A ARQUIBANCADA NA REDE - WEB ARQUIBANCADA
"Em 40 anos de jornalismo, nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal". (Cláudio Abramo, que dirigiu Folha e Estadão)

Busca

Pesquisa personalizada

31 de mar de 2009

É dia 8

Espero que eu tenha razão na impressão de que o 'professor' está fazendo uma série de experiência para o jogo que importa: dia 8 contra as putinhas do nordeste.

Espero ter razão, pois não é concebível que ainda estejamos em um esquema com três zagueiros, mesmo jogando contra o poderoso Oeste de Itápolis, e ainda tomemos gols por cima, por baixo, por todos os lados.

Nosso meio, por conta do amontoado de volantes - que jogam na lateral, na zaga, no meio - não cria mais, e aquele time insinuane das primeiras partidas já era.

No ataque Diego Souza, o perseguido pela torcida, é um oásis em meio a tanta falta de vontade, inspiração e categoria.

Keirrison deve ter sentido a pressão, é proposta da Europa de cá, de lá, de acolá, e ele - além da marcação e do cuidado mais apurado dos beques - parece que sucumbiu, a cabeça deve estar contando os dólares e vem perdendo gols incríveis, mas não dá para negar que está jogando muito isolado.

Enfim, uma defesa que sempre falha, somado a uma fase ruim de nosso homem gol, mais a insistência em um esquema que privilegia brucutus tem como resultado que no domingo teremos que ganhar para manter a vantagem nas fases seguintes, e o jogo que importa já está aí, é na próxima semana.

Repito, espero que tudo esteja dentro do programado e essa teimosia do 'professor' seja pensando no jogo do dia 8.

Minha paciência tem limites e ela tem data marcada, vence dia 8. Caso não haja uma vitória, aí só Deus salva!

Ingressos

Depois de alguns anos de martírio, depois de inúmeras denúncias de irregularidades, depois de tratar a torcida do Palmeiras sem respeito algum, depois de levar à loucura esse blogueiro, a BWA - dos irmãos Balsimelli - não é mais a empresa que comercializará os ingressos para os jogos do Verdão. A vencedora da concorrência interna para comercialização dos ingressos para os jogos do Palmeiras é a Outplan.

Fora o fato de ter existido uma concorrência (onde participaram a BWA, a TicketMaster e a vencedora Outplan) e de vantagens até em relação ao preço cobrado pela vencedora (8% contra os 11% que eram cobrados pela BWA), o que mais alegra a torcida do Palmeiras é que a diretoria nos ouviu. Não aguentávamos mais ser tratados com desrespeito e ver - a cada jogo importante - uma festa dos cambistas às portas do Palestra enquanto o torcedor amargava intermináveis horas nas filas e - invariavelmente - sair com as mãos vazias.

Mais um ponto para a atual diretoria comandada pelo professor Belluzzo. Dizem as más línguas que Pallaia chegou quase às vias de fato com o diretor administrativo José Ciryllo Jr. Acontece que Ciryllo foi da comissão que aprovou a Outplan, mas como é aliado de Pallaia este esperava que Ciryllo aprovasse sua protegida, a BWA. Sinal que as coisas estão mudando no Palestra.

Bem-vinda Outplan, mas saiba que estamos de olho e não deixaremos de cobrar. A cada pisada na bola estaremos aqui para denunciar, como já fizemos insistentemente com a BWA, e saiba que por ter seu nome associado á incompetência e irregularidades - em tempos de internet - uma empresa pode pagar um preço muito alto. O oráculo da modernidade (Google [1] [2]) não perdoa.

A ver.

Em tempo: A Outplan é a empresa que já comercializa os ingressos para o setor Visa. Diz que disponibilizará um cartão para que o torcedor possa efetuar suas compras de ingressos também pela internet, independente de ser cliente Visa ou não.

29 de mar de 2009

Rachão: Local 1 x 0 Palmeiras

Ontem, no privadão, em um verdadeiro rachão o Palmeiras perdeu por 1 x 0 para o time local. Nada de mais, apenas um jogo para treinarmos para o jogo principal, Palmeiras X Putinhas do Nordeste, no dia 8 de abril, lá em Recife.

Acontece que no calor do resultado, se eu escrevesse ontem, detonaria 'Deus e o mundo'. Hoje, com a cabeça fria, posso afirmar que de nada valeu o que aconteceu ontem, pelo menos no que diz respeito ao campeonato pelo qual o jogo se realizou. O que me preocupou apenas, foi que mais uma vez a nossa defesa falhou. Isso, no dia 8, não pode acontecer.

Não vou, como ainda estou com vontade, detonar comissão técnica, jogadores, diretoria... Vou dar um voto de confiança até o dia 8; depois não sei - talvez só 'Deus Salva'.

Mas, algumas coisas me chamaram a atenção ontem: apesar de termos jogador melhor no segundo tempo, pois no primeiro não jogamos nada, aliás iniciamos o jogo de uma forma covarde, nosso ataque não foi eficiente, pois nosso técnico insiste em isolar nosso centroavante: K9 joga isolado, é um pecado.

Não entendo porque jogamos com dois volantes (Pierre e Jumar) acompanhados de dois alas marcadores (Sandro Silva e Marcão), tudo para guarnecer uma linha de zaga que - na primeira bola cruzada - falhou. O que sei é que nosso ataque, ponto alto do time, esteve sempre isolado, vivendo de ataques esporádicos, somente - e principalmente - quando entrou um companheiro para Keirrison (Ortigoza).

A grande característica - que tornou VL o maior técnico do Brasil - foi ser atrevido, não ter medo de perder. Ultimamente ele tem apenas se defendido (e falhado nisso), se acovardado... Com isso, seus times são previsíveis. Ontem, ele esperou a escalação do SP para definir a nossa, começou na defensiva. De novo pedeu o jogo.

Dizem que VL é somente um vencedor de paulistinhas; eu o considero um técnico vencedor e espero que vença o Paulistão - de novo - e nos classifique para a próxima fase da libertadores. Depois, classificados ou não, veremos o que fazer.

Por enquanto, continuo a apoiar o time.

Notas:

Cadê os nossos laterais?

Que defesa é essa por cima?

Jumar não dá, né?

Keirrison isolado também não, né?

Sofrer com cruzamentos na defesa já é demais, mas sofrer no ataque - por não acertar um - é o fim do mundo.

Tivemos o dobro de cruzamentos... Não acertamos nenhum.

Tivemos o dobro de finalizações, não acertamos nenhuma...

Duro escrever isso, nem sei se faz sentido alguma coisa!

27 de mar de 2009

Depende do Seu Ponto de Vista

Do original: Evil Dead*

A originalidade dos títulos dos filmes, quando traduzidos para o português, me inspiraram essa postagem.

Nada a ver, mas o título em português desse filme, com as confusões para a tradução (adaptação do título), mostra como a imprensa esportiva brasileira vem se comportando sobre o caso da chamada 'unificação' dos títulos dos campeonatos nacionais.

Então, dito isso, Alberto Helena se posicionou da seguinte maneira [clique e leia aqui].

Odir Cunha, o jornalista que fez a pesquisa e produziu o dossiê, respondeu - no blog do Helena - dando a sua versão e opinião sobre a posição do jornalista Alberto Helena, e da maioria absoluta dos seus companheiros, que escarnearam a 'pretensão'.

Como não sou imparcial, sempre tive posição e sou favorável à unificação, publico na íntegra o que disse Odir sobre a posição de Helena e da maioria de seus companheiros de profissão:

26/03/2009 - 02:38 - Enviado por: Odir Cunha

Alberto Helena Jr. amigo dos velhos e bons tempos do Jornal da Tarde. Como você citou minha entrevista com o Zaidan, permito-me o direito de resposta.
Percebo que quem quer confundir são os opositores à Unificação dos Títulos.
Você diz que eu simplifiquei ao dizer que há muito jornalista que veste a camisa do clube por baixo, e há mesmo. Não se esqueça de que eu sei para que time torcem todos os nossos colegas, você inclusive, e sei o quanto essa paixão influi nos julgamentos.
Eu declaro minha paixão, mas declaro também meus argumentos - que eles sejam discutidos.
Impressiono-me com pessoas que analisam sem procurar se aprofundar na questão. Não vi nenhum dos maiores críticos lá no Palmeiras, quando o Dossiê foi apresentado. Não sabem, não querem saber e têm raiva de quem sabe. Desculpe, mas para mim não são profissionais. São “achadores”. Nem sabem o que descobri de novo e revelador sobre a Taça Brasil e o Robertão. Confiam em suas velhas memórias e seguem o que seus corações mandam. Mas usam pouco o cérebro e muito menos a ética.
Vou repetir, então, mais uma vez:
A Taça Brasil foi criada para ser o Campeonato Nacional de Clubes, em substituição do Campeonato Brasileiro de Seleções. Quem falou e fala isso é simplesmente João Havelante, o presidente da CBD à época, o homem que criou a Taça Brasil, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa e o Campeonato Nacional (que só teve o nome de Campeonato Brasileiro em 1989).
A CBF só foi fundada em setembro de 1979.
Isso de ter dois campeões no mesmo ano, o Campeonato Paulista os teve por 11 anos. Portanto, há o chamado antecedente, o que em Direito é muito importante. Qual o problema de ter dois campeões no mesmo ano? O Flamengo não foi campeão carioca duas vezes no mesmo ano? O Corinthians e o Boca Juniors não foram campeões mundiais no mesmo ano?
Com todo o respeito, Alberto Helena, seus argumentos soam como desculpas de quem quer ser contra, mas não sabe como.
Se você respeita a história do futebol brasileiro como diz, então deveria ser o primeiro a apoiar a Unificação dos títulos brasileiros.
Esse campeonato que você e outros defendem, que começou em 1971, foi inchado pelo GOverno Militar para satisfazer os interesses da Arena (”Onde a Arena vai mal, mais um time no nacional”, lembra?), chegou a ter 100 participantes, mudava de regra a cada ano, e de nome também. Você sabe que o Campeonato Nacional se chamou Taça de Ouro e Copa Brasil por mais de 10 anos? Se é uma questão de nome, o “Brasileiro” só pode valer a partir de 1989. Antes teve outras denominações.
Admito e até gosto de críticas, mas de quem também tirou a bunda da cadeira e foi atrás dos fatos. Quem boquirrota informações falsas e opiniões sem sentido, apostando na eterna ignorância do nosso povo, não posso respeitar.
Prefiro um foca que se renda ao peso da informação, do que um veterano que se julga mais importante do que a notícia, que acredita que a versão dos fatos e mais importante do que os próprios acontecimentos.
Conheça primeiro o Dossiê, leia e analise com calma tudoo que está lá, lembre-se dos anos 60, os anos de ouro do nosso futebol e depois tenha a coragem de dizer que Pelé, Tostão, Gérson, Ademir da Guia não foram campeões brasileiros. pelé foi campeão sul-americano, do mundo e não foi brasileiro?
Sim, ganhou a Taça Brasil, o Robertão, que davam ao vencedor o título de campeão brasileiro.
Não importa se é D. Pedro, Lula, Obama, Fidel Castro, o que importa é que todos são líderes, chefes de Estado. O que se quer unificar não são os nomes, mas os títulos. Qualquer criança entende isso, mas alguns senhores da crônica teimam em não entender.
Se precisar de mais detalhes sobre estas competições, pode pedir. Não gosto de ver um amigo se desgastando com seus leitores por insistir em desculpas esfarrapadas que não correspondem à verdade.


