestidade. Só posso creditar sua BARRIGA e sua tentativa de preservar a todo custo sua credibilidade (desqualificações maniqueístas) ao fato de não ter deglutido a queda de seu time à segunda divisão. Será? Do contrário teria eu que pensar que ele se rendeu ao discurso barato (e fácil) do marketing cor-de-rosa. Aí seria o fim. Continuo um crente!

Mais uma vez VIVA A IMPRENSA ALTERNATIVA ALVI-VERDE!

____________________

PS. – Sobre o e-mail que enviei ao Juca nenhuma resposta. Mas, houve pista de que leu. Vejam um trecho de minha missiva para ele e, em seguida, um trecho de seu ‘desabafo’ no dia de hoje:

“...acho que você – consagrado que é – não necessita mais dar furos desse tipo (...). Não que você não tenha o direito, e o dever, de furar a concorrência...” (Ontem no Forza-Palestra – leia aqui).

“...Sei que com 37 anos de profissão não só não preciso de furos...” (hoje no Blog do Juca: Quinta-Feira de Desmentidos – Leia aqui).

13 de dez de 2007

Valdívia

A pá de cal:

Palmeiras

13/12/07 - 17h45

"VOU FICAR NO PALMEIRAS"

Em declaração exclusiva para o portal oficial do Palmeiras, o meia Valdivia comentou sobre sua situação visando a próxima temporada.

"Neste momento, quero muito permanecer no Palmeiras. Só saio daqui se aparecer uma ótima proposta do exterior. E ainda assim, vou pensar muito", disse o Mago, que está de férias em Santiago, no Chile.

Já o gerente de futebol do clube, Toninho Cecílio, voltou a deixar claro que em nenhum momento o Palmeiras recebeu qualquer tipo de proposta pelo chileno.

"O Valdivia tem contrato com o Palmeiras até 2011, e a multa rescisória dele gira em torno de R$ 51 milhões. Até esse instante,não tivemos qualquer proposta oficial pelo atleta."

Segundo o advogado do departamento de futebol do Verdão, Luiz Roberto Castro "Valdivia tem contrato assinado com o Palmeiras de cinco anos, até julho de 2011. E antes de vencer esse contrato que está estipulado no BID da CBF, daremos entrada na renovação, que já está formalizada."

Na noite de ontem, 12/12, o jornalista Juca Kfouri afirmou em seu blog que "o meia chileno Valdivia tem praticamente tudo certo com o São Paulo". Mais tarde, o jornalista voltou ao tema e disse que "a diretoria do São Paulo não tem interesse no atleta."

Então, a primeira informação não era verdadeira.

Às 11h09 desta quinta, o site Lance! publicou entrevista com o Juan Figer, empresário do chileno, onde afirma que tudo não passava de uma brincadeira. "Não tem nada disso. É brincadeira. Ninguém falou sobre negociação comigo. Nem São Paulo, Palmeiras ou jogador - afirmou Figer".

Luxemburgo

Em seu Blog o 'professor' Luxembrugo dá conta de que não dirige mais o Santos (clique aqui para ler a nota).

Também diz que à partir de 31/12, data do vencimento de seu contrato, estará aberto a ouvir propostas de outras equipes, inclusive de uma da Inglaterra.

Não podemos esperar até lá. Ou é agora ou nunca.

Já disse que não 'morro de amores' pelo 'professor', mas que - ao mesmo tempo - não temos alternativa melhor. Então, MÃOS-À-OBRA DIRETORIA!

PS. A nota também está no site do Luxemburgo. (clique aqui)

Barriga

BARRIGA: jargão jornalístico para um grave erro de informação.

Pois bem, parece que o Juca Kfouri 'cometeu' uma barriga. Vejam só:

Lancenet - Publicada em 13/12/2007 - às 11:09

FIGER NEGA NEGOCIAÇÃO DE MAGO COM SÃO PAULO

Para empresário do jogador, notícia só pode ser brincadeira

Valdivia deve ficar no Verdão (Crédito: Tom Dib/Lancepress!)

O empresário Juan Figer negou nesta quinta-feira que esteja negociando o meia do Palmeiras Valdivia com o São Paulo.

