A ARQUIBANCADA NA REDE - WEB ARQUIBANCADA
"Em 40 anos de jornalismo, nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal". (Cláudio Abramo, que dirigiu Folha e Estadão)

Busca

Pesquisa personalizada

31 de jul de 2008

Palmeiras 1 x 0 Flamengo

Vamos ao jogo de ontem, como o prometido pela manhã, tudo em forma de Drops como de costume.

Arquibancada

Assisti ao jogo junto do Maurício, do Raphael Falavigna (o editor do Cruz de Savóia), da Carol e de um amigo Palmeirense (outro Rafael) que descobri em meu prédio. O cara é baiano e torcedor do verde. Vimos tudo atrás do gol da Matarazzo. Aliás, não gosto de jogos onde o Palmeiras começa atacando em direção ao referido gol. Não sou supersticioso, mas as bruxas existem, então acredito que sempre é bom atacar para o gol das piscinas primeiro. Parece que quando isso acontece o Palmeiras sempre ganha; como ganhou ontem fazendo o inverso. Superstição boba mesmo. O Rapha havia prognosticado um sonoro 6 x 2 pro Palestra, irá dizer que é porque não voltaram todos aqueles que ele imaginava (já me disse, inclusive), mas o fato é que seus 'poderes' de 'Pai Rapha de Ogum' é que estão em baixa.


Torcida Verde

Espetáculo. Mais de 26 mil Palestrinos empurrando o time, apesar dos R$ 30,00 e do horário pornográfico que a 'Vênus Platinada" nos impõe. Como sempre a torcida foi um show. Nota triste para a ação de três PM´s, logo atrás de mim, que para deter um torcedor (não sei o porquê) quase me derrubam na arquibancada. Mas, enfim, nada com o que já não estejamos acostumados.

O jogo

Foi um jogo movimentado, com poucas chances de lado a lado, intenso e, para contrariar dez entre dez comentaristas esportivos (para que eles servem, hein?), com muita técnica, vejam só, há jogos técnicos e disputados no futebol tupiniquim, para espanto da mídia ( hora dessas vamos discutir a falta de bom futebol no Brasil decretada pela mídia ‘especializada’).

Laterais: Granja e Leandro foram mais contidos nas descidas, pois tinham que bater com Léo Moura e Juan, apesar do primeiro, invariavelmente, aparecer pelo meio para armar o time do Flamengo, aí cabia a um dos volantes conter isso. Além disso, vi Kleber, A. Mineiro, D. Souza e até Valdívia dando combate na intermediária e até na defesa verde.

A dupla de volantes (Jumar e Sandro Silva) fez bem a deles (proteger a zaga) e ainda encontraram tempo para sair para o jogo. Aliás, o gol do Palmeiras nasceu de um arranque de Sandro Silva, um passe milimétrico do Valdívia, e um chute certeiro do volante (uma hora dessas vamos discutir o termo volante, empregado a todos que atuam no meio e têm que marcar) verde. Apesar disso havia um imenso buraco entre a intermediária do Flamengo e do Palmeiras por onde o time rubro-negro armou suas principais jogadas. Um erro que deverá ser consertado, com um melhor posicionamento da peças, coisa para o 'professor'.

Os armadores (Diego e Valdívia) foram bem. O primeiro começou com o gás todo, arriscou alguns chutes a gol, em um deles exigiu brilhante defesa do goleiro do Flamengo. Depois diminuiu o ritmo (preciso descobrir o porquê isso acontece sempre com o Diego). O segundo - aos poucos - vai retornando às suas melhores jornadas. Aliás, o passe dele para o gol do Palmeiras foi de quem sabe jogar bola. Entretanto, apesar de alguns chutes do Diego, o maior problema desse time é que não chuta, sempre querem entrar tabelando pelo meio, ou através dos ‘chuverinhos’. Ou é a insistência da tabelas curtas, ou passa-se para o lateral e corre-se para a área para esperar que estes cruzem. Muito pouco.