Para mim não importa serem reconhecidos ou não os títulos, já me considero - há muito - mais campeão do que me reconhecem. Mas, o que vale é as pessoas se posicionarem sem levar em conta suas paixões clubísticas, pois mesmo querendo se mostra imparciais 'cagam regras' e nos mostram serem somente eles os guardiões da verdade.

Em meu caso, torcedor assumido e parcial do Palmeiras (esse espaço foi criado para isso), não me digo imparcial e jornalista, para mim é fácil ser parcial e defender a unificação. O que me espanta é uma 'inteligentzia' esportiva se dizer acima do bem e do mal, reivindicar para si a verdade absoluta e desqualificar aqueles que assumem posições e opiniões diferentes da maioria. Esses cometaram o pecado de assumir um lado na história, os outros - com argumentos apequenados - somente desqualificam.

Até tu Helena!
___________________
* Título Original: "Evil Dead"
Tradução: "Depende do Seu Ponto de Vista"

É, isso mesmo, pela bagunça que fizeram na tradução deste filme, até hoje ele é chamado por vários nomes. Primeiramente ele foi lançado nos cinemas como 'Uma Noite Alucinante - Parte 1 - Onde Tudo Começou', e quando chegou em vídeo, o nome foi alterado para 'A Morte do Demônio', mas alguns ainda preferem o chamar pelo título original americano 'Evil Dead', que seria, numa correta tradução 'Morte Demoniaca' e não 'A Morte do Demônio'. O Problema é que o segundo continuou com esse nome, e foi lançado como 'Uma Noite Alucinante' e o terceiro exemplar se chamou... Uma Noite Alucinante 3. Tudo isso se deu pela causa de que o segundo filme chegou no Brasil antes do primeiro...

Sobre Porcos e Ratos

A pergunta que não quer calar: Por onde anda Felipe Giocondo?

Sr. Juca Kfouri

Sr. Juca Kfouri,

Todos nós sabemos que o senhor tem dentre seus familiares uma ramo de um tradicional sobrenome da elite paulistana. Não os Kfouri, mas os Aidar. Aliás, nome de muita tradição em uma equipe de futebol, também da elite desse estado.

Sabemos também que o senhor foi o primeiro à condenar o Palmeiras no chamado caso do gás. Mesmo com os primeiros depoimentos, que mostravam que era quase impossível o gás ter sido atirado da parte exterior dos vestiários no Palestra Itália, o senhor se apressou e condenou a instituição Palmeiras e alguns de seus dirigentes. Aliás, como sempre – como age e sempre agiu a elite deste estado – o senhor, se pudesse, além de condenar prenderia e executaria a sentença, que no caso seria: Condene-se o Palmeiras à extinção e se repasse o estádio para a parte lesada, e como sabemos que a seu juízo a parte lesada foi o time do coração de parte de sua família estaria o senhor reparando uma derrota histórica, e repassando nosso estádio a aqueles que um dia tentaram subtrai-lo de nossa gente.

Hoje, depois de quase um ano de inquérito a Polícia do Estado de São Paulo (por quem não nutro a menor simpatia, diga-se) e o Ministério Público arquivaram o processo por falta de vítimas, aliás, como havíamos – desde o início - publicado por aqui, pois soava muito estranho as imagens mostrando a única suposta vítima saindo dos vestiários em perfeitas condições para, somente depois, se mostrar passando mal. Mesmo assim, não contente, o senhor ainda continua a destilar seu veneno e suas maledicências contra a Sociedade Esportiva Palmeiras, chegando ao cúmulo de insinuar que – por ser Palmeirense – o delegado que comandou o caso foi parcial e defendeu os interesses de seu clube do coração.

Neste caso, o senhor omite, digo assim para não ter que dizer que o senhor Juca Kfouri mente, que justamente pelo caso trazer o clube do coração do delegado dentre os suspeitos este (o delegado) passou o caso para outra delegada (Renata Corrêa). Afinal, como mesmo diz o senhor Kfouri, “à mulher de César não basta ser honesta...”. Aliás, não é assim que agem muitos jornalistas – os esportivos dentre eles – que todos nós sabemos que em alguns momentos de suas vidas prestam serviços a gente que tem interesses conflitantes à profissão. É o caso, por exemplo, do senhor ser acusado de supostamente ter prestado serviços à Pelé Sports & Marketing mesmo exercendo a profissão de jornalista a época. É o caso de publicações esportivas que se dizem sérias e imparciais, mas que anunciam em estádios de futebol que pertencem a clubes que – teoricamente – podem ser alvos de matérias que podem ter teor negativo.

Além disso, para não passar recibo de parcial, mesmo com os laudos técnicos, científicos etc., que hora são apresentados, repito, pela Polícia e pelo Ministério Público, prefere o senhor utilizar-se do escárnio, contra as instituições todas (do Estado e o Palmeiras) para se mostrar indignado e insatisfeito.

Neste caso, o chamado caso do gás, mais uma vez foi prejudicada a instituição Sociedade Esportiva Palmeiras que durante um ano viu seu nome envolvido em um suposto escândalo que agora, sob as vistas da polícia e da justiça, se mostrou uma tremenda armação. Não sei o que fará o Palmeiras para ser ressarcido dos danos que a condenação intempestiva do senhor fez ao Clube e a seus torcedores, talvez deixe como está, pois sabem os dirgentes do Palmeiras do que são capazes aqueles que diuturnamente resolveram, por motivos que um dia virão à tona, vilipendiar essa instituição.

Não tenho procuração pra defender a gloriosa Sociedade Esportiva Palmeiras, mas – fosse eu um de seus dirigentes – processaria todos, inclusive ao senhor, e pediria reparação por danos morais.

Além disso, gostaria de fazer-lhe uma pergunta: Quantas partidas Valdívia fez pelo SPFC logo após sua apresentação por lá, no mês de janeiro de 2009?

Finalmente, peço-lhe um pouco mais de comedimento e coerência, menos fel e parcialidade, afinal o senhor se diz jornalista.

____________________
sem revisão.

R41, um c4r4 63n3r050

Essa veio lá do Cruz de Savóia, nessa semana o 'Seu Cruz" tá arretado.

Foi uma quinta-feira dos infernos, digo isso para vocês: incumbido que estava em fotografar a visita do primeiro-ministro britânico ao Musel do Futebol, acordei cedo e me dirigi ao Pacaembu, de bom humor, na esperança de conseguir uma boa foto e matar mais um ‘leão do dia’.

Chegando ao estádio, no entanto, vi que dali não sairia boa coisa… Descobrimos todos, logo na chegada, que o cadastramento da imprensa havia ficado nas mãos de uma mulher imbecil do consulado britânico, uma dessas pessoas ínfimas que, se vestirem um uniforme de vigia, passam a se achar as donas do edifício. Para começo de conversa, fez todos chegarem lá antes do meio-dia, e foi logo avisando que o gringo não viria antes das 14:30hs.

Ainda sem entender o porquê de tanta antecedência para o credenciamento, entramos no campo e decobrimos que nosso lugar era lá mesmo, 10 metros depois da linha de fundo e debaixo do sol: ali é que deveríamos esperar umas 3 horas, sem um guarda-sol, água, tomada para lap-tops, porra nenhuma. De pé, no sol.

Decidimos todos, então, deixar as malas no cimento e ir procurar uma sombra fresca e, especialmente eu, uma birra gelada. E a dona encasquetou que não poderia entrar novamente no estádio qualquer um que saísse: saímos todos e voltamos todos, we don’t speak english.

Enfim, Gordon Brown chegou, às 15: e caralhada. 5 minutos, vira as costas e se vai. Sócrates estava lá também, e era o único sujeito de bom humor ali, como sempre.

Durante essas longas horas de espera, o ’seu Cruz’ aqui entrou várias vezes neste blogue, até para desestressar; mas acontece que era o dia do enxame das marimbondas, das moçoilas desocupadas de Vila Sônia: vieram todas ver o que fazíamos, quebrando qualquer recorde de audiência que já tivemos: um luxo só.

Mas teve uma pérola que valeu meu dia de cão: fui com uma repórter, uma moça nova que é, digamos, uma formosura avessa ao mundo do futebol. De todo modo, a menina era um oásis no deserto tórrido, para toda a equipe de imprensa presente, que estava muito interessada em conversar com ela.

Até que, em certo momento, ela me procura assustada, com uma carinha perplexa. Com a mão, aponta alguns cinegrafistas, uns caras que tavam bem putos e apoiados nos tripés (como cabe a bons profissionais de longa data) e me segreda, buscando uma resposta:

“-Aqueles meninos me juraram que o Raí é veadinho!! Você acha que isso é verdade?”

E eu, para não cair em um pedante ‘cê não sabia?!’, digo:

- Que time ele jogava?

A bela repórter entendeu e caiu na gargalhada. Percebi então minha precipitação em julgá-la: até que a guria entende o suficiente do mundo da bola.




Esse post - lá no Cruz de Savóia - foi patrocinado pela 54M5UN6.

26 de mar de 2009

Do Cruz de Savóia

O Raphaello, do Cruz de Savóia, repercute por lá o caso do ex-jogador que não sabemos por que time jogou devido a uma clara omissão da imprensa. Vá lá e leia: "A gente fala, a gente mostra… e a canalhada esperneia.".