- Não tem nada disso. É brincadeira. Ninguém falou sobre negociação comigo. Nem São Paulo, Palmeiras ou jogador - afirmou o empresário do chileno.

A notícia foi dada no Blog do Juca Kfouri na noite desta quarta-feira.


Pois é, bastava uns telefonemas e não acreditar cegamente na FONTE.

Juca Kfouri - Valdívia - Imprensa

Por conta dessas duas notas no Blog do Juca Kfouri:

"Valdivia no São Paulo

O meia chileno Valdivia tem praticamente tudo certo com o São Paulo.

Seu empresário, Juan Figer, de ótimas relações com Juvenal Juvêncio, está com a papelada toda quase pronta.

Será o presente de Natal para os tricolores e o de grego para os alviverdes."


"...A direção do Palmeiras, por sinal, não dá crédito à possibilidade de Valdivia ir para o São Paulo, embora até considere que ficaria feliz com o pagamento da multa rescisória (algo em torno de 14 milhões de euros).

E a direção do São Paulo garante que não pensa em Valdivia.

Alguém, como sempre, está mentindo.

Só espero que não seja a minha desinteressada fonte."


Resolvi escrever-lhe uma carta. Enviei, não sei se lerá. Mas, publico aqui para que todos vejam que estamos atentos:

Caro Juca,

Não é a primeira vez que te escrevo. Aliás, foram várias. Todas para te criticar. Não o faria (como não faço) se não te respeitasse. Se fosse um furo do Chico Lang, dando conta que Valdívia iria para o Corinthians, não perderia tempo. Se fosse um furo do Milton Neves, dando conta que Valdívia iria para o Santos, não me daria ao trabalho. A semelhança entre os dois? O Amor. Um pelo Corinthians, o outro pelo dinheiro.

Seu caso é diferente. Você é jornalista. Vocês (os jornalistas) vivem de relatar fatos, de furos, de reportagens. Foi o que você, mais uma vez, fez.

Entretanto, acho que você – consagrado que é – não necessita mais dar furos desse tipo. Sua matéria investigativa – aquela sobre o Corinthians, junto com o Bob Fernandes – é a prova disso. Brilhante. Investigativa. Jornalismo de primeira qualidade. Não que você não tenha o direito, e o dever, de furar a concorrência, mas – mesmo os furos – às vezes precisam ser refletidos, pois podem ser furos n’água.

O caso do Valdívia no São Paulo é o típico caso desse furo n’água. Senão vejamos:

Só para recordar, o Valdívia é atleta com contrato com o Palmeiras, se não me falhe a memória até 2011. Valor da multa (14 milhões de Euros). Aí, é só o São Paulo pagar e levar. Tudo legítimo. Porém, façamos um exercício de memória: Qual foi o último atleta que joga no São Paulo em que o clube pagou a multa? O São Paulo é useiro e vezeiro neste tipo de ‘manobra’ (não é crítica, é constatação) de contratar jogadores em final de contrato, onde não desembolsa nenhum centavo pelo vínculo (Lembremos que André Dias, zagueiro mediano, e do imbróglio para ele vestir a camisa tricolor, o Jorge Vagner até agora não tem a sua situação regularizada para continuar no SP). Por isso, acho extremamente difícil ocorrer o que você reportou. O que você furou.

Tem mais, o São Paulo, através de seu departamento de marketing, usualmente joga notícias na imprensa para se manter na mídia. Foi o caso da inauguração de um mastro de bandeira no CT (pasme), é o caso de ser a maior torcida do Brasil em 10 anos. Aliás, marketing comandado pelo mesmo marqueteiro que dizia que o SBT seria o número um em audiência, se lembra? Há em um Blog da imprensa alternativa Palmeirense (Terceira Via Verdão) um excelente estudo sobre isso. Dê uma olhada.

Pois bem, na semana em que o Palmeiras apresenta um pacote de inovações, parceria para a contratação de jogadores, mas principalmente a Arena multiuso, a imprensa é bombardeada (e nos bombardeia) com furos favoráveis ao São Paulo. Só dois exemplos, jornal Lance de ontem: SP - R$ 56 mi para contratações. De hoje: SP – Ele quer ficar, sobre o Adriano.