No ataque o de sempre. Kleber não desistiu nunca, foi valente, brigador, incomodou a zaga adversária, arriscou, não 'afinou' para os zagueiros, além de ter dado combate até na defesa. Alex Mineiro, apesar de não ter marcado ontem, fez o que se espera de um nove-nove. Fez parede, teve presença na área, chamou a marcação do adversário, e ainda deu o primeiro combate.

A dupla de zaga passou pelo primeiro jogo sem que o Palmeiras tomasse gol. Não que não nos assustasse em alguns lances, mas parece que com entrosamento, podem ser os substitutos para os titulares quando estes estiverem fora.

O Marcão até quando a jogada está parada pega tudo. Em um lance de puro reflexo defendeu uma bola inacreditável. O velho e bom santo presente nos momentos que clamamos por dele.

Aqueles que entraram sem comentários, pois não atrapalharam nem ajudaram. Apenas a lamentar a expulsão do Léo Lima por revidar uma cotovelada que havia recebido, e que o juiz não havia nem notado. Tenho certeza de que se fosse o Kléber ele (o juiz) e a imprenÇinha estariam 'estrebuchando'.

O Juiz

As pessoas precisam definir como se posicionam perante uma situação. É assim na vida, é assim no futebol. Não dá para servir a Deus e ao Diabo ao mesmo tempo. Gaciba, até ontem um juiz que pára o jogo a qualquer esbarrão, ao ver que está perdendo terreno para os mais novos, principalmente para o juiz gaúcho de Palmeiras e Fluminense, elogiado por todos (todos mesmo) por deixar o jogo correr, resolveu inventar e tentar apitar 'à lá européia’. Um desastre, não é a dele. Não marcava as faltas existentes no Valdívia (lembram-se do cai-cai) e não marcava as também existentes no Kléber. A diferença é que quando o Kleber cai é que a coisa foi - no mínimo - mais forte que o convencional, ele – mais que ninguém – precisa se tocar disso. Não interferiu no resultado, mas se ele já era ruim apitando como aprendeu (à lá brasileira), imagina inventado em um estilo que não é o seu.

Valdívia

Melhorou. Uma de suas melhores partidas no atual campeonato brasileiro. Armou, deu o gol para o Sandro Silva, muita disposição, correu, marcou, deu carrinho. A se lamentar é a atitude de sair ‘fazendo biquinho’. Ele é um jogador muito importante para a caminhada do Palmeiras rumo ao título, por isso mesmo não o perdôo pela atitude de ontem. Desrespeitou o treinador, seus companheiros, a torcida do Palmeiras, e - principalmente - o Palmeiras. Por isso Marcos é ídolo. Valdívia é, ainda, somente um jogador importante para o Palmeiras.

Luxemburgo

Armou bem o time, apesar daquele buraco no meio que ainda precisam ser corrigido. Insiste em colocar o Denílson quando precisamos ganhar, e demora em lançá-lo quando estamos precisando de alguém que segure a bola. No caso da reprimenda ao Valdívia, eu, fosse um treinador com o currículo dele, com a responsabilidade dele, faria o mesmo. Quem já peitou Edmundo não vai deixar o Valdívia passar batido em uma dessas.

Caio Junior

Mais uma sem vencer no Palestra Itália. O verdadeiro fantasma do 'Parque Antárctica' (como diz a mídia).

Um comentário:

  1. Babalorixa Raphinha de Oxossi1 de agosto de 2008 13:03

    Ademir, seu amigo e meu xara' simplesmente se esqueceu de me enviar a frase do "Il Duce", sera' que vc nao consegue falar com ele, por favor?

    Ja' que nao dou mais para Babalorixa' vou tentar virar ditador - pelo menos para mandar fuzilar uns engracadinhos no muro, hehe

    Quanto ao teu projeto,estamos ai, so' me diga os prazos.

    ResponderExcluir

Caro Palmeirense, aqui você pode fazer seu comentário. Como bom Palmeirense CORNETE!!!