Dê uma lida também em: "A gente fala, a gente mostra… são dois pesos e duas medidas."

Aproveite que estará por lá e leia a biografia da madame revisada, ampliada e documentada. É a história mais podre do futebol mundial.

Tratamentos distintos

Está bem que os anos são diferentes, o casos diferentes, mas o tratamento dado a uma notícia relacionada ao time Leonor e a outro qualquer também o é.

Vejam o que publiquei no post anterior a esse clicando aqui.

Agora cliquem aqui e vejam o que um dos grandes portais publicou sobre um ex-jogador, também envolvido com a polícia. Atentem que, ao contrário do caso anterior, o nome da equipe aparece já no título da matéria.

Não, não é nada, não é nada. Eu é que sou paranóico mesmo!

________________
Em tempo: consegui o link através do comentário do leitor Rodrigues Marcos, que o postou lá no Cruz de Savóia à propósito da notícia ter sido discutida por lá no post: SPFC + assassino.

25 de mar de 2009

[OFF]Jogador Roberto Carlos abre grife

Do terra moda - 25/03/2009

"Foi no estilo bad boy "arrumadinho", com calça jeans dark blue, camisa com capuz, blaser preto e tênis branco, que o lateral-esquerdo Roberto Carlos, do time Fenerbahçe, da Turquia, apareceu no Buddah Bar, em São Paulo, para inaugurar a RC3, sua grife de moda masculina e feminina. Ele usou peças da própria marca, claro!" [leia mais clicando aqui].

Em tempo: Sei que moda é coisa de bambi, mas esse é um post cifrado.

Nota despretensiosa

Um jornalista amigo meu esteve ontem cobrindo o lançamento de uma grife de roupas. Por lá encontrou Roberto Carlos (lateral, não o músico), que aliás era quem lançava a grife, e um ex-lateral direito do Palmeiras.

Esse jornalista amigo, e nesse momento minha fonte, conversou muito com o ex-capitão da seleção nacional, ex-lateral direito do Palmeiras, e tetra-campeão mundial Cafu.

Em off (como costumam se referir os jornalista a uma conversa que não deve ser publicada), e por ser Palmeirense de quatro costados, o meu amigo e fonte me saiu com a seguinte pergunta ao capitão Cafu: "Será que você aguentaria, já que está parado, mais um seis meses como lateral direito do Palmeiras?"

A resposta, que contou também com um sinal de positivo do empresário que acompanhava Cafu, não poderia ser mais animadora, um retumbante É CLARO! Não sem mostrar um ar de que se convidado aceitaria na hora.

Em época onde jogadores são repatriados, em um período onde laterais não sabem chegar à linha de fundo, sequer um cruzamento sabem fazer, eu pensei: Será?

Com a seca de laterais que temos no futebol brasileiro, e na lateral direita do Palmeiras em específico, sei lá, quem sabe.

Em tempo: Cafu completará 39 anos no próximo mês de junho e está sem atuar desde maio de 2008 quando fez sua última partida pelo Milan, da Itália, equipe que serviu por 5 anos. Jogou no Palmeiras de 95 a 97, fez 99 partidas e marcou 13 gols, foi Campeão do Paulistão 1996 e Torneio Euro-américa de 1996, seu desempenho com as cores esmeraldinas foi de 64 vitórias – 19 empates – 16 derrotas.

P4LM31R45 0C74C4MP340 BR451L31R0

Em um trabalho de pesquisa do jornalista Odir Cunha foi apresentado ontem à impresa o dossiê que reivindica a equiparação do Robertão e da Taça Brasil ao atual campeonato brasileiro. Afinal, o mundo e o futebol no Brasil não começaram em 1971.

O dossiê está aqui, é só clicar e ler o trabalho.

______________
O dossiê foi publicado originalmente pelo site Parmerista. Tomei a liberdade de linkar diretamente de lá. Mas pode ser acessado também por aqui.

O F0RZ4 P4L35TR4 não é patrocinado pela 54MSUN6, ainda!

D1360 50UZ4 - Súmula

No link a súmula onde é descrita a expulsão do D1360 50UZ4 e o que o jogador disse ao apitador.

Pois bem, o Palmeiras deve ficar atento, pois a imprensa disse que DS deve pegar uma pena pesada, pois ofendeu o árbitro; a semifinais e as finais do Paulistão estão aí, e sabemos como agem os tribunais em relação aos nossos jogadores.

Segundo o apitador o DS lhe disse: "...após a expulsão dirigiu-se a mim e proferiu as seguintes palavras: Puta que o pariu, caralho, voce me tirou do proximo jogo porra, voce esta de sacanagem. Após o fato retirou-se de campo.

Se isso for ofensa eu preciso tomar cuidado, senão vou ser expulso da vida. Aliás, DS foi até comedido, pois eu teria me dirigido ao salafrário* e homenageado sua progenitora.

_____________
salafrário
sa.la.frá.rio
sm pop Sujeito sem cotação moral; bisbórria, patife, safardana.

Drops

1. D1360 50UZ4 É 63N10!, repito Diego Souza é gênio!

2. Por que será que sempre que há um jogo do P4LM31R45 contra o time sem alma este começa antes e termina depois? Funciona mais ou menos assim: é jogador suspenso por VT, é o DS sendo tirado no nício do jogo ou no jogo anterior, é reclamação de gás… É xororô! Depois somos paranóicos.

3. O que é J3C1? Aliás, parafraseando o Barneschi, J3C1 N40! E complemento: J3FF3R50N e 3V4NDR0 são daquelas contratações que não entendemos, a escalação deles então...

4. O juiz de ontem foi - como outros em outras oportunidades e em nossa própria casa - mal intencionado do início ao fim do jogo. No final conseguiu o que queria: D1360 50UZ4 está fora do jogo de sábado contra o time sem alma, o time 024 24024 como traduziu bem o "Seu Cruz".

5. Por falar no ladrão da vez, o Barneschi - em mais um post direto e objetivo - nos mostra, ao lembrar do mandamento do verdadeiro torcedor em relação ao assoprador de latinha, como devemos agir com tal sujeito.

6. Quer dizer então que o argentino Tevez é somente Carlitos, o argentino Escudero também é chamado somente pelo nome, mas 0RT16054 tem sua nacionalidade acoplada a seu nome, para os jornais e para a imprensa esportiva em geral ele é o paraguaio 0RT16054, e por outros somente nomeado pela sua nacionalidade. Seria perseguição ao P4LM31R45, ao jogador ou preconceito contra o país sulamericano?

7. Dizem que havia um 'olheiro' do Barcelona no Palestra observando o K31RR1550N (K9). Não sei se por isso, mas ontem - para mim - foi a partida mais apagada de nosso artilheiro.

8. Time reserva no sábado? Sei não, acho que o 'professor' LUX3MBUR60 está fazendo algumas experiências e escondendo o jogo, pois dia 8 temos uma guerra contra as putinhas do nordeste, deve estar criando algumas alternativas para o jogo lá em Recife. A ver, pois o time está - a cada jogo - se apresentando de uma maneira diferente, e podem escrever: lá em Recife iremos jogar no 4/4/2.

9. Não viu o jogo, não confia na avaliação da imprensa, então acesse a análise do Conrado.

10. De novo, para lembrar aos amendoins: D1360 50UZ4 É 63N10!

11. E para fechar o Drops com o mesmo número de titulares de uma equipe de futebol: É gol, é 0RT16054, é ORT160l! Que aliás, já tem mais gols que o Souza, o mesmo número que o Gordo, ambos do time da marginal sem número, e mais gols que o tal Dagoberto, do time sem alma.

_______________
PS. Esse post não foi patrocinado pela 54M5UN6.

22 de mar de 2009

Serra Pelada

Deem (é assim que se escreve agora?) uma olhada nessa pepita garimpada dentre os muitos sítios de Palestrinos.

Cruz de Savóia - 20/03/2009 - Senta… que lá vem a história!

20 de mar de 2009

Derrubem o busto do Maradona

Do Estadão (para quem é assinante)

Maradona diz estar com a ''alma doída''


O técnico da seleção argentina, Diego Maradona, disse estar magoado com os torcedores do Boca Juniors, que o chamaram de traidor após o meia Riquelme ter renunciado à equipe enquanto El Diez continuar no comando. "Dói na alma que alguém me denomine como traidor", disse. ''Eu não esperava essa reação das pessoas, mas não as culpo. Não entrarei em uma guerra que não serve para nada." A Argentina recebe a Venezuela dia 28 pelas Eliminatórias.

18 de mar de 2009

Luxemburgo X Cosme Rímoli

Vejam o 'debate' entre Luxemburgo e Cosme Rímoli no programa Por Dentro da Bola do Datena.

Artilharia pesada

Do UOL Esportes.

Com Keirrison, Palmeiras crava melhor ataque do clube no século

A contratação do atacante Keirrison, definitivamente, fez bem ao Palmeiras. Atual artilheiro do Campeonato Paulista e autor de quatro gols na Copa Libertadores, o jovem atleta colabora para que o time alviverde tenha, até o momento, o melhor ataque do clube no século 21.

PALMEIRAS NO ATAQUE
2009 42 gols em 18 jogos
2000 43 gols em 18 jogos
1997 49 gols em 18 jogos
1996 66 gols em 18 jogos


Com os gols marcados na vitória por 2 a 0 sobre o Noroeste, na última terça-feira, a equipe comandada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo chegou à marca de 42 gols anotados em 18 partidas, alcançando a média de 2,33 tentos por jogo na temporada, conquistando a melhor marca dos últimos nove anos.

Autor de 16 dos 42 gols, Keirrison é responsável por quase 40% das bolas que balançaram as redes adversárias. O próprio atleta já havia quebrado outro recorde no Palmeiras: com 13 gols em seus primeiros dez jogos pelo clube, ele se tornou o atacante com melhor início de trajetória na equipe alviverde.

"É um número espetacular. Sei que eu quebrei o recorde do clube com os 13 gols marcados nos dez primeiros jogos. E agora atingimos outro número legal, que é o de ataque mais positivo do século. Essas coisas acrescentam muito na nossa carreira", afirmou o jogador.