O caso – pelo que parece – é que o São Paulo sentiu o golpe, e precisa contra-atacar. No caso da Arena, não é de desconhecimento de ninguém que há época da copa de 2014 o Palmeiras estará comemorando o seu centenário. É sonho nosso (dos Palmeirenses, dos netos e bisnetos de ‘oriundis’ como eu) ver a Itália mandando os seus jogos em nosso estádio. Com a Arena isso se tornará possibilidade. É ou não é um golpe nas pretensões de quem quer ser o maior do Brasil?

Finalmente, raciocine comigo, mais uma vez: "...Valdívia pode ir para o São Paulo, turbinado com a venda de Breno para a Europa. Sim, é uma possibilidade. A multa é altíssima, maior que o aporte de dinheiro que J. Hawilla está trazendo para o Palmeiras. Mas eu duvido que isso ocorra. O dinheiro dessa venda, mais o advindo da parceria com a Traffic, faria do Palmeiras o comprador com maior poder de fogo do país, de longe; e não haveria Valdívia do outro lado do muro que segurasse o Verdão. Acho que o pessoal do SP consegue raciocinar sob essa ótica..." (parafraseando o Blog: www.parmerista.com.br)

Em outra oportunidade te escrevo para falar daquilo que concordo com você, por exemplo, no caso da promiscuidade de jornalistas e redações com o poder do futebol. Mais que isso, acredito que há uma promiscuidade que não vem sendo falada, a de jornalistas e redações com clubes de futebol (NÃO É O SEU CASO), mas que vem criando grandes artificialmente e apequenando outros da mesma forma.

Um grande abraço.

Ademir Ângelo Castellari - sociólogo
Editor do Blog: www.forza-palestra.blogspot.com

12 de dez de 2007

Arena

Mesmo sem saber do que se tratava a imprensinha cor-de-rosa já lançou vário boatos sobre a nova Arena multi-uso que será construída pelo Verdão. Boatos de pagamento de aluguel (quanta besteira) foi somente um deles.

Mas, a hora está chegando. Na próxima segunda-feira o projeto será lançado em grande estilo.

Os convites já estão sendo distribuídos e - pelo menos - se quiserem criticar que o façam depois de irem até lá para ouvir sobre o projeto. Entretanto, uma coisa já é certa, o título do convite já diz tudo, vejam:

A SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS E A WTORRE EMPREENDIMENTOS
IMOBILIÁRIOS CONVIDAM VOCÊ PARA O COQUETEL DE LANÇAMENTO DA PRIMEIRA ARENA MULTI-USO DA AMÉRICA LATINA NOS PADRÕES EXIGIDOS PELA FIFA.


Em itálico (somente para deixar alguns cor-de-rosa com mais pulgas atrás da orelha) aquilo que será a NOSSA Arena: A PRIMEIRA ARENA MULTI-USO DA AMÉRICA LATINA NOS PADRÕES EXIGIDOS PELA FIFA.

Por enquanto são estas as fotos da maquete: Arena Palmeiras. Em breve uma cobertura completa sobre o evento, com fotos, o projeto e tudo mais.

_______

Parafraseando o Terceira Via Verdão: "Classificados do próximo dia 18 nos principais jornais de São Paulo: vende-se estádio de segunda mão, capacidade para 60 ou 70 mil pessoas, (depende se o espectador gosta de sentar no colo de outro), visão um pouco distante do gramado mas dá para comer uma esfiha legal. Acesso fácil se for de automóvel e estacionar no Shopping Jd. Sul. Ligar somente depois do Natal porque a Diretoria está hospitalizada no Einstein se recuperando de um pequeno mal súbito."

Imprensa

Há vida fora dos jornalões. A imprensa alternativa alvi-verde é exemplo disso. Fora do eixo Rio-São Paulo também.

Vejam esse texto escrito no jornal A Crítica, de Manaus.

