A ARQUIBANCADA NA REDE - WEB ARQUIBANCADA
"Em 40 anos de jornalismo, nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal". (Cláudio Abramo, que dirigiu Folha e Estadão)

Busca

Pesquisa personalizada

21 de ago de 2008

Drops

O inexplicável

Lembro-me de um jogo Palmeiras x Internacional, também no Beira-Rio. Marcos vai repor a bola, essa bate nas costas de Nilmar, este apanha a bola e gol. Ontem foi idêntico; o craque deles, Alex - que ficou de fora de várias rodadas e voltou justamente contra o Palmeiras - acerta um chute que pegou todos de surpresa: Marcos, narradores e até eu. Coisa que só acontece em um Palmeiras e Internacional, e sempre contra a gente. Não é à toa que estamos há anos sem vencê-los por lá.


O explicável 1

Estar perdendo um jogo e depender de Denilson para virá-lo é piada de mau gosto. Não sei o quê, ou no quê, Luxemburgo estava pensando àquela hora. Aliás, eu imagino.


O explicável 2

Com essa defesa será difícil o time vencer fora de casa. Para vencer fora primeiro você tem que ter consistência; ter posse de bola e uma defesa segura; caso o time não marque lá na frente, segure-se as pontas lá atrás. Daí, um bom contra-ataque, e vitória. Caso o contra-ataque não saia, pelo menos, um pontinho vem. Mas, como já disse, com essa defesa será difícil. Aliás, pensei bem nisso o dia todo, joguei a toalha quanto ao título, pois COM ESSA DEFESA NÃO DÁ, E NÃO DARÁ!


Casi gol

O time da marginal contratou um centroavante que tinha apelido de casi gol (quase gol). Durante a campanha da SEGUNDA DIVISÃO o cara desandou a fazer gols. Então, o apelido - acho - que cabe ao Diego Souza, que sempre é quase. Ontem, com o jogo 1 x 0 para nós o cara perdeu um - outro - gol incrível. Gosto do futebol dele, mas não é 'o cara', não é quem vai nos ‘guiar’ ao título. Nem ele, nem a defesa, nem um técnico que a cada crise da seleção brasileira fica atordoado de vontade de ir para lá, muito menos o Denilson. Será que o Luxa vai chamá-lo quando assumir a seleção?


Destempero

Entrar na ‘pilha’ de time gaúcho e achar que se ganhará deles na violência, na ‘catimba’, na raça, é querer – de antemão – perder o jogo. Precisamos explicar para esses ‘caras’ que jogam no Palmeiras que aqui se ganha jogo com futebol bonito. Alguém tem que ensinar a eles que o Palmeiras já representou a seleção brasileira, teve três academias. Se acham que correria, raça e pontapés bastam, ensinem também o caminho da Marginal sem número.


Bolão

A conferência da 21a. rodada será feita junto com a da 22a. (do final de semana). Então, agüentem até a segunda-feira, pois o trabalho e a vida estão consumindo o tempo desse que vos escreve.


Corneta

Corneta? Sim, hoje estou de mau humor, o Palmeiras - mais uma vez - foi o time do quase. Quase gol, quase vitória, quase vice-líder, quase, quase...

Um comentário:

  1. Castellari:

    Cabe a nós, palmeirenses, mais uma vez, esperar ... esperar ... esperar ... Até quando? Nunca esteve tão próximo um título nacional! Tão próximo e tão longínquo, dadas as circunstâncias.

    "Construir para poder conquistar! Acreditar sempre!"

    ResponderExcluir

Caro Palmeirense, aqui você pode fazer seu comentário. Como bom Palmeirense CORNETE!!!