"Mas somos um conjunto e todos têm mérito. Nosso time cria muitas chances de gol por jogo, é natural que a bola entre sempre", afirmou Keirrison, que tem média atual de 1,14 gols por partida e lidera a artilharia do Estadual com 12 tentos marcados até o momento.

A última vez em que o Palmeiras marcou mais do que em 2009 foi em 2000, quando atingiu a marca de 43 gols nos primeiros 18 jogos do ano. O recorde de todos os tempos pertence ao time de 1996, quando a equipe comanda pelo próprio Luxemburgo anotou 66 vezes nas mesmas 18 partidas iniciais. Em 1997, o time também fez mais gols, atingindo a marca de 49 em 18 jogos.

A diferença de 2009 para os anos de 1996, 1997 e 2000, é que a equipe atual marcou gols em todas as partidas disputadas. A última vez em que o Palmeiras havia feito gol em todos os primeiros 18 jogos do ano foi em 2003.

A guerra começou I

E as PUTINHAS seguem se mobilizando:



O responsável por uma possível tragédia é do vice de futebol do Sport Guilherme Beltão.

A guerra começou

As PUTINHAS DO NORDESTE já estão se mobilizando para fazerem aquilo que mais sabem, vencer um jogo de maneira baixa. Vejam o que foi postado hoje na comunidade delas:



Isso é fruto da irresponsabilidade de um cidadão que se diz diretor da Madame do Nordeste. Caso queira ver ele botar fogo no jogo leia [Para o Sport, foi Luxemburgo quem criou clima de guerra]. Mas, vá com calma, pois ler isso pode causar ânsia de vómito.

Mas, para uma coisa essa entrevista serviu: caso alguma tragédia aconteça lá em Recife o responsável tem nome, ele se chama Guilherme Beltrão e dá expediente na vice-presidência de futebol do Sport Club do Recife.

17 de mar de 2009

Obrigação

Não consegui ir ao jogo. Minha filha está com uma daquelas viroses, a chuva dificultou o trânsito, minha esposa trabalha em Diadema. Resultado: quando estava livre o jogo já havia começado.

O PPV resolveu me sacanear e só vi o jogo depois dele estar 2 x 0 para o Palestra. Então não posso comentar o que aconteceu, somente sei que somos líderes, mantivemos a invencibilidade, e temos o K9 como artilheiro.

O pouco que vi me convenceu, mais uma vez, de que o Luxemburgo está armando para o técnico do time das PUTINHAS. No último jogo tocamos a bola com calma, esperando o momento certo de atacar, marcar... Hoje, fomos - enquanto deu - incisivos, rápidos, lépidos... Sei não, acho que chegaremos no dia oito (8) com duas, três ou quatro formas de jogar, de acordo com as circunstâncias de jogo (campo, clima, escalação); se cuida NB, se cuida Putada do Nordeste, o Verdão vai atropelar.

Palmeiras x Noroeste

De novo com chuva?! A continuar nesse ritmo a torcida verde passará por processo de mutação e - em breve - todos teremos nadeiras ao invés de pés, e quem sabe grande parte da torcida nasça com as capas para chuva já acopladas ao corpo.

Mas, vamos lá. Hoje, todos ao Palestra. E dia 8 é guerra, vejam como um 'dirigente' irresponsável, lá das PUTINHAS DO NORDESTE, bota fogo no jogo:

Do Blog do Cosme Rímoli

"Mas esse clima já contagiou as diretorias dos dois clubes...

Contagiou mesmo. Tudo por causa de Luxemburgo. Até o Belluzzo, presidente do Palmeiras, que eu considerava uma pessoa inteligente, caiu na dele. O Belluzzo disse que espera um 'clima de guerra' aqui em Recife. Ele vai cair do cavalo. O Palmeiras será muito bem tratado. Não vai acontecer nada. Nem àquele desqualificado do Luxemburgo. Nada. Mando até um recado ao Belluzzo. Aproveite a amizade que ele tem com o presidente do Corinthians, Andres Sanches, e pergunte como o Corinthians foi tratado na final da Copa do Brasil do ano passado. Pergunte a ele. O Luxemburgo quer que nós pernambucanos sejamos vistos como um bando de selvagens. Fica mais fácil para ele explicar uma bem possível derrota. E esconder a vergonha de ser eliminado na primeira fase da Libertadores da América. Ah...eu não me conformo com a fama dele. Ele é muito ruim. Um enganador. Tem uma carreira enorme e nunca ganhou nenhuma competição internacional. É um enganador, repito."


Se tiver estômago e quiser ler tudo está aqui - publcado por lá em 17/3.

Gonçalves Dias e João Cabral de Melo Neto

CANÇÃO DO EXÍLIO

MINHA TERRA TEM PALMEIRAS,
ONDE CANTA O SABIÁ,
AS AVES QUE AQUI GORJEIAM,
NÃO GORGEIAM COMO LÁ,
NOSSO CÉU TEM MAIS ESTRELAS,
NOSSAS VÁRZEAS TÊM MAIS FLORES,
NOSSOS BOSQUES TÊM MAIS VIDA,
NOSSA VIDA MAIS AMORES.

EM CISMAR, SOZINHO À NOITE,
MAIS PRAZER ENCONTRO EU LÁ;
MINHA TERRA TEM PALMEIRAS,
ONDE CANTA O SABIÁ.

MINHA TERRA TEM PRIMORES,
QUE TAIS NÃO ENCONTRO EU CÁ;
EM CISMAR - SOZINHO, À NOITE -
MAIS PRAZER ENCONTRO EU LÁ,
MINHA TERRA TEM PALMEIRAS,
ONDE CANTA O SABIÁ

NÃO PERMITA DEUS QUE EU MORRA,
SEM QUE EU VOLTE PARA LÁ;
SEM QUE DESFRUTE OS PRIMORES
QUE EU NÃO ENCONTRO POR CÁ,
SEM QU’INDA AVISTE AS PALMEIRAS,
ONDE CANTA O SABIÁ.



Ademir da Guia

Ademir impõe com seu jogo
o ritmo do chumbo (e o peso),
da lesma, da câmara lenta,
do homem dentro do pesadelo.


Ritmo líquido se infiltrando
no adversário, grosso, de dentro,
impondo-lhe o que ele deseja,
mandando nele, apodrecendo-o

Ritmo morno, de andar na areia,
de água doente de alagados,
entorpecendo e então atando
o mais irrequieto adversário.

Octa brasileiro

Eu já - desde sempre - considerava que o Palmeiras havia conquistado 8 títulos brasileiros, afinal o futebol no Brasil não nasceu com a CBF, é muito anterior a ela.

Por isso, publico aqui matéria do Notícias Ponto Verde, sobre a entrega do dossiê à CBF.

16/03/09 18:45:00
DOSSIÊ GARANTE: VERDÃO É OCTA BRASILEIRO!

Documento será apresentado em 24/03 e, em seguida, encaminhado à CBF. Se econhecido, tornará Palmeiras líder das conquistas nacionais.

Antes tarde do que nunca!


Na terça-feira da próxima semana, 24 de março, o futebol brasileiro viverá um momento de resgate histórico e de justiça, ainda que tardia: juntos, seis dos mais importantes clubes brasileiros apresentarão à Imprensa um dossiê que comprova que todos eles foram campeões brasileiros antes de 1971.

Palmeiras, Santos/SP, Cruzeiro/MG, Botafogo/RJ, Fluminense/RJ e Bahia/BA assinaram o projeto que tem por objetivo reivindicar à CBF o reconhecimento como título nacional as conquistas da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedroza, mais conhecido como Robertão, competições hoje extintas mas que foram precursoras do atual Campeonato Brasileiro.

Elaborado e redigido pelo jornalista e historiador Odir Cunha, profissional ligado ao time da Vila Belmiro, o dossiê – que será apresentado à mídia no Salão Nobre do nosso clube -, tem como principal argumento um fato irrefutável: os campeões destas duas competições foram os representantes nº. 1 do Brasil na Copa Libertadores da América da temporada seguinte, status idêntico ao que hoje é concedido ao campeão nacional. De acordo com informações, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, se diz simpático à idéia da oficialização.

Ocorre,porém, que nos anos de 1967 e 1968 ambas as competições foram disputadas. Assim, caso o objetivo dos clubes seja atingido, tantos os vencedores do Robertão quanto os da Taça Brasil serão considerados campeões nacionais. Se tal reivindicação for mesmo aceita pela entidade máxima do futebol brasileiro, a lista de ganhadores ficará asism:

1959 – Bahia/BA

1960 – Palmeiras/SP


1961 – Santos/SP

1962 – Santos/SP

1963 – Santos/SP

1964 – Santos/SP

1965 – Santos/SP

1966 – Cruzeiro/MG

1967 – Palmeiras/SP e Palmeiras/SP


1968 – Botafogo/RJ e Santos/SP

1969 – Palmeiras/SP


1970 – Fluminense/RJ


Também estará alterada a liderança de conquistas nacionais, que ficará assim:

8 títulos – Palmeiras/SP e Santos/SP

6 títulos – São Paulo/SP

4 títulos – Vasco/RJ, Flamengo/RJ e Corinthians/SP

3 títulos – Internacional/RS e Botafogo/RJ

2 títulos – Grêmio/RS, Fluminense/RJ, Bahia/BA e Cruzeiro/MG

1 título – Atlético/MG, Guarani/SP, Coritiba/PR, Sport do Recife/PE e Atlético/PR

Ademir Da Guia

Para muitos hoje o Divino amanheceu menos santificado. Ao vestir a camisa do maior inimigo da torcida do Palmeiras ele maculou sua história. Inclusive há no blogue do Raphaello a proposta de se derrubar a estátua que foi erguida no clube em homenagem a um de seus maiores ídolos [leia aqui].

Tenho certeza que se perguntarmos à maioria dos jogadores que envergam – ou envergaram – o manto sagrado qual o nosso maior inimigo a maioria não saberá responder, outros sairão pela tangente e outros dirão que se trata de outra equipe. Com raras exceções – Oberdan Catani é uma delas – os jogadores de futebol não tem a dimensão – por falta de conhecimento histórico, por incapacidade intelectual etc. - que tem a torcida sobre seus rivais, sobre a história de sua equipe, sobre seus inimigos. Isso para mim é um mal de que padecem a maioria dos jogadores, com o Divino não é diferente.