___________________

PALMEIRAS JÁ É HEXA


Elton Charles – a Crítica - Manaus

De um lado o São Paulo, que se tivesse a certeza do privilégio único de ser penta, não faria camisa para reafirmar a tese. Do outro, o Flamengo, 15 anos depois, resolvendo bancar campanha guardada no baú da incapacidade de ganhar o campeonato outra vez. A CBF não tinha dinheiro para realizar o torneio em 1987, deu o aval para o Clube dos 13 e, depois que viu a Rede Globo, Coca-Cola e Varig encherem os cofres dos participantes, voltou atrás, para não ser banida do poder. Hoje, 20 anos depois, nada disso faz sentido, sabe porquê? Se São Paulo está certo, e se apega à CBF contra quem brigou em 1987, teria de considerar justas as viradas de mesa que trouxeram Fluminense, Náutico, Grêmio e até o São Caetano das séries B e C direto para a elite, por debaixo do pano.

A mesma CBF que, até 1986, organizava Brasileirões com mais de 100 equipes, atendendo interesses políticos do Oiapoque ao Chuí. Fina estampa da promiscuidade. Se defensores do Tricolor, torcedores e cartolas do São Paulo concordam com esse sistema, então jamais poderão reclamar dos escândalos de arbitragem, manipulação de resultados e demais filosofias, porque esses são procedimentos históricos deste Brasileiro conquistado cinco vezes no Morumbi. Já o Fla, revoltado com a CBF, se quiser fazer valer seu grito, terá de aceitar o segundo posto de campeão nacional.

De 1967 a 1970, sem o aval da poderosa entidade, o Palmeiras ganhou duas taças Roberto Gomes Pedrosa. Nesse torneio estavam os mesmos clubes da elite que o Urubu evoca para defender 1987. Portanto, se Fla e São Paulo são Penta, o Palmeiras já é Hexa.

Marketing

Ô gente que gosta de marketing! Ô imprensa venal!

Bastou o Palmeiras anunciar um acordo com a Traffic, onde serão investidos perto de R$ 40 mi em contratações. Bastou anunciarmos a parceria para a construção da Arena. Bastou anunciarmos um novo - e maior - patrocínio... Lá vem o contra-ataque da imprensa cor-de-rosa, dos marqueteiros do Jardim Leonor.

Manchete de hoje no Lance: SP - R$ 56 mi para contratações.

Desde quando eles investem em contratações? Pelo que vemos - desde sempre, pela 'senhora da razão' - a história: ELAS SÓ ALICIAM. Não gastam um tostão com contratações.

Que coisa! Sugiro lerem o capítulo sobre o Milan no livro: COMO O FUTEBOL EXPLICA O MUNDO, de Franklin Foer. Qualquer semelhança não é mera coincidência.

Uma boa investigação para levantar os 'mimos cor-de-rosa' recebidos pelas redações dos 'jornalões' se faz urgente. Pela seriedade da imprensa, pelo bem do futebol.

11 de dez de 2007

LUXEMBURGO

Já escrevi aqui neste espaço que não queria (nunca mais) o Luxemburgo como técnico do Palmeiras. São vários os MEUS motivos. O principal deles foi o fato dele ter abandonado o time logo no início da desastrosa campanha do rebaixamento. Algumas pessoas (muitas delas que respeito) não concordam, dizem que saiu no início pelo motivo de falta de planejamento da ‘carcomida’ ex-diretoria – aquela capitaneada pelo Mumu. Não concordo. Ele indicou vários daqueles ‘perebas’ que escreveram uma das mais tristes páginas de nossa história e se foi.

Além disso, acho que Luxemburgo tem um salário muito alto para os padrões brasileiros e que essa história de trazer uma comissão técnica (também cara) completa é um retrocesso.

Há também essa história de ser sócio de vários clubes, ser agente de vários jogadores e ter colocado um ‘preposto’ (Antonio Carlos) no time da marginal sem número. Ou seja, o cara está montando uma ‘holding’ que conta, inclusive, com uma ‘faculdade futebolística’. A sua profissão (técnico) é o que menos importa neste momento. Para ele o que importa é o ‘vil metal’. Não que isso seja problema, todos querem ganhar dinheiro. Mas o problema é que o que precisamos no momento é de um técnico. Não de um administrador, de um executivo.

Acontece que no momento estamos entre a ‘cruz e a caldeirinha’, pois não temos boas opções no mercado. Fora Luxemburgo que técnico poderia recolocar o Palmeiras no caminho das vitórias, dos títulos? Cuca? Dorival Junior?

