A ARQUIBANCADA NA REDE - WEB ARQUIBANCADA
"Em 40 anos de jornalismo, nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal". (Cláudio Abramo, que dirigiu Folha e Estadão)

Busca

Pesquisa personalizada

19 de nov de 2009

Para bom entendedor...

Ontem, durante todo o dia, via twitter, cobrei o arauto da moralidade que se posicionasse em seu blogue sobre a suspensão dada ao presidente do Palmeiras. Nada, apenas textos engraçadinhos fazendo previsões que tornariam o atual campeonato de pontos corridos, que ele defende com unhas e dentes, mais atrativo. Dessa forma, acredito, estaria ele comprovando sua tese de que há justiça aliada a emoção nessa forma de disputa.

Entretanto, em seu comentário sobre o desastre do Olímpico - feito de frases curtas, naquela forma que já o consagrou, e também consagra um jornalismo e um texto de péssima qualidade - veio o posicionamento. Sorrateiro, o padrinho do escriba vaticinou: "Reflexo óbvio da intranquilidade de um grupo cujo comandante máximo também se deu ao luxo de perder a cabeça a ponto de pegar nove meses de suspensão". Perceberam a sutileza?

A lógica não é o forte dessa gente. Buscam adaptar a realidade às suas teses; assim, detectaram o preciso momento e mostraram como são diferenciados. Mas, Beluzzo que não é ingênuo ao ponto de se entregar às falsas premissas, e a precipitadas conclusões, respondeu assim: "Imagino, acompanhando a lógica que informa seu raciocínio, que também tenha sido responsável pelos sopapos que os jogadores do São Paulo trocaram entre si no jogo de sábado ou talvez pela pancadaria no jogo Fluminense e Cerro Porteño". Como se diz no interior, nas mesas de carteado: truco!

Pois bem, pela lógica Kfouriana (por isso o plural, ele não é único, tem seus seguidores) nosso presidente foi o responsável pelo destempero de dois desequilibrados.

Nosso presidente então, logicamente é um desequilibrado, afinal sua atitude ao criticar um impoluto árbitro, que não deve favores a ninguém, nem o de ter chegado a três copas do mundo mesmo errando sistematicamente, nem por 'arranjar' nada que lhe é pedido, foi injustiçado. Nunca lhe foi pedido nada; a ele só deixaram o conhecimento sobre as regras do futebol e o livre arbítrio conduzir sua 'vitoriosa carreira'. Beluzzo, continuando na lógica do avestruz, foi destemperado e se igualou ao que de pior existe na 'cartolagem' tupiniquim. Afinal, nada comprova que exista no futebol brasileiro uma rede de favores, pressões, pedidos escamoteados, acertos subterrâneos, corrupção...

The end!

Ops, cenas dos próximos capítulos: hoje, em seu espaço, o 'king of the holes' (Valdívia no SPFW) me sai com essa mensagem 'cifrada': 'Quer saber como funciona? É simples assim. O chefe telefona para o árbitro e diz: "Olhe, você vai apitar o jogo X, o mais quente da rodada. Muita atenção, hein? Você sabe que se o time A perder é o fim pra ele. Já o B ainda tem lenha para queimar. Boa sorte!". Como para bom entendedor, pingo é letra... '. .

Eu sou bom entendedor. Para mim pingo é letra. Para o presidente Beluzzo foi um livro esse pingo. Então, por que o poeta da cifra, o último ‘bastião’ da moralidade, criticou Beluzzo por seu comportamento?

Quer saber como funciona? É simples assim. Um dia um jornalista fura todo mundo e mostra que o futebol brasileiro é corrupto. Ganha credibilidade com isso. Daí não precisa muito mais esforço para se manter como o defensor do ‘fair play’ (em todos os níveis). A partir daí, tudo que faz ou faça pode ser desprovido de coerência, até de conteúdo (de forma, então...); pois, o nome e a audiência que é o que importa já estarão garantidos. Como para bom entendedor, pingo é letra...

5 comentários:

  1. Deus deve amar muito os idiotas para colocar tantos na face da terra. E o maior representante dessa espécie é o JK. Sujeitinho babaca.
    Vale ignorá-lo.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Ademir!
    Será que vamos chegar o dia onde o campeão não seja decidido pela Globo e CBF?

    ResponderExcluir
  3. Usando a mais pura das imaginações, e entrando na realidade, como se acorda todas as manhãs, eu me cansei dessa coisa chamada perseguição aos "italianinhos", favorecimento às meninas do jd leonor, o uso de 2 pesos e duas medidas. Cansei! Aliás, estou completamente esgotado de tudo isso. Já que o Belluzo resolveu botar a boca no trombone, e nossa diretoria se portou de uma maneira covarde e passiva, o que nos resta pensar, que tudo vai cair do céu e nos iluminar, na mais perfeita graça divina. Não! Isso nunca acontecerá! Tem que partir de lá de dentro do clube, tem que fechar as portas a essa impren$a, e ver no vai dar. Temos condições de fazer isso: nossa torcida é participativa, somos inteligentes e jamais precisaremos dessa bosta de impren$a vendida. Diretoria, feche a porta para essa corja, pois se não são ao menos honestos pra escrever o que realmente se passa dentro do clube, que nos esculhambem, mas não dentro de nossa casa. Fora impren$a! Já que somos tratados como "italianinhos" destemperados, que façamos, ao menos, jus a esse tratamento.

    ResponderExcluir
  4. Esse texto foi enviado ao Massimo, do Boletim Rosa

    Sinceramente, se você realmente fosse PALESTRINO nunca mais escreveria nesse meio de comunicação vendido. Sinceramente, se você realmente fosse PALESTRINO pediria demissão já! O que aconteceu no jogo Bambis e Vitória foi apenas um desentendimento entre aqueles viados, essa foi a manchete, apenas no dia seguinte, quando do ocorrido. E quanto a nós, os verdadeiros PALESTRINOS, eis a matéria 2 dias após o incidente: "

    A Academia virou “Loucademia”. Há conflitos no grupo e na cúpula. E faltam dois jogos, com a vaga na Libertadores correndo perigo.

    A opinião dos especialistas

    Psicólogos do esporte falam sobre a briga entre Maurício e Obina

    Marta Magalhães
    Psicóloga da CBF
    “Precisa ser feito um trabalho interno. Deve estar acontecendo algum problema entre os jogadores e se tiver de achar um culpado, vão apontar algo externo”

    Evandro Motta
    Consultor Motivacional do Inter-RS
    “Na reta final, o importante é estar focado. Mas naquele momento eles estavam mais focados em saber quem tinha a culpa, e aconteceu aquilo”

    Suzy Fleury
    Psicóloga do Esporte
    “Quanto mais importante o jogo, maior a pressão, e isso interfere no controle emocional. Eles não suportaram essa pressão no momento decisivo”

    ResponderExcluir
  5. Psicólogos de uma figa, nem sabem a diferença entre neurônio e neutrino, imbecís.

    ResponderExcluir

Caro Palmeirense, aqui você pode fazer seu comentário. Como bom Palmeirense CORNETE!!!