O Divino, o maior jogador de futebol que eu vi jogar - pouco, pois ele estava em final de carreira quando eu ainda era garoto – sempre foi uma figura ingênua, calada, tímida, talvez por isso (não se posicionar) não tenha conquistado espaço na seleção nacional, mesmo sendo quase unanimidade entre torcedores e críticos.

O Político Ademir Da Guia, se elegeu pelo PC do B e trocou de partido inúmeras vezes, tenho informações (fontes) que sua carreira política sempre foi 'tocada' por políticos profissionais, muito por conta das características que já citei: ingenuidade, timidez, falta de posicionamento.

Ou seja, Ademir Da Guia, igual ao Divino, sempre foi uma figura muito útil, mas – ao mesmo tempo – se deixando levar por aqueles mais espertos que ele.

Nesse caso, não tenho dúvidas que ele mais uma vez se deixou levar por figuras mais espertas que ele, não sabia (agora vai saber) o que a atitude dele poderia significar, não teve a dimensão do que sua atitude poderia causar para a sua imagem, mas principalmente, para sua imagem junto à torcida que o idolatra.

Para mim, o Divino continuará a ser o maior jogador de futebol que vi atuando com a camisa do Palmeiras, um dos maiores – talvez o maior – ídolo da história do Palmeiras, e não é uma 'pelada' jogada com vereadores e com o criador de factóides MAC que me fará considerá-lo maior ou menor para a história do Palmeiras; história, aliás, que o time que ele vestiu a camisa não tem, ídolos que a torcida da equipe que ele vestiu a camisa não sabe cultuar, e talvez por isso busquem desconstruir a imagem dos ídolos alheios.

Para mim, deveríamos dar ao fato a dimensão real que ele tem, qual seja, nenhuma.

Compreendo a revolta daqueles que se sentiram ofendidos, como compreendo aqueles – que como eu – não dão importância alguma ao fato.

Quanto ao Ademir Da Guia político jamais vote nele, por conhecer sua maneira de se comportar perante a vida – típicas dele, as quais respeito também – não o considero apto a me representar no parlamento. Quanto ao Divino, o jogador de futebol, continuarei esperando que outros defendam as cores do Palmeiras em campo com tanta maestria.

Que saiba agora que o político Ademir Da Guia pode, muitas vezes, manchar a biografia do mito Divino.

Para encerrar, sem a permissão do autor, copio aqui um trecho de um depoimento escrito no Orkut (comunidade do Palmeiras) pelo Manuel:

Amigos e Amigas

“...hoje vejo uma foto de Marco Aurelio Cunha e Ademir da Guia, ambos com a camisa do Sao Paulo, em um evento. O que dizer ? Simples: mais uma vez vemos o quao oportunistas sao os sao-paulinos, maldosos e sabedores do mal que fazem ao fomentar a rivalidade. Sim, foi de caso pensado. Articuladores de facil manipulacao, projetaram um jogo entre vereadores para fazer notar que tudo podem, ate vestir o Divino como bem querem. Usam e abusam da boa vontade, e indicam que a posicao do vereador Marco Aurelio Cunha na prefeitura nao foi por acaso.

Mas, para infelicidade do Sao Paulo, o tiro mais uma vez saiu pela culatra. Pergunto: e dai ?

Ademir vestiu na sua carreira apenas uma camisa aqui em Sao Paulo: e foi a do Palmeiras. Ademir da Guia sera sempre lembrado como O DIVINO, para despeito da divindade do Sao Paulo. Ademir mostra que sua boa vontade é fruto do verdadeiro, e nao do falso.

Ademir hoje pode vestir sim, qualquer camisa. Mas nada apaga o que ele fez na historia do Palmeiras. Se assim fosse, o que seria de Rivelino usar a camisa do Palmeiras na despedida do Divino ?

Sempre digo que respeito é o minimo que esperamos. E hoje tenho certeza que muitos sao-paulinos ficaram com uma inveja terrivel de ver o Divino com a camisa deles atraves de um ato de ma indole, enquanto sabe que Divino é o senhor no Palmeiras.

Quiseram comprar um Rei, esqueceram que Ademir é Divino

Quiseram surrupiar nosso Divino, e esquecem que ele é Palmeirense.

A todos, quero acabar com algo que me deixou muito feliz. Sim, fora conhecer pessoas como Custodio, Bruno e Kleine, vi mais. Vi Joelmir Beting e entendi porque tanto respeito por ele. Vi Leivinha pela segunda vez na vida, na outra foi num voo para Sao Jose do Rio Preto. Vi Dudu, e imaginei o desrespeito de quem nao o conhece.

E vi Ademir. Nao, nao este da foto. Vi o Ademir em pe, do lado de fora, dando autografos, tirando fotos.

Nao consegui comprar o livro. Algo que farei no futuro. Mas ganhei a noite.

Antes mesmo de ver tal foto, compreendi que nada nesta vida pode apagar ou manchar a Historia Divina do Ademir Da Guia, o Divino.

Nao sei se terei outra oportunidade nesta vida. Mas entendam:

Nao pedi autografo. Olhei nos olhos do Divino, e apertei sua mao. E disse apenas "OBRIGADO".

Manuel Martinez Gomes”

16 de mar de 2009

17 de Março

Amanhã o Palmeiras joga contra o Noroeste, em jogo que foi adiado da quinta rodada, pois à época o Palmeiras estava envolvido com a fase eliminatória da Libertadores. Mas, vocês sabem o que se comemora no dia 17 de Março?

Dia de St. Patrick, santo padroeiro da Irlanda católica. Há tempos que as conotações religiosas ficaram para trás e a data passou a ser uma celebração da amizade, da bebida e, é claro, da cultura irlandesa.

Não tenho nada com isso, mas um povo que celebra a amizade com muita bebida, cerveja da boa dentre elas, só pode ter minha admiração.

Então depois do jogo - se alguém puder - passe em um Pub e experimente (lá vai um jabá gratuito) uma Guinness. Experiência única, vale muito à pena.

Além de tudo os caras - e as caras - invariavelmente se vestem de verde. Então, mesmo não tendo nada a ver com a Itália e com o Palmeiras não dá para não homenagear.

II Jogo das Barricas - Republicando

Os rivales já estão se preparando. É o que se pode inferir do post do amigo Claudio no Chuta que é Macumba!.

Então, para que os daqui também já se preparem e comecem a se mobilizar, republico o post sobre o II Jogo das Barricas:

Vem aí o II Jogo das Barricas. Esse ano, realizado no bairro do Bixiga, terá o patrocínio - premiação - deste Blog. A equipe vencedora receberá um troféu.

A equipe vencedora do ano passado (rivales) também receberá um troféu por sua conquista.

Então, aguardem as instruções (data, local, horário, contribução financeira para churras e cerveja).

Somente pedimos a todos que - data divulgada - reservem a tarde para o jogo e a confraternização.

Os troféus (o do ano passado e o desse ano) serão muito parecidos com esse da foto abaixo, mudando apenas a coloração, ao invés do brega dourado serão ofertados (vencedor 2008 e vencedor 2009) troféus na cor prata, e terão as seguintes frases gravadas:

"Retração histórica - I Jogo das Barricas/2008 - Vencedor" - apoio: www.forza-palestra.blogspot.com

"Retração histórica - II Jogo das Barricas/2009 - Vencedor" - apoio: www.forza-palestra.blogspot.com


Aos treinos!

Próximos jogos

Paulistão:

17/03 - 20h30 - PALMEIRAS X Noroeste
21/03 - 19h30 - Guaratinguetá X PALMEIRAS
24/03 - 19h30 - PALMEIRAS X Bragantino
28/03 - 16h10 - Spfw X PALMEIRAS
31/03 - 20h30 - Oeste X PALMEIRAS
05/04 - 16H00 - PALMEIRAS X Botafogo

Libertadores:


08/04 - PUTINHAS DO NORDESTE X PALMEIRAS
15/04 - PALMEIRAS X PUTINHAS DO NORDESTE
21/04 - PALMEIRAS X LDU
29/04 - Colo Colo X PALMEIRAS

15 de mar de 2009

Putinhas do Nordeste I

As meninas lá do Recife, simpatizantes de um time pequeno, insignificante no cenário nacional, tentam criar polêmica para se igualar - através de ardis - a um gigante do futebol mundial.

Pois bem, o Raphaello já havia escrito sobre isso, o que reproduzi aqui. Não contentes, começaram a insinuar que os do sudeste - sim, pois eles sempre opõe nordeste a sudeste - os discriminam por sua origem. Raphaello precisou de um novo post para mostrar que a diferença não é por origem, mas por comportamento, pois existem nordestinos que são diferentes dessa gente que simpatiza por esse time [leia aqui].

O Barneschi não deixou por menos e também botou os pingo nos 'is', botou AS PUTINHAS em seu devido lugar [leia aqui].

Eu, de minha parte, que não tenho medo algum que me acusem de preconceituoso, repito: TIME PEQUENO, INSIGNIFICANTE NO CENÁRIO NACIONAL E DE TORCEDORES MODINHA... Por isso tudo: PUTINHAS DO NORDESTE!

14 de mar de 2009

Putinhas do Nordeste

Hoje estive no Palestra, mais uma vez, para empurra meu time para mais uma vitória. Não deu outra: Diego "monstruoso" Souza 3 x 0 Barueri. Mas, isso é o de menos, pois vitória no Paulista é obrigação, na semi e na final é o que vale. O importante é que estive junto com o Raphaello, do Cruz de Savóia.

Ele me disse (Raphael, Cruz de Savóia) que o pessoal lá de "Norte América"; os coitadinhos, os prejudicados, os discriminados, os filhotes da seca, entraram no blogue dele e até o ameaçaram de morte, tudo por conta de uma verdade, tudo por conta de ele ter os batizado de PUTINHAS DO NORDESTE. Então, aqui está o post do Cruz, sem tirar nem pôr, re-batizando-os de PUTINHAS DO NORDESTE, repito, PUTINHAS DO NORDESTE... Que meda!!!


PUTINHAS DO NORDESTE


Sim, é o mesmo título polêmico já utilizado aqui - e para definir a mesma escória, ou o mesmo time pequeno, se preferirem. Se alguém não gostou por achar que estou sendo preconceituoso, sinto muito: em primeiro lugar, a eterna macaquinha-de-auditório de Madame se baseia no Recife, PE, cidade nordestina.