Uma parte da torcida e alguns diretores não gostavam do trabalho de Caio Junior, me incluo no primeiro grupo. Além disso, ele se mostrou pequeno para o cargo de treinador do Palmeiras. Roeu a corda e amarelou! Pediu para sair por medo da pressão. Que vá (como foi) dirigir o Goiás. Lá a pressão é menor. Mas, ficamos com um grande problema, pois quem dirigirá a equipe em 2008?

Pode parecer contraditório, mas acho que fora o Felipão – que não virá – sobra o ‘professor’ Luxemburgo.

Então, que venha! Mas, cabe à diretoria firmar um contrato com ele que limite seus poderes, impondo metas, restringindo a possibilidade dele nos abandonar novamente, de indicar ‘apadrinhados’. Aí sim. Só não sei se assim ele topa.

Eu sei. Mudei de opinião, mas fazer o que? Não há outras opções. Cuca nunca ganhou nada. Dorival Junior é tão inexperiente quanto Caio Junior. O último tinha a seu favor o fato de ter um ano de conhecimento do ambiente e do elenco, mas a torcida não o queria mais, parte do conselho e da diretoria também; ele se foi. Não sobra opção. Só o ‘professor’.

7 de dez de 2007

Futebol 2008

Ouça AQUI a nova programação do futebol 2008.

HABEMUS MATADOR!!!

Sim. A notícia é boa. Habemos matador. Trata-se de Alex Mineiro. Centroavante matador (nove-nove). Aquele que há anos estamos sonhando.

Leia a seguir a notícia, direto da assessoria de imprensa do verdão: Palmeiras.

ALEX MINEIRO É O NOVO REFORÇO DO PALMEIRAS

Por Fábio Finelli - Assessoria de Imprensa SEP

A diretoria do Palmeiras acertou nesta sexta-feira (07) a vinda do atacante Alex Mineiro, que chega em definitivo até o dia 31 de dezembro de 2008. O jogador esteve nesta tarde, na Academia de Futebol, para acertar os últimos detalhes da transferência. A apresentação oficial será anunciada nas próximas semanas, já que o atleta segue para Belo Horizonte, local onde estará de férias.

"Estou muito feliz e gratificado com a oportunidade de atuar pelo Palmeiras. Sempre estive muito próximo de vestir essa camisa e, felizmente, desta vez tudo deu certo", disse o jogador, ao site oficial do clube.

Alex Mineiro tem 32 anos e disputou o Campeonato Brasileiro de 2007 pelo Atlético-PR, clube que marcou 9 gols em 17 jogos disputados. Pelo próprio time paranaense, em 2001, o atacante sagrou-se Campeão Brasileiro e, no mesmo ano, conquistou o conceituado prêmio Bola de Ouro da revista Placar.

Na bagagem, Alex Mineiro também carrega o título de campeão da Copa Libertadores, com o Cruzeiro, seu segundo clube da carreira, em 1997.

"Sempre fui atacante de marcar gols e espero que aqui não seja diferente. É a primeira vez que estou vindo para um clube grande de São Paulo e claro que a expectativa é a melhor possível. Estou bastante entusiasmado para superar mais um desafio na minha carreira", afirmou.

Para o jogador, o fato do clube estar pensando grande pesou em sua decisão de assinar com o Verdão.

"Tenho certeza que tudo vai dar certo. O Palmeiras já tem uma base forte e o que me deixou mais entusiasmado foi o discurso dos dirigentes, que só mentalizam a idéia de ver o Palmeiras campeão em 2008. Esse também é o meu objetivo."

Alex Mineiro também mencionou a torcida como arma do time para o próximo ano. "Sempre tive admiração pela torcida do Palmeiras. Como adversário, sempre senti de perto as dificuldades que é jogar aqui. A arquibancada fica muito próxima do campo e isso ajuda a equipe. Espero fazer uma grande parceria com os torcedores", finalizou.

Já a diretoria comemorou o acerto com o atacante. "O Alex Mineiro é um objetivo antigo de todos nós. Já tivemos para fechar com ele antes do início do Campeonato Brasileiro, mas o Atlético-PR conseguiu a renovação do contrato na ocasião. Estamos felizes com o desfecho e esperamos que o Alex Mineiro faça parte de um time vencedor para 2008", apontou o vice-presidente de futebol do clube, Gilberto Cipullo.

Ficha Técnica:
Nome: Alexander Pereira Cardoso
Apelido: Alex Mineiro
Data de Nascimento: 15/03/1975
Cidade Natal: Belo Horizonte-MG
Estatura: 1.75
Peso: 71kg

Equipes em que atuou:
América/MG (95 e 96); Cruzeiro/MG (97, 00 e 01); Vitória/BA (98); Bahia/BA (99 e 00) Atlético/PR (01, 02, 03 e 07); Tigres/México (03); Atlético/MG (04); Kashima Anthlers/Japão (05 e 06) e Atlético-PR (2007).

Títulos Conquistados:
Copa Toyota Libertadores da América (1997); Campeonato Mineiro (1997); Campeonato Paranaense (2001); Campeonato Brasiliero (2001) e Super Campeonato Paranaense (2002).

Premiações:
Prêmio Bola de Ouro - Revista Placar (2001).

Boa Verdão!

6 de dez de 2007

Saiu

Não sou fã do Caio Junior. Aliás, sou chamado de corneta pelos camaradas de arquibancada. Somente dei uma trégua para ver até onde chegávamos... E não chegamos em nada. Nada de Paulista, nada de Copa do Brasil, nada de Brasileiro, nada de Libertadores. Nada de nada!

Hoje, foi oficializada a saída do Harry Potter (foi para um verde à sua altura: Goiás). Somente tenho uma dúvida: quem para o lugar dele?

Alô DIRETORIA! Inexperiente por inexperiente (neste caso digo Dorival Junior) ficássemos com Caio (mesmo com minhas restrições), pois ele já estava no ambiente, sabia o que precisávamos para o próximo ano, enfim, ruim por ruim fica com o que está. Se a saída somente foi para aplacar a ira de uma parte da torcida (organizada) e de parte do Conselho fizeram besteria. Se têm alguém com mais experiência em vista e que não seja mais um estagiário acertaram.

Alô DIRETORIA! Agora vocês têm a obrigação de trazer um técnico de ponta, que nos leve a títulos (olha o esse no final), alguém que resgate a mística entre torcida e o time; que foi perdida há muito.

Como sei que o Felipão não vem, então...(?!)

3 de dez de 2007

SEGUNDA

Segunda

A SEGUNDA-feira poderia ser um dos dias mais felizes na vida de todos os Palmeirenses. Poderia.

O time da marginal sem número colaborou e foi - para nossa felicidade - para o lugar que merece: A SEGUNDA DIVISÃO.

Nós, os únicos que dependíamos apenas de nossas forças para termos uma vaguinha na libertadores, não fizemos nossa parte (mais uma vez) e vimos a vaga ir para o Cruzeiro.

Com isso, a felicidade só apareceu em parte. Apenas na concretização do sonho de ver o maior rival na segundona. A libertadores (a outra parte) não veio.

Durante a semana farei um balanço do ano. Uma análise de todo o elenco, da comissão técnica, do trabalho da diretoria. Tudo, é claro, na minha opinião. Aguardem.

Agora, um recado à diretoria: HÁ VIDA ALÉM DA LIBERTADORES! Nenhum time brasileiro ganhou a sulamericana. O Campeonato brasileiro é muito importante e temos que voltar a vencê-lo. O Campeonato paulista também. Além disso, o Jardim Leonor e o Santos estarão voltados para a libetadores e o time da marginal montando time de segunda divisão... Basta querer.

1 de dez de 2007

MAURO BETING

Já escrevi neste espaço que o jornalismo esportivo brasileiro é uma vergonha.

Que jornalistas se travestem de imparciais, negam - as vezes veementemente - terem colorações clubísticas (muitos times do interior aumentam o número de seus torcedores com a adesão desses 'jornalistas'), mas na realidade as têm e disfarçam para poderem fazer o jogo sujo da assessoria de imprensa daqueles que gostam e 'espinafrar' aqueles que são seus adversários. Quando não, reafirmo, recebem 'agrados' para serem assessores de imprensa informais (ou seria formais?).