E mais: alguém que mostra a bunda e assente para aquele que tem dinheiro, só porque tem dinheiro (assim como time-lixo age em relação ao SPFW e sua ideologia) e sai espalhando leviandades de esquina em esquina, não pode ter melhor definição que essa: puta.

Digo, repito e insisto: O Spor Recife é time de puta.

E seus simpatizantes são as putinhas do Nordeste.


do blogue do Cosme Rímoli:

Sport Recife e Palmeiras já estão em pé de guerra.

E o primeiro golpe foi pernambucano.

Pelo menos na sede da Conmebol.

Chegou na entidade sul-americana o ofício enviado pela equipe nordestina exigindo um árbitro estrangeiro para a partida do dia 8 de março.

Como prometia a diretoria do Sport, a alegação foi forte, uma acusação.

A de que o técnico Vanderlei Luxemburgo contrata importantes juízes brasileiros para palestras bem pagas no seu instituto de futebol.

De acordo com os pernambucanos, o técnico banca de R$ 4 mil a R$ 5 mil por palestras no IWL.

E que isso colocaria sob suspeita toda a arbitragem nacional.

O Palmeiras se defende alegando que as palestras foram dadas apenas por alguns árbitros e que não se pode punir todos.

No clube paulista se acredita que a diretoria do Sport quer um juiz não brasileiro por, teoricamente, permitir uma partida mais pegada, com mais faltas duras.

Essa seria uma vantagem para o time de Nelsinho Baptista, mais experiente e menos técnico que o Palmeiras.

A situação que já estava tensa, ficou pior com a vitória de ontem do Colo Colo diante da LDU.

As chances palmeirenses de classificação diminuíram.

Vencer em Pernambuco virou mais do que obrigação.

Os dirigentes nordestinos estão esperançosos.

Lembram que os dirigentes gremistas brigaram pela mesma coisa em 2007 contra o Santos, na época, dirigido pelo mesmo Luxemburgo.

E que eles conseguiram escalar o paraguaio Carlos Torres.

O time gaúcho passou pelos santistas e chegou à final da Libertadores.

Mesmo que seja designado um juiz brasileiro, o Sport Recife já é considerado vencedor nos bastidores.

A pressão sobre ele seria enorme para provar que o alto cache das palestras no IWL não o interessam.

A desconfiança já está no ar.

(Em tempo. O assessor de imprensa e do treinador Vanderlei Luxemburgo, Luís Lombardi se manifestou. Ao ler o post, ele telefonou e fez o seu depoimento.

“No instituto, os convidados não recebem dinheiro algum. O instituto não serve para fazer lobby. Só levamos ex-árbitros, não árbitros. O que está sendo divulgado em Pernambuco não é verdade. Faz parte dos bastidores da Libertadores.”)


Tô morrendo de medo...

13 de mar de 2009

Por vontade de postar I

Essa é Milly Lacombe

Ela era comentarista do canal SportV, canal de TV paga da Vênus Platinada. Ousou fugir à regra e mostrar a verdade. Criticou o goleiro de hóquei (RC). Desapareceu.

Assim funciona a 'imprensa' esportiva brasileira. Quando se mostra a verdade se perde o emprego...

Eu pergunto:

RC forjou ou não um documento mostrando interesse do Arsenal por seu futebol? Milly tinha ou não razão naquilo que disse?

Uhhhhh! Essa imprensa esportiva!

Veja isso
.


Diretoria do São Paulo suspende Rogério Ceni por 28 dias.


Para intermediário, Rogério Ceni foi apenas sondado"
.

Por vontade de postar

Eis a musa do brasileirão 2008. Ela é torcedora do Palmeiras.



Alguns não gostam. Cada um cada um!!!

Por falta do que postar IV

TÁ BOMBANDO!

Por falta do que postar III

Essa é para o furão:

- Quando é que o Valdívia vai estrear no SPFW?

Por falta do que postar II

Com a devida permissão do Raphaello e do Carlinhos:

LEIAM AQUI, direto do Cruz de Savóia a tentativa do motoqueiro - dublê de jornalista - gaguejar, mas não conseguir responder às indagações do Carlinhos.

Pudera, o cara se utilizou da velha e manjada jogada de ter dois CPF´s para se dar bem.

Afffff! Depois o cara quer ser o baluarte da moralidade; critica Deus e o mundo - do Lula ao diretor de piscinas do Corinthians (lá tem piscina ou um tanquão?). Pois bem, a pergunta que não quer calar:

- Paulo, você cancelou o cpf indevido imediatamente após o recebimento, não foi? Não usou-o em nenhuma circunstância? Doutor Osmar equivocou-se, não é mesmo? Você não seria ardiloso a tal ponto! Não se aproveitaria dessa vantagem ilícita, certamente não!

Responde Inho!!!

Por falta do que postar I...

Ano da graça de 2009:

NOTA S.E.Palmeiras 2

Resposta ao jornalista Vanderlei Nogueira

Vanderlei Nogueira, jornalista da rádio Jovem Pan, leu e não entendeu o que leu (confira aqui nota oficial do Palmeiras sobre o factóide da emissora). Seu argumento é que o repórter Fred Jr. ouviu quatro fontes (não há como saber) antes de colocar a notícia no ar.

Ora, ou o jornalista é ingênuo ou age de má-fé. O que ficou bem claro na nota é que A JOVEM PAN NÃO OUVIU O PRESIDENTE LUIZ GONZAGA BELLUZZO antes de publicar o factóide sobre a contratação de Paulo Serdan, presidente de honra da Mancha Alviverde, para as categorias de base do clube. Se tivesse feito teria, além de obedecer as boas normas do jornalismo, evitado um novo atrito com a Sociedade Esportiva Palmeiras. Ou será que é isso mesmo que os profissionais da Jovem Pan querem, insistentemente? Para piorar, tenta passar ao ouvinte que o presidente Belluzzo pode ter voltado atrás na nomeação após o fato ter sido divulgado na rádio. Quer dizer, ele insiste no factóide.

A Jovem Pan pode consultar 500 fontes. Se não ouvir aquele ou aquela que nomeiam na matéria, de nada adianta ouvir os tais personagens. Entre essas fontes estariam, segundo o jornalista informou no jornal de Esportes da emissora, na tarde desta quinta-feira (12), dois diretores da atual gestão (citando diretores da atual gestão, o jornalista tenta jogar o presidente contra todos de sua diretoria... É de uma ingenuidade ímpar. Evidente que desconfiamos da informação, até por que sabemos bem -todos no clube sabem- quais são as fontes da rádio Jovem Pan, e nenhum diretor da atual gestão faz parte delas).

O jornalista ainda recorda o tal contrato da Fiat, quando a emissora divulgou em primeira mão números diferentes daqueles que saíram na mídia (e o fato é citado como exemplo de bom jornalismo...).

Cabe esclarecer ao leitor palmeirense -- já que a rádio Jovem Pan só deu a notícia pela metade -- que o contrato era modular. Isso quer dizer o seguinte: se todas as ações previstas fossem cumpridas, o valor passaria do dobro. Todo contrato prevê prêmios por conquistas, e o da Fiat não fugia à regra, além de outras parcerias que poderiam ser fechadas com o clube.

Mas o que causa estranheza é o fato de o jornalista lembrar com pompa do contrato da Fiat, mas ter "esquecido" de citar os dois editoriais feitos em fevereiro de 2008, quando a rádio Jovem Pan acusou o então diretor de planejamento do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, de escrever em um blog que queria a emissora fora do clube. Na verdade, o post, em um blog de torcida, foi colocado por um leitor que tem o mesmo nome do presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga. Ou seja, ocorreu um dos maiores exemplos de “barriga” do jornalismo brasileiro em todos os tempos, fato este que, vergonhosamente, a rádio teima em não corrigir.

Ansiosa por dar notícias ruins do Palmeiras, imediatamente colocou os editoriais no ar. E claro, não checou de novo o que leu. Acreditou no que seu repórter informou à redação da rádio. Tivesse feito o básico do bom manual de jornalismo, CHECAR SEMPRE ANTES DE DIVULGAR UM FATO, não teria passado por mais essa vergonha.

O ouvinte já sabe que o Palmeiras é o clube eleito pela emissora para fazer fofocas e intrigas. Nenhum outro clube (enfatizamos: nenhum) tem tantas notícias negativas e maldosas publicadas com tamanha frequência. O ouvinte palmeirense também já se deu conta que o noticiário de outros clubes tem uma cobertura bem diferenciada. Isso é fato (como repete o bordão da emissora), não factóide.

Sociedade Esportiva Palmeiras

Por falta do que postar...

Ano da graça de 1972:

II Jogo das Barricas

Vem aí o II Jogo das Barricas. Esse ano, realizado no bairro do Bixiga, terá o patrocínio - premiação - deste Blog. A equipe vencedora receberá um troféu.

A equipe vencedora do ano passado (rivales) também receberá um troféu por sua conquista.

Então, aguardem as instruções (data, local, horário, contribução financeira para churras e cerveja).

Somente pedimos a todos que - data divulgada - reservem a tarde para o jogo e a confraternização.

Os troféus (o do ano passado e o desse ano) serão muito parecidos com esse da foto abaixo, mudando apenas a coloração, ao invés do brega dourado serão ofertados (vencedor 2008 e vencedor 2009) troféus na cor prata, e terão as seguintes frases gravadas:

"Retração histórica - I Jogo das Barricas/2008 - Vencedor" - apoio: www.forza-palestra.blogspot.com

"Retração histórica - II Jogo das Barricas/2009 - Vencedor" - apoio: www.forza-palestra.blogspot.com


Aos treinos!

12 de mar de 2009

Corneta

Time reserva em Itu. Reserva? Mas, não são - mesmo os reservas - jogadores que vieram para compôr o atual elenco? Não são, em sua imensa maioria, pedidos do atual treinador?

A defesa, que insiste em se posicionar mal e tomar gols - e mais gols - de cabeça, ontem se superou, tomou outro gol dessa maneira, e do Alex Afonso. Além disso, o esquema com três zagueiros - por termos uma série de gente ruim no setor - ainda se safou graças às traves do estádio em Itu. Três meses e nada de posicionamento, nada de cortar os cruzamentos pelo alto, e dá-lhe tomar gol de cabeça (vou repetir isso a exaustão, quem sabe assim o professor não leve os beques a treinar essa jogada também à exaustão).