Pois bem, no caso do Palmeiras é sempre mais difícil. Aqueles que assumidamente são Palestrino (caso de PVC, Avalone - só para citar dois) vão aos extremos. Do folclórico que tudo ataca, onde nada é feito para engrandecer, tudo 'não presta', ao extremamente profissional, que em nome da isenção, repete o anterior com viés de cientificismo.

Mauro Beting não é assim. É Palmeirense. Critica aquilo que deve ser criticado. Elogia quanto tem que ser elogiado. É Palmeirense. É jornalista. É, acima de tudo - pelo que será reproduzido na íntegra - um corajoso.

Valeu Mauro! A Imprensa Alternativa Alvi-Verde também é assim. A César o que é de César... Valeu Observatório Verde pela dica!

___
Artigo no Blog do Mauro

Blog do Mauro

___
Artigo na íntegra:


FALA O PALMEIRENSE

(O jornalista Mauro Beting cede o espaço para palmeirense Mauro Beting escrever).

O Palmeiras bola promoção bacana com a grama do Palestra Itália vendida à torcida, mais um CD do hino do clube com as vozes de Marcos, Edmundo e Valdívia e a produção do grande guitarrista Marcos Kleine, e ainda um pôster verde.

Outros clubes já fizeram algo parecido, não igual, e não com tantos presentes.

Mas parte da imprensa detona pelo não “ineditismo” da iniciativa.

Faz parte. Sobretudo na reta de mais uma decisão no Palestra.

Quando todas as asas negras de Arapiraca são lembradas, e nenhuma Libertadores-99 é rememorada.

Quando a pauta da quinta-feira fala do desmanche do elenco em 2008 em vez de falar da montagem da equipe para o duro jogo contra o Atlético Mineiro.

(E o jornal não é de Belo Horizonte. É de São Paulo. Mas, por favor, não é do São Paulo. Não é isso, não exageremos).

Parte da imprensa continua tratando alguns clubes como se os setoristas trabalhassem nas assessorias de imprensa dos rivais.

Ou vestissem a camisa da oposição da pior espécie que o Palmeiras já teve.

O que não causa estranheza.

A atual oposição palmeirense foi a pior situação da história recente do clube. A que deixou o time naquela situação.

A mustafiosa administração que levou o Palmeiras ao inferno da segundona não quer ver o Palmeiras em mais uma Libertadores.

Até porque tradicionalmente ela não quer ver o time do Palmeiras. Prefere ver as piscinas aquecidas e outras coisas frias a assistir ao esporte que fez o Palmeiras campeão.

Fosse apenas detonar uma simpática iniciativa da diretoria que este palmeirense apóia como cidadão e amante do futebol, ainda vai.

Se aqui escrevo com o coração, também tem gente que escreve com o cotovelo ou com o fígado.

Mas também tem o jornalismo tático, aquele que a diretoria são-paulina, como não poderia deixar de ser, atenta a tudo e a todos, competente como nenhuma outra, imune a críticas como nenhum clube, aproveita para lembrar das tantas vitórias tricolores no Palestra que será desgramado.

Nem adianta lembrar que todos os outros clubes não se metem na vida são-paulina como o Tricolor se mete na vida e nos negócios alheios.

Mas também faz parte do jogo e das jogadas.

Ao vencedor, as batatas. As palmas. Os louros. As isenções de todas as espécies. Intocável no gramado, intocável fora dele.

Crises e questões pessoais são tratadas com o respeito devido e necessário nos clubes campeões em campo e na benevolência da imprensa.

Respeito que ficamos devendo na imprensa quando os alvos são fáceis por serem tão difíceis como pessoas. Ou por vestirem outras camisas menos blindadas e, nos últimos tempos, menos campeãs.

O Palmeiras não precisa vencer apenas os rivais no Palestra.

Não precisa apenas vencer histórias de fantasmas do passado.

O Palmeiras precisa vencer manchetes e pautas tão ou mais parciais e passionais que estas linhas que o palmeirense-jornalista acaba de publicar.

Mas ao menos assume que está torcendo.

Ao menos a favor de alguém.


ESCREVEU MAURO ALEXANDRE ZIONI BETING.