O meio, com dois volantes - para dar cobertura a uma zaga com TRÊS ZAGUEIROS - tem o esforçado Sando Silva e o PÉSSIMO Jumar. E pensar que cheguei a acreditar que o cara fosse - no mínimo - razoável, devido a algumas boas atuações.

Nossos homens de armação - Cleiton Xavier, Cleiton Xavier e, Cleiton Xavier - ficam no banco, pois segundo o professor estão cansados. Marquinhos, o primeiro de nossos reforços, que se tornou o último, pois se apresentou baleado, não acerta sequer um passe. Precisa, quem sabe, de mais uns dois anos para se adaptar.

Nosso ataque, ponto alto no início do campeonato, não pode mais jogar junto, pois o professor não coloca mais Keirrison e Marquinhos ao mesmo tempo, prefere sempre deixar um dos dois como opção, seja para preservar - garotos de 20 anos de idade - do cansaço, seja par sei lá o quê se passa na cabeça dele. Não vou nem comentar sobre a falta de Diego Souza ontem no jogo, já que vem sendo um dos principais jogadores do time. Basta lembrar que se o cansaço for a desculpa o Diego foi o pimeiro a sair no domingo - também de forma equivocada.

Enfim, nosso time parece que virou o fio (já?), nosso professor parece que é o retrato disso. Mas, por que será? Nunca confiei nas notas de um tal motoboy travestido de jornalista, elas sempre tem como fundo atacar a honra das pessoas, mas se for verdade o que por lá está escrito hoje darei toda a razão se uma torcida organizada resolver – digamos - retaliar.

No mais, meu prazo de paciência com o tal professor se esgota no dia 8 de abril, lá em Recife, contra o Ixpóórt, por enquanto eu ainda acredito na classificação na Libertadores e no título do Paulista. Por enquanto! Mas se a vitória contra o time de Recife não vier aí só Deus salva, mesmo porque ele está sem emprego.

Para não dizer que não falei de flores: Lenny e Armero se salvaram da mediocridade; da qual o atual treinador é o maior expoente.

______________
Ah! Mais algumas coisas:

Enquanto o substituto do Capixaba for o Wendell - que não é lateral nem aqui nem no Afeganistão - não corneto mais o cara. Diretoria, cadê o nosso lateral direito?

Mesmo assim - no sábado - mais uma vez estarei no Palestra, EMPURANDO o time.

Corneta, eu?! É que paciência tem limites.

9 de mar de 2009

Perguntas necessárias

1. Quando é que vão parar de conetar o Diego Souza? Lembro-me bem de como foi com o Alex, e principalmente com o Rivaldo.

2. Onde está aquele futebol rápido, envolvente e objetivo do início do campeonato? Será que o 'professor' já não consegue se desvencilhar das armadilhas táticas dos técnicos adversários? O futebol de ontem, principalmente no primeiro tempo, me fez lembrar a lentidão do ano passado, mas a derrota de ontem - sim, derrota - me lembrou é do jogo do meio da semana contra o Colo-Colo.

3. Quando é que nossa defesa - e aqui vão alguns anos de lembranças e lambanças - vai parar de se posicionar mal e tomar gols e mais gols de cabeça?

4. Por quê Willians, um dos únicos que atuaram bem contra o time Chileno, ficou no banco de reservas? Não seria mais lógico matar o jogo logo no início, imprimir aquela correria que fez o time nos encher de esperanças há algumas rodadas atrás?

5. Por quê não vamos buscar o Pracidelli de volta? Está nítida a dificuldade que o Bruno tem em sair do gol. Debaixo das traves ele é um monstro, digno representante de nossa escola de goleiros fenomenais (Oberdan, Valdir, Leão, Velozzo, Marcos...), mas nas saídas de bola ele falha - e muito.

6. Por quê será que quando o time todo joga mal somente um jogador se destaca: Pierre? Mas, quando o time joga bem, ou mesmo quando o time joga razoavelmente bem, ele falha? Ontem, coincidentemente, a partida dele foi muito ruim, quase tomamos gols - ainda no primeiro tempo - por falhas individuais dele.

7. Quando é que teremos um lateral direito que imponha receio nas equipes adversárias? Capixaba, por mais esforçado que seja - mesmo não comprometendo - não acertou, desde o início do ano, um único cruzamento. Para um lateral, que tem como uma de suas funções chegar à linha de fundo e servir os companheiros, ele é muito fraco.

Essas são perguntas que gostaria de ver respondidas para aliviar a tensão pós-derrota - sim, derrota! Mas, me contento se alguém puder me responder só a última:

8. Quem foi o 'jogador de futebol' que com a bola dominada na lateral da área, com três companheiros para tocar a bola resolve dar um balão para a frente? Desse lance bisonho se originou o gol da Jubarte. A culpa pelo gol não foi da defesa, foi desse erro infantil, se é que em um jogo de futebol exista apenas um culpado, ou mesmo culpa por algo.

_________________
Calma Rapha! Minha velha avó, Calabresa das mais legítimas - com muitas qualidades, mas com todos os defeitos da raça - sempre diz: A vida é assim, uns gostam dos olhos e outros da remela.

Barneschi, esperando sua postagem com as suas impressões sobre o Derby.

4 de mar de 2009

A pior torcida do mundo II

A propósito dos últimos dois post, e para quem gosta de refletir sobre modernização no futebol, consumidores de futebol, espetáculo, qualidade do espetáculo etc., e ainda não leu artigo que publiquei - sobre o tema - na revista Ponto e Vírgula, da PUC/SP, eis a íntegra do mesmo que publico abaixo:

Idéias e ações fora do lugar

Recentemente a Ordem dos Advogados do Brasil, subseção de São Paulo realizou um seminário intitulado “Futebol, direito ao lazer e tutela jurídica do meio ambiente cultural”. Estiveram palestrando pessoas ligadas ao 'jogo da bola', de advogados esportivos e até professores universitários que estudam o tema.

No último dia 23 de outubro o jornal “O Estado de São Paulo” publicou reportagem dando conta – com o seguinte título: “Crise gera pânico no futebol da Inglaterra” - de que o futebol entrou no olho do furacão da crise mundial.

Fora o fato de os temas terem ligações por tratarem do futebol e, mais precisamente, de fatores econômicos que envolvem esse esporte, os dois acontecimentos, separados por uma semana, se ligam de maneira contraditória, pois mostram que as idéias e as ações propostas pelos dirigentes e profissionais ligados ao futebol brasileiro estão em flagrante contradição com os últimos acontecimentos (crise econômica), e as saídas propostas para uma pretensa 'modernização' do 'negócio futebol' no Brasil podem aprofundar o afastamento dos torcedores dos estádios e o remédio, ao invés de curar, poderá matar o “doente”.

Durante a palestra da OAB, Marco Aurélio Klein, professor da FGV e Presidente da Comissão Paz no Esporte para o Combate à Violência nos Estádios da FPF, nos mostra que aqueles que resistem ou que criticam a forma que vem sendo discutida as mudanças em curso (modernização é o termo utilizado pelos que a defendem) no modo de gestão dos clubes brasileiros, seja no campo da organização do evento, na forma de se administrar os clubes, mas – principalmente - na forma dos clubes se relacionarem com os torcedores, 'pregam no deserto'.

Segundo o palestrante, não há mais lugar para um futebol que não seja aquele voltado para os consumidores; hoje, não deve se oferecer mais apenas um jogo, mas um espetáculo. Deve-se modernizar os estádios, oferecer conforto e atrativos outros que não seja apenas o jogo em si.

Além disso, os clubes devem incrementar suas receitas com ações de marketing que busquem atrair ainda mais estes 'consumidores' (novos, inclusive), facilitando o acesso aos bilhetes, incrementando os produtos relacionados à paixão dos torcedores/consumidores etc. Até aqui nada de novo, e dificilmente alguém se dirá contrário a tais ações. O grande problema está em como isso se dará, pois, segundo o palestrante, para isso deve-se cobrar preços compatíveis com o que é oferecido; os nossos não são – em absoluto – desse quilate, mesmo porque os estádios brasileiros, por exemplo, ainda são de padrão 'africano' (ainda segundo palavras do palestrante).

Entretanto, o problema se torna mais complexo com a continuidade do discurso, a partir do diagnóstico e das soluções propostas para essa, digamos, modernização do espetáculo, do 'jogo da bola'. Senão, vejamos: se por um lado há uma crescente pressão para que a organização do espetáculo, o local dos espetáculos e o espetáculo em si tenham uma qualidade que atraia consumidores, não apenas torcedores, não há como não se cobrar preços compatíveis a isso. Segundo o diretor da FPF há uma marcha inexorável rumo à mudança do perfil daqueles que 'consomem' o espetáculo futebol. Chama atenção os termos que ora passam a ser utilizados para se falar do mundo do futebol e seus aficionados: consumidores, espetáculo, por exemplo. Eles, invariavelmente, utilizados em substituição a futebol, torcedores...

Na mesma linha Juan Rafael Brito, do departamento de marketing da Sociedade Esportiva Palmeiras, que se disse “torcedor” do clube pelo qual atua profissionalmente (vejam a ironia do destino) disse que – apesar de acreditar que há espaço para abrigar os torcedores menos abastados no espetáculo que deve ser oferecido – também vê os preços por aqui praticados como baixos. Ou seja, com outras palavras, de uma maneira mais branda, mas propondo as mesmas medidas, disse ser necessário que os clubes se organizem para 'faturar' mais com os consumidores do espetáculo (aí está a ironia novamente).

Se vislumbra aqui uma contradição entre espetáculo, consumidores, torcedores, preços. O professor Marcos Alvito, em artigo para a Revista Piauí, “O esporte que vendeu a sua alma” (ALVITO, 2007), nos mostra como essa aritmética espetáculo/preços transformou o futebol europeu em uma soma de resultado zero, onde os torcedores perderam, mas – principalmente – onde o futebol deixou de ser paixão para ser simplesmente business.

O importante aqui é perceber que está em curso um processo que está tomando contornos de um consenso entre aqueles que atuam nos bastidores do mundo do futebol, consenso esse que diz que há a necessidade de se criar uma nova relação entre os clubes e seus aficionados, que não será mais a tradicional relação clube/torcedores, mas uma relação empresa/consumidores.

Essas são idéias que vem hegemonizando o futebol atual, fruto de uma cópia mecânica – e sem relativizações, necessárias em meu entendimento – daquilo que ocorreu e ocorre – com o futebol nos países europeus, como por exemplo a Inglaterra. Fruto ainda de uma visão – subjacente – de que o torcedor é o ruído, aquele que deixa o ambiente poluído, feio, impróprio para a freqüência e para o consumo dos 'diferenciados': os consumidores.

A relativização deve ser levada em conta por vários motivos. Um deles, é que por aqui os níveis de salário são muito menores que os de lá. Se lá, onde os níveis salariais são muito maiores, houve um processo de elitização e aqueles que sempre foram os freqüentadores das arquibancadas foram afastados dos estádios, e hoje são empurrados para as transmissões dos canais de TV´s pagas (que praticam preços muito inferiores aos praticados no Brasil), o que acontecerá por aqui?

Talvez sejamos impelidos (os torcedores) a outras formas de lazer; aquelas que ainda não são consideradas rentáveis, aquelas destinadas aos 'menos aptos a viver e conviver socialmente' e, nesse momento, aquelas que não requerem vultosas quantias para serem consumidas. A prática talvez ainda seja permitida, pois é dentre as classes menos abastadas que está a mão-de-obra – ou pés-de-obra, no caso do futebol – que impulsiona o lucro; é ainda da prática cotidiana que se abastece o 'mercado' mundial do futebol com os 'artistas' da bola.

Outro fator que deve ser levando em consideração é a diferença entre um torcedor de futebol e um consumidor de espetáculos. Queira-se ou não, há uma profunda diferença entre uma partida de futebol, com a participação ativa dos aficionados durante o jogo em si, com seus rituais, cânticos etc. e um espetáculo de teatro, por exemplo, onde o espectador, como o próprio significado da palavra mostra, apenas observa ou vê qualquer ato.

Tratar o torcedor apenas como um consumidor é um profundo equívoco. Ele é mais que isso, ele é parte do espetáculo. Aliás, o torcedor é aquele que lá está independente da qualidade do que lhe é oferecido, das condições do palco, das intempéries.

No caso do torcedor, o único fator impeditivo à sua presença é o financeiro. Já o consumidor, se há a necessidade de lhe oferecer determinadas condições para que ele consuma um determinado produto, deve-se concluir que não lhe sendo oferecido o produto com a qualidade desejada ele deixará de consumi-lo, ou seja, é um 'público' volúvel, que poderá trocar – e o fará – um jogo de futebol por uma peça de teatro, uma sessão de cinema ou um show de 'tecno brega'.

Pois bem, é neste ponto que chama atenção a matéria do jornal O Estado de São Paulo. Nela se dá conta que com a crise mundial os clubes de futebol da Europa – por serem aqueles que mais pagam salários, aqueles que mais recebem cotas de televisão, pois têm os maiores craques para um espetáculo de qualidade, por terem ações na bolsa de valores, por terem financiadores (mega milionários) que, ou perderam dinheiro com a crise ou viram suas fortunas se esvaírem da noite para o dia – terão que reduzir o ritmo de suas contratações, de seus investimentos, vender os artistas (coisa que já fazemos há pelo menos três décadas) para fazer caixa etc. Ou seja, a qualidade do espetáculo tende a cair abruptamente.

Assim cabe uma singela pergunta: e agora o que acontecerá? Será que os exigentes consumidores não buscarão outro espetáculo? Será que não buscarão salas climatizadas, com poltronas confortáveis e com artistas outros que não sejam somente 'celebridades da bola'? O parágrafo final da matéria do Estadão não deixa dúvidas de que a resposta é sim: “...Se o atual modelo de gestão não for modificado (...) a conta final pode acabar no colo – e nos bolsos – dos torcedores, que receberão apelos dos cartolas para salvar seus amados clubes.” [o grifo é meu]

Isso mesmo, os clubes recorrerão aos torcedores. Mas que torcedores? Elementar: aqueles mesmos que há pouco foram afastados dos estádios pelo processo de elitização (esse que está em curso por aqui também); processo este, que eufemisticamente é tratado, no jargão dos administradores esportivo, como profissionalismo, mercado, consumo, espetáculo etc.

Esperemos que os administradores daqui aprendam – ainda há tempo – com os equívocos e absolutizações dos de lá, pois como escreveu Schwarz – para outro contexto, é claro – “as idéias...” estão “...fora do lugar” (SCHWARZ, 2000); mas, mais que as idéias o que está fora do lugar e do contexto são as ações propostas, pois estas mais parecem baseadas no puro deslumbramento com o que é importado, em um discurso – que busca um consenso – que vem sendo construído a partir de empresas de comunicação multinacionais (a ESPN é um exemplo disso), do que no entendimento do que seja nossa realidade objetiva.

Enfim, tentar construir o 'novo' em nosso país – em qualquer área –, a partir de uma falsa dicotomia (entre o que é moderno e o que é arcaico), é não ter apreendido nada sobre nossa história; mas esse é um tema que merece um estudo muito mais aprofundado.

* * *

Em tempo: Em um pequeno texto (Crise nos EUA afasta o público do esporte), no Blog Jogo de Negócios, do site Terra Magazine, o publicitário Fábio Kadow, nos alerta que a crise também atingiu o mercado esportivo norte-americano, que reinventa promoções (em tempos de crise) para segurar a assistência de seus aficionados; além disso, em outro texto (Vendem-se anúncios no Super Bowl), no mesmo espaço, o autor nos mostra que os patrocinadores já estão revendo suas estratégias de patrocínio e diminuindo a expectativa de investimentos. A crise, definitivamente, atingiu o mundo dos negócios esportivos, veremos como agirão os 'modernizadores' brasileiros.

Bibliografia

ALVITO, Marcos. (2007) “O esporte que vendeu sua alma”. In: Revista Piauí, 15. dez.

CHADE, Jamil. “Crise gera pânico no futebol da Inglaterra”. http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/ 20081023/not_imp264854,0.php. (Consultado em 26/11/2008).

KADOW, Fábio. “Crise nos EUA afasta o público do esporte”. http://jogodenegocios.blog.terra.com.br/2008/12/01/crise-nos-eua-afasta-o-publico-do-esporte/ (consultado em 01/12/2008).

_____________ “Vendem-se anúncios no Super Bowl”. http://jogodenegocios.blog.terra.com.br/2008/12/02/17/ (consultado em 02/12/1008).

SCHWARZ, Roberto. "As idéias fora do lugar". In: Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo: Duas Cidades. Ed. 34. 2000.


Espero que não deixemos o processo de elitização que campeia mentes e ações dos dirigentes do futebol brasileiro se concretize, pois - com certeza - as vítimas seremos nós mesmos - os torcedores de futebol.

A pior torcida do mundo I

Pensei que somente eu tinha ficado irado com o comportamento dos 'modinhas' que invadem o Palestra em dia de jogos 'chiques'.

Aliás, sabia que o Rapha do Cruz iria escrever sobre o tema, mas vários blogues de Palmeirenses repercurtiram o fato, uns de maneira mais moderada, outros de maneira mais radical, mas todos com uma certeza: essa gente somente atrapalha o Palmeiras.

Dê uma girada por aí e veja o que escreveram alguns blogueiros Palmeirenses:

Castanha de caju
Fica, BWA
Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima

A pior torcida do mundo

Isso mesmo, a torcida do Palmeiras - aquela que como um certa torcida da moda - que só vai na boa - é a pior torcida do mundo.

Cruel, implacável e irresponsável, essa gente não compreende que ao vaiar o time está a prejudicá-lo.

Hoje, lá no Palestra, o que menos precisávamos era de gente criticando o time. Do meu lado havia gente que criticou o Keirrison, só para dar um exemplo. Nem vou citar que ao primeiro passe errado - ou dribles sem sucesso - do Diego Souza os 'modinhas' cairam de pau nele.

Eu já previa isso no sábado. Enquanto nós, os 'imbecís', lá estávamos acompanhando um modorrento 1 x 0, com time reserva, contra o Guarani, pelo campeonato Paulista, lá fora fila enorme para adquirir ingresso para o jogo de hoje. Estava na cara o resultado disso: gente desacostumada às arquibancadas, aqueles que só vão na boa, aqueles que para alguns são o futuro do futebol, os chamados consumidores, atrapalhando o time.

Tenho uma sugestão à diretoria do Palmeiras: ao constuir nossa arena diminua a capacidade do Palestra. Nada de aumntar para 42.000, dminuam para quinze ou dezesseis mil lugares, pois para os verdadeiros torcedores esse número de lugares é mais do que suficiente; assim somente os mesmos, não os 'modinhas', não os consumidores, mas os verdadeiros torcedores lá estarão empurrando o time, nos bons ou maus momentos, nada de críticas e vaias nos momentos onde o incentivo teria que ser a tônica.

Com essa medida somente aqueles que são o atraso do futebol, aqueles que são considerados o ruído do espetáculo, mas que sempre empurram o time, lá estarão. Os outros não fazem nenhuma falta.

1 de mar de 2009

Maior clássico do futebol mundial

Falta uma semana, ou

7 dias, ou

168 horas, ou

10.080 minutos, ou

604.800 segundos.


Tudo isso lá em PP: Latitude: -22º 10' 40" S / Longitude: -51º 25' 6" W,

À 558 km de distância de São Paulo, ou

7 horas de viagem de carro, ou

1 hora de voo de avião, ou

2h10 de voo de helicóptero.

A previsão do tempo para o próximo domingo em PP é de tempo fechado e chuvoso (11mm), com possíveis trovoadas. A temperatura mínima será de 21o C e a maxima de 25o C.

Domingo, as 16h00, em PP, tem Palmeiras x Corinthians, e mesmo com chuva e trovoadas a temperatura estará muito quente, pois é dia do MAIOR CLÁSSICO DO FUTEBOL MUNDIAL.

Ontem, no Palestra, a torcida já deu o tom da semana:

DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!

É DIA 8!

DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!

É DIA 8!

DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!
DÁ-LHE, DÁ-LHE, Ô!

É DIA 8!


Como é um clássico nada melhor que o placar clássico: Palmeiras 3 x 1 Gambazada.

Aos amigos Palestrinos que terão o privilégio de empurrar (não é assistir é empurrar) o Verdão - no estádio - rumo à vitória uma boa viagem.